Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Itália apoia ‘sanções severas’ em caso de invasão russa

EUA alertaram que ‘ataque’ pode começar a qualquer momento

Itália invasão russa
Itália apoia 'sanções severas' em caso de invasão russa. Mario Draghi e Vladimir Putin | EuropaToday

O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, participou na tarde desta sexta-feira (11) de uma videoconferência organizada pelo governo americano para debater o risco de uma possível invasão russa na Ucrânia e apoiou a possibilidade de “sanções severas, enquanto continua esperando um diálogo útil“.

Ação Contra as filasAção Contra as filas

A reunião contou com a presença dos líderes das principais potências ocidentais, incluindo os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da França, Emmanuel Macron, os chefes de Governo alemão, Olaf Scholz, e britânico, Boris Johnson.

Além deles, participaram o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg; a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen; e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

Segundo nota oficial do Palazzo Chigi, os últimos desenvolvimentos da crise ucraniana foram analisados, confirmando-se “a necessidade de assegurar uma postura firme de dissuasão, mantendo aberto o diálogo com Moscou também para implementar os acordos de Minsk”.

O governo italiano explica ainda que os líderes discutiram sobre as possíveis sanções que podem ser adotadas em caso de ataque à integridade territorial da Ucrânia.

“Draghi apoia a oportunidade de sanções graves, enquanto continua a esperar por um diálogo útil”, acrescenta o comunicado.

Segundo a Casa Branca, os líderes ocidentais disseram que “concordam com a importância de esforços coordenados para desencorajar novas agressões da Rússia contra a Ucrânia”.

“Caso a Rússia opte por uma escalada militar, pode haver consequências pesadas e custos econômicos graves”, enfatiza o governo americano.

Paralelamente à reunião, o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, alertou novamente que um ataque russo pode começar a qualquer momento. “Um ataque russo à Ucrânia pode começar a qualquer momento e provavelmente iniciará com um ataque aéreo”, disse ele durante coletiva em Washington.

Sullivan afirmou ainda que qualquer americano que ainda esteja na Ucrânia deve partir nas próximas 24 a 48 horas porque um ataque aéreo russo dificultaria a saída.

“Não acreditamos que Putin tenha feito algum tipo de escolha final sobre invadir ou não a Ucrânia”, completou o conselheiro americano, ressaltando que Biden deve falar por telefone com Putin em breve. (Ansa)

200

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

Segundo Putin, exportação de cereais volta ao normal apenas se Ocidente retirar embargos impostos à Russia

Cotidiano

Inflação é puxada pelos preços de energia, que apresentaram crescimento por causa da invasão da Ucrânia pela Rússia

Economia

Itália cede às exigências de Moscou e contorna embargo europeu

Cotidiano

Os trinta diplomatas russos expulsos da Itália são "pessoas indesejáveis". Moscou: nós responderemos

Cotidiano

Durante o diálogo, o premiê cobrou a instituição de um cessar-fogo “o quanto antes”

Cotidiano

Confisco de iates e contas bancárias feito pelo ministério da Economia e das Finanças italiano já chegou aos 140 milhões de euros

Cotidiano

Morto há 141 anos, o escritor Fiódor Dostoiévski (1821-1881) virou alvo na Itália por causa da invasão da Ucrânia pela Rússia. Deixa o seu...

Cotidiano

Senador sempre criticou as sanções econômicas da União Europeia contra a Rússia

Cotidiano

O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, disse que ataque russo é virada decisiva na história europeia.

Cotidiano

Salvini se opôs, após o anúncio da União Europeia, sobre o envio de ajuda militar à Ucrânia

Cotidiano

Monumentos da Itália foram iluminados em solidariedade ao povo ucraniano

Cotidiano

Convocação aconteceu logo após a Rússia invadir a Ucrânia, na madrugada desta quinta-feira