Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Prato, a cidade italiana com 28 mil imigrantes chineses

Cidade na Toscana abriga a maior chinatown europeia. Comissão bicameral discute o fenômeno migratório

cidade italiana chineses
Prato, a cidade italiana com 28 mil cidadãos chineses | Augusto Biagin / Prato Sfera

Em Prato, cidade da região da Toscana, vivem 27.829 cidadãos chineses. A cidade com pouco mais de 194 mil habitantes é tema na Comissão Parlamentar de acompanhamento da implementação do acordo de Schengen.

Na terça-feira (8), para fornecer os dados à comissão, a prefeita de Prato, Adriana Nicolina Rosaria Cogode, não se concentrou apenas nos números da presença de estrangeiros na cidade e na província.

Segundo ela, 15 mil chineses presentes na cidade vivem como fantasmas. “Nada sabemos, nem onde trabalham, nem em que condições vivem”, diz a prefeita.

Um número muitas vezes passado às escondidas na cidade, mas que significa a presença de 8% de Prato que vivem em condições marginais, sem qualquer tipo de assistência e que obviamente correm o risco de acabar em mãos de organizações criminosas. “São pessoas que chegam regularmente com visto de turista à Itália, mas que depois de expirado o documento, não saem do território, mas são absorvidos por um sistema, fazendo-os trabalhar em condições irregulares ou de exploração, ou acabando por se dedicar a atividades ilegais”, explica Cogode.

Outro fato que surpreendeu os comissários parlamentares foi o dos pedidos de nacionalidade italiana feitos pelos chineses. Em 2021 apenas um imigrante fez a solicitação. Um sinal claro da falta de vontade em adquirir a cidadania italiana, talvez porque o governo chinês proíbe a dupla cidadania.

Desta forma, Pequim consegue controlar os seus cidadãos no exterior e manter uma ligação entre as Chinatowns de toda a Europa. A ilegalidade que caracteriza os chineses não é delinquente, mas econômica, quase parasitária.

Ilegalidade reflete na criminalidade

Segundo dados apresentados na comissão parlamentar, em 2021 foram intimadas 2.949 pessoas, das quais 59% eram estrangeiras.

Dos 403 presos, 277 eram estrangeiros, ou 68%. A incidência de furtos cometidos por cidadãos de países terceiros em 2021 foi de 50%, dois terços dos roubos foram atribuídos a cidadãos de países extracomunitários, e 84 dos 97 crimes relacionados com drogas foram cometidos por cidadãos de países terceiros.

Só para dar um exemplo, Cogode lembrou que dos 173 roubos relatados em Prato em 2021, 88 foram cometidos por cidadãos de fora da União Europeia

“A situação, embora não seja de emergência, exige a necessidade de manter um elevado nível de atenção e prevenção na área. Não podemos permitir que se aninham fenômenos de ilegalidade, que poderão aumentar com o regresso à normalidade pós-Covid. Em termos de percepção de segurança, as expectativas do povo de Prato continuam muito altas. Aqui há um alto senso de dever cívico e é um dever responder às demandas da cidadania”, explicou a prefeita, em audição no Ministério do Interno.

Imigrantes

Adriana Cogode, prefeita de Prato, durante audiência no Comitê Schengen | Ministério do Interno

Muitos operários chineses entram na Itália com visto de turista. Quando são detidos sem documentos, não podem ser repatriados, porque a China se recusa a recebê-los sem uma identificação oficial. Com um papel de expulsão no bolso, os clandestinos ficam livres e mergulham de novo no mercado informal.

No início dos anos 80, começaram a desembarcar os primeiros chineses na vizinha Florença. Um pioneiro núcleo de 38 imigrantes fixou residência em Prato, em 1989.

Na década seguinte, a população de etnia chinesa cresceria exponencialmente, primeiro ocupando um espaço abandonado pelos italianos na base da cadeia de produção, depois, como empresários.

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

A transmissão da cidadania italiana jure sanguinis pode ser comprovada por qualquer meio, diz a Corte de Cassação da Itália

Cotidiano

Prefeito perde batalha contra ítalo-brasileiros: A lei falou mais alto. Parece que o jogo virou, não é mesmo, senhor prefeito?

Cidadania Italiana

Cidadania italiana irregular: 92 cidades da província de Nápoles entram em investigação.

Cidadania Italiana

Silmara Fabotti, líder de esquema de cidadania italiana falsa, planejava fugir da Itália, relata juiz.

Cidadania Italiana

A crescente diáspora italiana: Migração em massa em busca de melhores oportunidades e realização pessoal.

Itália no Brasil

Um voo histórico de solidariedade: A ajuda humanitária da Itália ao Rio Grande do Sul.

Cidadania Italiana

Investigação revela esquema de corrupção envolvendo falsos certificados de residência em troca de dinheiro e favores sexuais.

Cidadania Italiana

Rodrigo Faro se defende de acusações de envolvimento em esquema de falsificação de documentos para cidadania italiana

Cidadania Italiana

Apresentador de TV, empresários e jogadores de futebol têm processos de cidadania italiana cancelados na região de Nápoles.

Cotidiano

Meloni apresentou queixa antimáfia sobre fluxos migratórios.

Cidadania Italiana

Suspensão temporária das audiências durante o período eleitoral e possível greve dos juízes afeta ítalo-brasileiros.

Economia

Relatório Brand Finance Italy 100 de 2024 revela as marcas italianas de maior valor: Gucci lidera