Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Negócios

Crise do aço afeta mercado de tomates em conserva italiano

O setor produtivo corre o risco de ficar sem latas: o aumento dos preços das matérias-primas repercute nos custos.

crise do aço
Crise do aço afeta o mercado italiano de alimentos

A crise do aço está afetando o mercado italiano de alimentos. Não há mais latas para a produção de tomates em conserva

A cadeia de abastecimento do tomate pelado deve ficar sem recipientes a partir de de julho, mês em que começa a colheita do tomate, alerta a Coldiretti, a associação que representa os agricultores italianos.

O tomate é um dos alimentos mais importantes da dieta mediterrânea e a Itália é líder mundial na produção de derivados do fruto.

O setor corre o risco de ficar sem latas: o aumento dos preços das matérias-primas, de fato, repercute nos custos.

Colapso da demanda

As principais siderúrgicas mundiais, principalmente ligadas à indústria automotiva, reduziram a produção do aço com a disseminação da Covid, o que causou o colapso da demanda no mercado automobilístico. 

Alguns produtos de consumo, no entanto, experimentaram um verdadeiro boom com a pandemia: entre eles tomates pelados e polpa de tomate.

Com a recuperação da economia, os produtores não conseguiram acompanhar a demanda nos diversos setores do mercado. 

O maior problema é a falta de folha de flandres, que corre o risco de comprometer seriamente a cadeia de abastecimento dos produtos em lata, da polpa ao purê de tomate italiano.

O setor corre o risco de ficar sem latas: o aumento dos preços das matérias-primas, de fato, repercute nos custos.

Crise do aço: preço mais alto para o consumidor

O momento crucial do processamento do tomate na Itália coincide entre julho e setembro: a produção das embalagens, porém, deve ser planejada com bastante antecedência. 

A crise do aço fez com que os preços subissem, afetando os custos de produção e, consequentemente, dos consumidores.

O aço representa a embalagem primária de tomates e leguminosas, respondendo por 65% do total. 

A crise das matérias-primas e a incidência dos custos têm repercussões nas embalagens: a outros acréscimos como os da energia, dos transportes e dos custos associados aos outros componentes da embalagem, os preços tendem a subir.

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Cotidiano

Enquanto o Sul da Itália sofre com grandes incêndios e temperaturas africanas, a região Norte está sendo castigada por fortes temporais. Deixa o seu...

Comer e beber

O estudo foi realizado em maio de 2021 em uma amostra nacional de 1.000 italianos, entre 18 e 74 anos.

Herança italiana

Lupo: a família trentina que escolheu o Brasil para viver e fazer crescer seus sonhos de empreendedorismo.

Agenda

A Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura promove o webinar sobre sustentabilidade.

Destinos

Sem turismo, as aldeias da Itália também estão em risco. E, junto com eles, também os produtos típicos desses lugares.

Itália no Brasil

O Brasil importou da Itália em 2020 cerca de US$ 231 milhões em vinhos, massas e outros produtos do Made in Italy. Um aumento...

Cotidiano

Leonardo testa drone que transporta mercadorias de até 25kg.

Cotidiano

A mais antiga empresa italiana é também a terceira empresa mais antiga do mundo

Negócios

Nascido em família modesta, antes de desenhar roupas Giorgio Armani se matriculou na Faculdade de Medicina e trabalhou como vitrinista

Cotidiano

As exportações de massas da Itália para a Alemanha aumentaram 20% com relação ao ano anterior em 2020

Itália no Brasil

Fabricante de fábricas, italiano cresceu nas crises e ajudou a construir o capitalismo brasileiro Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Explosão seguida de incêndio em complexo industrial químico de Veneza