Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

Italianismo

Arte & Cultura

7 locais menos conhecidos do Patrimônio Mundial na Itália

Das impressionantes Dolomitas à vila de contos de fadas de Alberobello, descubra o caminho menos percorrido da Itália.

Cada ano, um comitê da Unesco se reúne para discutir quais os locais culturais e naturais devem ter o reconhecimento de “valor excepcional para a humanidade”.

Ser indicado como Patrimônio Mundial da Unesco, além de render status, proporciona uma maior proteção ao local escolhido.


Bendita Cidadania


Bendita Cidadania

A Itália ostenta 55 sítios do Patrimônio Mundial da Unesco– mais do que qualquer outro país do mundo. Os locais mais famosos – Roma, Florença, Veneza e a Costa Amalfitana – dispensam apresentações. Mas o charme da Itália está além desses lugares óbvios, saturados de visitantes o ano todo.

Aqui estão sete locais menos conhecidos do Patrimônio Mundial da Unesco na Itália, mas ainda imperdíveis.

1. Alberobello: uma vila de contos de fadas

Alberobello, Puglia | Getty Images

Esta cidade mágica está situada entre os pitorescos olivais e vinhas da Puglia. Alberobello foi reconhecida como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996 por seus trulli, residências caiadas de branco e cobertas por telhados cônicos. 

Os historiadores não sabem ao certo por que os trulli foram construídos dessa maneira, mas uma teoria sugere que a estrutura simples de pedra foi projetada de forma que pudesse ser facilmente desmontada para evitar impostos sobre a propriedade.

Mais de mil dessas estruturas de calcário estão espalhadas por Alberobello e permanecem funcionais como casas e lojas. A Piazza del Popolo é um bom ponto de partida para explorar esta cidade histórica. 

SIGA O ITALIANISMO


Considere também uma parada em cidades nas colinas, como Locorotondo e Ostuni. Esta última está cheia de casas caiadas de branco, o que lhe valeu o apelido de La Città Bianca (a Cidade Branca).

2. Piemonte: a região vinícola

Vinícolas no Piemonte | Getty Images

No lado oeste dos Alpes fica a região vinícola de Piemonte, composta por cinco áreas vitícolas e o Castello di Grinzane Cavour. A região foi inscrita como Patrimônio Mundial por sua antiga e autêntica tradição de vinificação em terras lindamente cultivadas

Além de uma vasta seleção de vinhos de dar água na boca, Piemonte é uma região gastronômica requintada que se acredita ser o berço do movimento slow food, que incentiva a produção local.

3. As Dolomitas: natureza sublime

Drei Zinnen Nature Park, Dolomitas | Getty Images

As Dolomitas são uma cordilheira dos Alpes italianos do norte, que se estendem ao longo da região de Trentino-Alto Adige. A área fazia parte da Áustria até a Primeira Guerra Mundial e é distinta do resto do país.

As majestosas montanhas são descritas por muitos como as mais espetaculares da Europa. A Unesco acrescentou as Dolomitas aos seus locais de Patrimônio Mundial por sua excepcional beleza natural e diversidade geológica. 

De resorts de esqui de classe mundial em Val Gardena a trilhas para caminhadas nas montanhas, as Dolomitas oferecem atividades para todas as estações. Madonna di Campiglio, um resort em Brenta, nas Dolomitas, é uma boa base para explorar a região.

4. Urbino: uma esplêndida cidade renascentista

Duomo de Urbino, Marche | Getty Images

Para a maioria, o termo “Renascimento” lembra Florença, Toscana e Umbria, mas evidências do movimento cultural podem ser encontradas em toda a Itália. 

A pequena cidade de Urbino no topo de uma colina – aninhada em Marche entre os Apeninos e o Mar Adriático – foi um dos centros culturais mais importantes da Renascença no século XV.

O patrono por trás da florescente cena artística e cultural de Urbino foi Federico da Montefeltro, um brilhante líder militar, intelectual e amante das artes. Montefeltro encomendou o magnífico Palazzo Ducale, um dos mais belos exemplos de palácios renascentistas na Itália. 

Desde então, o palácio foi convertido na Galeria Nacional de Marche e abriga obras de artistas renascentistas.

O Palazzo Ducale é a principal atração da cidade, mas a visita não fica completa sem ver o local de nascimento de um dos mais famosos pintores e arquitetos da Alta Renascença, Rafael. O interior da casa é vazio, mas pitoresco.

5. Matera: as cavernas do Sassi

Matera, Basilicata | Getty Images

Afrescos bem preservados adornam as paredes da Cripta do Pecado Original, uma das muitas igrejas em cavernas de Matera.

Situado na região de Basilicata, no sul da Itália, o Sassi, que significa “pedras” em italiano, tem sido continuamente ocupado por assentamentos humanos desde o Paleolítico até os dias atuais.

Este distrito antigo fica à beira de uma ravina onde casas empilhadas, igrejas e mosteiros foram esculpidos no terreno natural. 

Na década de 1950, condições de vida perigosas, saneamento precário e doenças forçaram os residentes a abandonar o Sassi. As condições empobrecidas da cidade e a atmosfera de desespero levaram o artista Carlo Levi a comparar Matera com o Inferno de Dante em seu livro, Christ Stopped at Eboli .

Após um prolongado esforço para restaurar a cidade, seus ex-moradores começaram a retornar na década de 1980, reformando as cavernas sob a supervisão de conservacionistas. 

O Sassi foi declarado Patrimônio Mundial em 1993, e uma indústria turística modesta, completa com elegantes “hotéis caverna”, logo o seguiu. A paisagem única de Matera atraiu até mesmo cineastas, incluindo Mel Gibson, que filmou a maior parte de A Paixão de Cristo neste local.

6. Vicenza: arquitetura paladiana espetacular

Teatro Olímpico em Vicenza | Getty Images

A região de Veneto, no nordeste da Itália, é a região com a maior diversidade cultural do país

A maioria dos turistas segue para a cidade flutuante de Veneza ou para Verona, que ficou famosa por Romeu e Julieta de Shakespeare e Os Dois Cavalheiros de Verona. Muitos têm olhares para a vizinha Vicenza, uma cidade de esplêndida arte e arquitetura.

A Unesco acrescentou Vicenza ao seu patrimônio mundial em 1994 por suas magníficas vilas projetadas pelo arquiteto renascentista italiano do século 16, Andrea Palladio.

Inspirado na arquitetura romana, Palladio projetou muitos palácios extraordinários para nobres, bem como o Teatro Olímpico, o mais antigo teatro existente na Europa.

O estilo palladiano inspirou um movimento arquitetônico que pode ser visto em toda a Europa e América do Norte, incluindo o famoso Monticello, de Thomas Jefferson em Charlottesville, Virginia.

7. Val di Noto: Renascida das ruínas

Ragusa, Val di Noto | | Getty Images

Enquanto muitos turistas migram para Taormina e Palermo, na Sicília, a tranquila região de Val di Noto no sudeste – popularizada pela série de televisão italiana Inspector Montalbano – combina um cenário gastronômico moderno e hotéis boutique sofisticados com um ar de charme do velho mundo.

Em 2002, a Unesco inscreveu as oito cidades de Val di Noto (Caltagirone, Militello Val di Catania, Catania, Modica, Noto, Palazzolo, Ragusa e Scicli) na lista de Patrimônio Mundial. 

As cidades, construídas após um terremoto de 1693 ter devastado a área, são apreciadas por sua esplêndida arquitetura de estilo barroco tardio e planejamento urbano inovador.

A cidade de Modica é conhecida por suas vistas gloriosas, que podem ser apreciadas de um mirante ao qual se chega por um conjunto de vielas estreitas e centenas de escadas. 

Os gourmands também podem saciar suas papilas gustativas com deliciosos chocolates inspirados nas receitas antigas dos astecas.

Noto, sem dúvida a mais movimentada das cidades de Val di Noto, também é a mais grandiosa. 

A cidade foi construída de maneira ordenada e linear – um excelente exemplo do planejamento urbano do barroco tardio. 

Ragusa e Scicli são cidades pequenas, mas requintadas, onde edifícios em tons de ocre suave foram construídos nas colinas.

Cidades encantadoras, mas mesmo assim estão entre os locais menos conhecidos do Patrimônio Mundial da Unesco na Itália.

Leia também

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Cotidiano

Olfato apurado provou ser mais eficaz do que um teste rápido. E muito mais eficaz.

Destinos

Pensando em fugir para as montanhas? Este é o anúncio que pode mudar a sua vida!

Cotidiano

Verdadeiro ou falso? As incríveis fotos que ocupam o centro das atenções nas redes sociais

Destinos

Um percurso encantador, imerso em uma das vistas mais bonitas da Itália: essa é a ciclovia das Dolomitas. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

A maior queda de neve das últimas décadas está causando sérios problemas na Itália. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Um relatório em tempo real mostra o número de quantos já foram vacinados na Itália contra o Covid-19. Deixa o seu comentário:

Destinos

No coração do Piemonte, a pequena cidade de Valleggia está lentamente voltando à vida graças à arte: mas ela ainda tem apenas 3 habitantes....

Cotidiano

Para os amantes das montanhas, aqui estão as 10 cidades mais altas da Itália. Vilas de tirar o fôlego. Deixa o seu comentário: