Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Estilo de vida

Mais de 70% dos ginecologistas se opõem ao aborto na Itália

Itália: no país, o aborto é um direito há 40 anos, mas sua aplicação ainda é complicada em muitas regiões (Patrizia Cortellessa/Pacific Press/Getty Images)

Desde 1978, a chamada Lei 194 permite às mulheres abortar gratuitamente sem restrições nos primeiros 90 dias de gravidez

Apesar de ser um país que trata o aborto como “um direito das mulheres” há 40 anos, mais de setenta por cento dos ginecologistas italianos se declaram contra essa prática.

Desde 1978, a chamada Lei 194 permite às mulheres abortar gratuitamente sem restrições, desde que essa decisão seja tomada nos primeiros 90 dias de gravidez. Mesmo assim, muitas regiões dificultam esse processo por se mostrarem favoráveis ao movimento pró-vida.

Os partidos conservadores Movimento Cinco Estrelas (M5S) e o Liga, que é considerado um partido de extrema-direita, têm influenciado e apoiado a população nesse sentido. Críticos, porém, os acusam de “retroceder os direitos das mulheres”.

Movimento pró-aborto

Em julho deste ano, um grupo de ginecologistas feministas pediram à ministra de Saúde, Giulia Grillo, que “aplique a Lei 194”, que regula o aborto na Itália. O grupo conseguiu mais de 100 mil assinaturas de apoio.

O movimento das feministas aconteceu logo após um médico de Nápoles se negar a atender uma mulher em risco de morte por um aborto espontâneo, o que terminou causando a demissão do ginecologista.

De acordo com a lei vigente no país, o aborto é permitido em caso de perigo para a mãe ou má-formação do feto. No entanto, a legislação também ampara o direito à objeção de consciência dos médicos. Os profissionais não são obrigados a praticar abortos se não quiserem.

Cresce movimento pró-vida

Em 2005, os ginecologistas objetores representavam 58,7% em toda a Itália, segundo dados do Ministério da Saúde, em 2016 já eram 70,9%, embora em regiões como Basilicata, no sul, a porcentagem alcance 88,1%.

No mês passado, por exemplo, a cidade de Verona se declarou pró-vida e prometeu fundos públicos a projetos contra o aborto financiados pela Igreja Católica e por entidades privadas.

Ativistas feministas também têm contra elas as recentes declarações vindas do Vaticano. O papa Francisco chegou a declarar que “o aborto é como contratar um matador de aluguel”.

Por Cris Beloni/GospelPrime

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Variedades

Iniciativa quer combater despovoamento de áreas montanhosas.

Variedades

Cidade foi devastada pela erupção do Vesúvio, assim como Pompeia.

Cotidiano

Influenciadora teve imagem arranhada por prática desleal

Notícias

Marca terceirizava produção com empresas chinesas irregulares.

Arte & Cultura

Lançado no fim de outubro e exibido em preto e branco, foi o filme que mais faturou com bilheteria na Itália em 2023

Economia

Evento contou com apoio do Consulado-Geral da Itália em SP.

Notícias

Grupo de 8 companhias participa de feira de fundição em SP.

Notícias

Cúpula acontecerá entre 13 e 15 de junho na região da Puglia.

Cotidiano

Imperia ocupa 1ª posição de ranking elaborado pelo iLMeteo.it

Política

Partido de Meloni saiu vitorioso no pleito para renovar Parlamento Europeu.

Arte & Cultura

Exposição 'Life as a Scientist' será aberta no dia 21 de junho.

Turismo

Alta temporada no país vai de junho a setembro.