Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Sergio Mattarella é reeleito presidente da Itália

mattarella eleito
Sergio Mattarella é reeleito presidente da Itália

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, 80, foi reeleito neste sábado (29) para mais sete anos de mandato.

O atual chefe de Estado conquistou votos 759 no colégio eleitoral (de um total de 1.009), que é formado por 630 deputados, 321 senadores e 58 delegados regionais. A vitória de Mattarella foi ovacionada pelos parlamentares presentes na Câmara.

Com 90 votos, Carlo Nordio, um ex-juiz com 74 anos, foi o segundo mais votado.

O resultado coloca fim a uma semana de impasse nas negociações entre os partidos para chegar a um nome de consenso, mas também expõe as divisões dentro do Parlamento e do governo do premiê Mario Draghi.

Reeleito apenas na oitava votação, o presidente havia dado vários sinais de que não queria continuar no cargo e tinha até alugado um apartamento em Roma para quando deixasse o Palácio do Quirinale.

Mattarella, no entanto, foi o único nome capaz de angariar o apoio de todos os partidos do governo de união nacional encabeçado por Draghi, uma coalizão heterogênea que vai da esquerda à extrema direita.

O presidente desfruta de ampla simpatia na sociedade e na política, apoio que já havia ficado claro em suas votações no Parlamento: ele teve 336 votos no sexto escrutínio e 387 no sétimo, mesmo com os partidos recomendando a abstenção.

Em 75 anos de República na Itália, apenas um presidente havia sido reeleito, justamente o antecessor de Mattarella, Giorgio Napolitano, que ganhou seu segundo mandato em 2013 e renunciou cerca de 20 meses depois.

O deputado Fausto Longo e o senador Fabio Porta, representantes dos ítalo-brasileiros, votaram pela reeleição do presidente da Itália, Sergio Mattarella.

Reeleger o presidente da Itália não foia a opção de Roberto Lorenzato (Liga), outro deputado italiano eleito no Brasil. “Mattarella é um alto perfil, mas não o meu candidato pessoal”, disse ao Italianismo. Ele preferiu não revelar o seu candidato.

Tentativas fracassadas

O acordo foi precipitado pela tentativa da direita de impulsionar a presidente do Senado, Elisabetta Casellati, indicada na última sexta-feira pelo moderado Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi, e pelos ultranacionalistas Liga, de Matteo Salvini, e Irmãos da Itália (FdI), de Giorgia Meloni.

No entanto, Casellati obteve apenas 382 votos no quinto escrutínio, muito aquém dos cerca de 460 que a direita deveria ter no Parlamento. Após esse resultado, FI e Liga, que fazem parte do governo Draghi, voltaram a negociar com os outros partidos da situação, deixando Meloni de lado.

“Salvini propôs pedir para Mattarella fazer um novo mandato como presidente da República. Não quero acreditar nisso”, declarou a deputada de extrema direita ainda antes da votação definitiva – o Irmãos da Itália é o único grande partido de oposição no Parlamento atualmente.

“A direita parlamentar não existe mais, é preciso recriá-la do zero, por respeito às pessoas que querem mudar”, afirmou Meloni, acrescentando que vai batalhar em defesa de eleições diretas para presidente da República.

Também houve tentativas de se chegar a um acordo para eleger o senador de centro Pier Ferdinando Casini, a chefe dos serviços secretos, Elisabetta Belloni, ou a ministra da Justiça, Marta Cartabia, mas todos enfrentaram resistência em um ou mais partidos da base aliada.

A Itália nunca teve uma mulher como presidente da República ou premiê.

Funções

Apesar de ter um papel mais institucional do que político, o presidente está longe de ser uma figura meramente cerimonial e tem poder para influenciar os rumos do país, nomeando premiês, barrando indicações de ministros e até cobrando a aprovação de leis do interesse da nação.

O próprio Mattarella é exemplo da importância que um chefe de Estado pode ganhar em momentos delicados.

Em 2018, os partidos populistas Movimento 5 Estrelas e Liga saíram vencedores das eleições e tentaram indicar um professor abertamente antieuro, Paolo Savona, como ministro da Economia, mas o presidente, um defensor da integração europeia, se negou a empossá-lo para não alimentar o euroceticismo na Itália.

O mandatário chegou a ser ameaçado de impeachment e acusado de “alta traição”, mas não recuou e conseguiu fazer M5S e Liga indicarem outro ministro – os dois partidos votaram por sua reeleição neste sábado.

Já no início de 2021, após a queda de Giuseppe Conte, o mandatário convocou o ex-presidente do Banco Central Europeu Mario Draghi para formar um governo e colocar fim a uma crise política que ameaçava levar o país a eleições antecipadas.

Com o apoio de Mattarella, Draghi conseguiu costurar uma coalizão de união nacional e chegou a ser cotado para substituir o atual presidente, mas viu suas chances destruídas pela dificuldade de se encontrar um novo primeiro-ministro para governar até o fim da legislatura, em 2023.

Perfil

Mattarella nasceu em Palermo, é viúvo e tem três filhos: Laura, Francesco e Bernardo Giorgio, sendo que a primeira costuma acompanhar o pai em compromissos públicos.

Antigo expoente da extinta Democracia Cristã, o chefe de Estado já foi deputado por 25 anos e ministro das Relações com o Parlamento (1987-1989), da Educação (1989-1990) e da Defesa (1999-2001).

Além disso, foi vice-presidente do Conselho dos Ministros entre 1998 e 1999. Sua última legenda política foi o Partido Democrático (PD), maior força de centro-esquerda na Itália e do qual saiu em 2009.

Dois anos depois, foi nomeado juiz da Corte Constitucional, onde ficaria até o início de 2015, quando se tornou o primeiro siciliano eleito presidente da República.

O irmão mais velho de Mattarella, Piersanti, foi assassinado pela Cosa Nostra em 1980, quando era governador da Sicília, por ter contrariado interesses da máfia, crime que levou o jurista para a carreira política (ANSA)

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

A transmissão da cidadania italiana jure sanguinis pode ser comprovada por qualquer meio, diz a Corte de Cassação da Itália

Cotidiano

Prefeito perde batalha contra ítalo-brasileiros: A lei falou mais alto. Parece que o jogo virou, não é mesmo, senhor prefeito?

Cidadania Italiana

Ao contratar um advogado para processo de cidadania italiana, opte por um que mantenha representante no Brasil.

Cidadania Italiana

Cidadania italiana irregular: 92 cidades da província de Nápoles entram em investigação.

Cidadania Italiana

Silmara Fabotti, líder de esquema de cidadania italiana falsa, planejava fugir da Itália, relata juiz.

Cidadania Italiana

Passaporte em todo lugar: A partir de julho, correios italianos facilitam renovação e emissão

Cidadania Italiana

Descaso com o Codice Fiscale: Conselheiro do CGIE denuncia "Gaming the System" nos consulados.

Cidadania Italiana

A crescente diáspora italiana: Migração em massa em busca de melhores oportunidades e realização pessoal.

Itália no Brasil

Aviso por correio convoca os eleitores para participarem das eleições do Parlamento Europeu de 2024.

Itália no Brasil

Um voo histórico de solidariedade: A ajuda humanitária da Itália ao Rio Grande do Sul.

Cidadania Italiana

Investigação revela esquema de corrupção envolvendo falsos certificados de residência em troca de dinheiro e favores sexuais.

Cidadania Italiana

Rodrigo Faro se defende de acusações de envolvimento em esquema de falsificação de documentos para cidadania italiana