Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Itália deve receber até 900 mil refugiados da Ucrânia

Crise ucraniana: mil refugiados já estão na Itália, mas pelo menos 900 mil podem chegar. Aqui está o plano de acolhimento

refugiados da Ucrânia Itália
Itália deve receber até 900 mil refugiados da Ucrânia | ilmessaggero

Cerca de mil refugiados da Ucrânia já chegaram à Itália. Segundo o jornal La Repubblica, a maioria é de mulheres e crianças e quase todas tem como destino as casas de familiares ou amigos que vivem e trabalham na Itália. 

Ação Contra as filasAção Contra as filas

A associação Itália-Ucrânia estima que haverá 800 e 900 mil refugiados que poderão buscar refúgio no território italiano, mas é impossível prever quantos chegarão nas próximas semanas. 

O Ministério do Interior, neste momento, preparou um plano de acolhimento para 16 mil lugares nas estruturas destinadas aos migrantes, 13 mil nos CAS (Centros de Acolhimento Extraordinário) e 3 mil na rede SAI (Sistema de Acolhimento e Integração). 

A julgar pelas previsões do ACNUR e da OTAN – que falam de 5 a 6 milhões de pessoas fugindo da Ucrânia – os lugares podem ser completamente insuficientes, mas este é apenas o primeiro passo de um plano impossível de ser definido em números e que conta muito com o trabalho nos territórios dos prefeitos, explicam fontes do Ministério do Interior, segundo o La Repubblica.

O plano de recepção “externa”

A Itália tem a maior comunidade ucraniana da Europa: quase 250 mil pessoas. A maioria das quais reside na Lombardia, Emilia Romagna e Campânia

É, portanto, previsível que cheguem a Itália milhares de refugiados, mas já com abrigo para onde se dirigir, encontrando hospitalidade nas casas de familiares e amigos. 

Cerca de mil já chegaram à Itália | La Repubblica

Uma solução certamente preferível aos centros de recepção. Mas obviamente surgirá o problema de sua manutenção. 

Caberá ao Estado, através dos municípios ou da rede de órgãos, associações, voluntários, desenvolver um plano de fornecimento de refeições, ou com a instalação de restaurantes ou distribuição de vales-compras, cuidados de saúde, e após a matrícula das crianças na escola, nos cursos de italiano, de formação e trabalho para adultos.

O exemplo de Tróia na Puglia

Um modelo que já foi testado na Itália e que alguns municípios já estão preparando, como em Troia: a pequena cidade de Foggia já estabeleceu que todos os cidadãos ucranianos que vivem lá podem trazer parentes e familiares em perigo para a Itália.

O Município irá oferecer comida e alojamento. “Não podemos parar a loucura da guerra, mas podemos dar ajuda a quem sofre com a guerra”, afirma o prefeito Leonardo Cabalieri.

Estatuto de refugiado por um ano

Amanhã, em Bruxelas, a União Europeia vai lançar a diretiva sobre o acolhimento temporário que prevê automaticamente o reconhecimento da proteção internacional por um ano (renovável) a todas as pessoas provenientes de zonas de guerra que, portanto, não terão de apresentar qualquer pedido de asilo para análise por comissões. 

Eles receberão o documento e poderão circular livremente na Europa. Não há, portanto, distribuição de cotas de acolhimento para os 27 estados membros da Europa, pois os refugiados terão liberdade para se deslocar e escolher o país para onde ir se juntar a amigos e parentes. 

A ministra Luciana Lamorgese também estará presente na reunião dos Ministros do Interior, na quinta-feira, em Bruxelas. Hoje ela apresentará um relatório ao Comitê Schengen sobre o plano de acolhimento.

200

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

Refugiados ucranianos na Itália são alojados em propriedades confiscadas da máfia

Arte & Cultura

Ucrânia dispara com voto do público e vence o Eurovision 2022

Una buona notizia!

42 menores se mudaram para a pequena Fosciandora, na Toscana

Cidadania Italiana

Itália criará grupo de trabalho para facilitar o reconhecimento da cidadania italiana aos argentinos

Cotidiano

Durante o diálogo, o premiê cobrou a instituição de um cessar-fogo “o quanto antes”

Comer e beber

Além de armas, Itália enviou milhares de pacotes ultracompactos para apoiar os combatentes contra a Rússia

Cotidiano

Confisco de iates e contas bancárias feito pelo ministério da Economia e das Finanças italiano já chegou aos 140 milhões de euros

Cotidiano

Morto há 141 anos, o escritor Fiódor Dostoiévski (1821-1881) virou alvo na Itália por causa da invasão da Ucrânia pela Rússia. Deixa o seu...

Cotidiano

Senador sempre criticou as sanções econômicas da União Europeia contra a Rússia

Cotidiano

O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, disse que ataque russo é virada decisiva na história europeia.

Cotidiano

Salvini se opôs, após o anúncio da União Europeia, sobre o envio de ajuda militar à Ucrânia

Cotidiano

Monumentos da Itália foram iluminados em solidariedade ao povo ucraniano