Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Na Itália, não há “dolce vita” para os não vacinados

A partir de 1º de fevereiro, a Itália promete endurecer ainda mais contra os cidadãos não vacinados

dolce vita vacinados
Uma mulher mostra prova de seu status de Covid-19 antes de embarcar em um trem em Roma | Guglielmo Mangiapane / Reuters

A Itália queria dificultar a vida das pessoas que se recusavam a se vacinar contra a Covid-19.

E está funcionando.

Os não vacinados são impedidos de entrar em cafés, restaurantes, cinemas, hotéis, feiras, academias e praticamente todos os outros espaços fechados. Voos domésticos, balsas, trens e transporte público local também estão fora dos limites, assim como os teleféricos.

Patrizia Bianco, uma mulher de 55 anos não vacinada que vive na Ligúria, na costa noroeste da Itália, sente falta de comer macarrão com vegetais em seu restaurante chinês local e beber suco de laranja espremido na hora em cafés à beira-mar em sua pequena cidade. Ela às vezes pega um sanduíche para viagem e come na praia – o único lugar onde ela se sente bem-vinda.

Em uma manhã recente, ela trouxe chá quente e biscoitos de casa e sentou-se na praia observando o mar do que ela chama de “sala de chá da liberdade”.

As regras italianas impedem Bianco de voar internamente ou pegar balsas, levando-a a encontrar uma solução alternativa para chegar à Sardenha, a ilha onde seus pais moram e onde ela tem clientes para sua prática de medicina alternativa.

Na Itália, não há
Não vacinados não podem frequentar restaurantes na Itália | Zuma Press

Para voos internacionais entre a maioria dos países europeus, uma máscara e um teste Covid-19 negativo são suficientes, então ela planeja voar do continente italiano para a Espanha – e depois para a Sardenha. Sua viagem levará 17 horas de porta em porta, em vez das cinco habituais.

Embora o governo tenha fechado muitos aspectos da vida cotidiana para os não vacinados, novas normas sociais formadas ao longo de dois anos da pandemia também empurraram os resistentes para as margens.

“As pessoas não me cumprimentar mais na rua”, disse Bianco. “Se eu dou um passo em direção a eles, eles dão um passo para trás. É triste.”

Medidas mais durasa partir de 1º de fevereiro

A Itália tem estado na vanguarda de um quadro de países europeus, incluindo França e Alemanha, que estão recorrendo a medidas cada vez mais rígidas para pressionar os não vacinados a tomarem uma vacina. Enquanto isso, os países europeus vêm tentando restaurar a vida cotidiana normal para a maioria vacinada.

A partir de 1º de fevereiro, a Itália também planeja impor uma multa de 100 euros a qualquer residente com 50 anos ou mais que não seja vacinado e proibi-los de entrar nos locais de trabalho a partir de 15 de fevereiro.

“Estou surpreso com a resistência [à vacinação] dos maiores de 50 anos”, disse Walter Ricciardi, professor de saúde pública e conselheiro do Ministério da Saúde da Itália. “Parece que eles perderam o instinto de sobrevivência.”

A Itália e outros países separam os vacinados dos não vacinados usando o certificado digital Covid-19 da União Europeia, conhecido na Itália como passe verde, geralmente na forma de um código QR em um celular. O passe básico é dado a uma pessoa vacinada, que se recuperou recentemente da Covid ou que acabou de testar negativo para o vírus. Cada vez mais, no entanto, a entrada em espaços públicos exige o código QR para mostrar a vacinação ou a recuperação: um teste negativo não é mais suficiente.

Na Itália, não há
Manifestantes em Roma protestam contra as regras do Covid-19 da Itália | Zuma Press

O certificado digital Covid atraiu a ira dos não vacinados da Europa e tem sido o foco de protestos públicos. Mas pesquisas mostram que a maioria dos europeus acredita que o passe digital ajudou a restaurar uma aparência de normalidade, mesmo quando a variante Omicron do vírus varre o continente.

Os italianos não vacinados ainda podem ir ao banco, cabeleireiro ou esteticista, mas apenas com um teste negativo recente. A partir de 1º de fevereiro, um teste negativo também será necessário para a maioria das lojas, shopping centers, correios e todos os escritórios do governo. Lojas de alimentos, farmácias e locais de culto permanecerão abertos para vacinas.

A vacinação já é obrigatória para os profissionais de saúde da Itália, policiais e pessoas que trabalham em escolas, universidades e instituições de longa permanência.

A taxa de vacinação da Itália está entre as mais altas da Europa. Cerca de 76% da população do país está totalmente vacinada, enquanto para maiores de 12 anos é de 87%. (WSJ)

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Itália no Brasil

Programa percorre cidades brasileiras para mostrar a influência e o legado do povo italiano no país.

Cidadania Italiana

Projeto de Lei no Senado Italiano gera debate sobre possíveis mudanças na cidadania italiana.

Cidadania Italiana

Val di Zoldo: Desafios administrativos, protestos e o embate com a cidadania ítalo-brasileira.

Cotidiano

Facilite sua vida na Itália em 2024 com esses 16 aplicativos essenciais.

Cotidiano

Itália desafia limites: Quer a construção da ponte suspensa mais longa do mundo.

Cidadania Italiana

Subsecretário italiano afirma que a Lei 91 de 92, que rege a cidadania no país, está adequada e não deve ser alterada.

Cidadania Italiana

As regras para obtenção de cidadania italiana por meio de ascendência vão mudar em 2024? O que dizem os profetas do medo?

Arte & Cultura

Russell Crowe revela orgulho por suas raízes italianas durante o Festival de Sanremo.

Destinos

Preparando o terreno: estratégias inteligentes para economizar nas reservas de voos para a Itália.

Cidadania Italiana

A italianidade que corre nas veias: por que limitar o direito à cidadania?

Estilo de vida

Descubra as razões por trás da diferença entre o Dia dos Namorados no Brasil e na Itália.

Cotidiano

Deputado Fabio Porta insta governo italiano a agir com urgência no acordo de conversão de CNH com o Brasil.