Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cidadania Italiana

A história de La Veloce Navigazione Italiana a Vapore

Acredita-se que o La Veloce teria transportado cerca de 30 milhões de pessoas em quase 50 anos

Se sua família emigrou da Itália para o Brasil, é muito provável que ela tenha desembarcado em um dos navios de La Veloce Navigazione Italiana. A empresa tinha, em 1884, uma frota com 83 embarcações.

A Veloce começou como uma linha de navios a vapor de duas chaminés (e construída quase inteiramente de madeira), criados por Giovanni Lavarello. Era conhecida como “Società Giovanni Battista Lavarello & Co” e fez viagens entre a Itália e a América do Sul. 

Quando Giovanni se juntou ao irmão em 1884, nasceu a La Veloce, com um frota de navios a vapor velozes e modernos, que alcançavam 16 nós de velocidade – daí o nome.

Acredita-se que o La Veloce teria transportado cerca de 30 milhões de pessoas em quase 50 anos. Mas não era somente pessoas que a frota transportava: a empresa trazia correspondências e encomendas para a América do Sul. Atuando como um correio, aLa Veloce tinha seu próprio carimbo.

A partir de 1889, os bancos alemães começaram a adquirir ações da empresa e, em 1899, já tinham participação majoritária. A empresa dos fundadores originais (Fratelli Lavarello) foi adquirida juntamente com sua frota em 1891.

Por volta de 1900, os bancos italianos e a Navigazione Generale Italiana (NGI) compraram ações dos alemães e, em 1901, a empresa passou a ser efetivamente controlada por eles.

Em 1892, 43 mil emigrantes italianos haviam partido para a América do Norte, enquanto em 1901 o total aumentou para 125 mil. A La Veloce iniciou um serviço de Gênova e Nápoles para Nova York (a primeira partida foi em 15 de março de 1901, com o navio Duchessa di Genova ).

Duchessa di Genova

Savoia era o navio a vapor de destaque da Companhia. E com o apoio de três novas aquisições (Italia, Argentina e Brasile ) todos os quatro permaneceram a serviço da América do Sul até 1912 (o quinto grande navio, o Venezuela, foi destruído após encalhar perto do porto de Marselha).

Solidariedade

Em dezembro de 1908, a cidade de Messina, na Sicília, sofreu um violento terremoto, que matou milhares de pessoas e deixou quase todos os sobreviventes desabrigados. 

A La Veloce colocou três navios à disposição das autoridades: Nord AmericaSavoia Citta di Napoli, para servir como bases de emergência, acomodando milhares de refugiados. 

Os três navios foram enviados a Messina como navios de acomodação para sobreviventes do terremoto. O Nord America foi posteriormente utilizado como navio cargueiro e, em 5 de dezembro de 1910, na viagem de volta de Buenos Aires com uma carga de cavalos, encalhou na costa de Marrocos (então foi reflutuado e rebocado para Gênova, levado para a amarração por um tempo e desfeito).

Em 13 de junho de 1910, com a aprovação da lei dos acordos marítimos, foi criada a Sociedade Nacional de Serviços Marítimos (Società Nazionale dei Servizi Marittimi ), à qual o NGI cedeu grande parte de sua frota, deixando de administrar a rede de rotas subsidiadas no Mediterrâneo. Este setor de tráfego foi deixado inteiramente para a SNSM, concentrando seus interesses nas rotas para as Américas e mantendo apenas 19 navios em linha.

O nome oficial passou a ser La Veloce Navigazione Italiana a Vapore, que foi adquirida pelo NGI em 1924 e liquidada como uma empresa separada.

Lista de rotas de acordo com o ano:

  • 1883 – 1924: Gênova / Nápoles / Palermo – Las Palmas – América do Sul
  • 1901 – 1922: Gênova / Nápoles / Palermo–- Nova York / Filadélfia
    Alguns serviços para Nova Orleans e América Central.

Lista de naviosLa Veloce Navigazione Italiana a Vapore

  • America – 1909 – foi vendido para a Navigazione Generale Italiana em 1912.
  • Argentina – 1905 –renomeado Brasile em 1913, vendido para a Italia Line em 1914.
  • Bolonha – 1905 – comprado da Navigazione Generale Italiana em 1913, adquirido pelo NGI em 1924, sucateado em 1928.
  • Brasile (1) – 1905 – vendido para a French Line em 1912 e renomeado Venezuela.
  • Brasile (2) – Ver Argentina.
  • Calabria – 1876 – Ex- Princess Royal, compradoa de Langland & Sons Glasgow, em 1901, renomeado Calabria, vendido para NGI em 1905.
  • Centro America – 1897 – vendido para Navigazione Generale Italiana em 1908, renomeado Solunto.
  • Citta di Genova (1) – Ver Matteo Bruzzi.
  • Citta di Genova (2) – 1889 – comprado de F.Lavarello em 1891, vendido à Soc. Generale de Transports Maritimes em 1898, virou Marselha e renomeado Savoie.
  • Citta di Milano –1897 – foi vendido para a Sitmar Line em 1914, rebatizado para Albânia.
  • Citta di Napoli – Ver Vittoria (2)
  • Citta di Reggio – 1888 – fretado de G. Bertollo em 1905, Gênova, para 2 viagens.
  • Citta di Torino – 1898 – foi vendido para a Sitmar Line em 1914, e renomeado Constantinopoli.
  • Dalmazia – 1920 – Lançado como War Picture, concluído como Dalmazia, vendido para Parodi, Gênova, em 1925.
  • Duca di Galliera – 1883 – Ex-Oaxaca ,foi adquirido da Cia Trasatlântica Mexicana em 1887 e renomeado para Duca di Galliera. Foi sucateado em 1906.
  • Duca di Genova – 1907 – comprado da Navigazione Generale Italiana em 1912, revertido para NGI em 1914, torpedeado e afundado pelo U.64 na costa francesa em 1918.
  • Duchessa di Genova – 1884 – Ex-México, comprado da Cia Transatlântica Mexicana em1887, renomeado para Duchessa di Genova, desmanchado em 1906.
  • Etruria – 1893 – Ex-Halifax City, adquirido de Furness Withy em 1900, renomeado para Etruria, adquirido pela NGI em 1903.
  • Europa (1) – 1872 – transferido de M.Bruzzo & Co em 1884, descartado em 1893.
  • Europa (2) – 1907 – transferido para Navigazione Generale Italiana em 1922.
  • Italia – 1905 – foi vendido para a Navigazione Generale Italiana em 1912.
  • Las Palmas – 1886 – Ex- Giovanni Battista Lavarello, comprado de F. Lavarello em 1891, renomeado Las Palmas. Vendido para Navigazione Generale Italiana em 1905 e renomeado para Ionio.
  • Liguria – 1901 – fretado da Navigazione Generale Italiana em 1909 para apenas 2 viagens.
  • Lombardia – 1901 – fretado da Navigazione Generale Italiana 1909 para apenas 2 viagens.
  • Matteo Bruzzi – 1882 – Ex-Golconde, adquirido da Cie. Fraissinet por M. Bruzzi em 1883 e renomeado Matteo Bruzzi em 1884, incorporado a La Veloce em 1899 e renomeado Citta di Genova, desmanchado em 1907.
  • Montevideo – 1869 – Ex-Citta di Napoli, foi comprado de F. Lavarello em 1891 e rebatizado para Montevidéu, foi sucateado em 1899 após encalhar no Rio de la Plata, entre Argentina e Uruguai.
  • Napoli – 1870 – Ex-Colombo, foi transferido de M.Bruzzo & Co em 1884 e rebatizado para Napoli, foi abandonado na costa brasileira em 1893 e naufragado.
  • Nord America – 1882– Ex-Castelo Stirling, foi adquirido por M.Bruzzo da Thos.Skinner & Co (Londres) em 1883, renomeado Castelo Nord America Stirling. Foi transferido para La Veloce em 1888 e renomeado para Nord America. Em 1909 tornou-se apenas cargueiro. Em 1911 foi sucateado após encalhar no Marrocos.
  • Oceania – 1909 – Em 1912 foi renomeado para Stampalia. Em 1915 virou um navio de tropas, em 1916 foi torpedeado e afundado pelo UB.47 no Mar Egeu.
  • Piemonte – 1895– Ex-St. John City, foi adquirido de Furness Withy em 1899, e renomeado Piemonte. Em 1903 foi adquirido pela NGI.
  • Rio de Janeiro – 1888 – Ex-Adelaide Lavarello, foi adquirido de F.Lavarello em 1891 e renomeado Rio de Janeiro. Foi vendido para Soc. Gen. de Transp. Mar, Marseilles, em 1899, e renomeado Alsace.
  • Rosario – 1887 –Foi comprado de F.Lavarello em 1891, depois foi vendido para Cie. Mixte (Marselha) em 1898, passou a se chamar Djurjura.
  • Savoia – 1897 – Em 1915 virou navio de tropas, em 1919 ficou em desuso, e em 1923 sucateado.
  • Siena – 1905 – Em 1913 foi comprado da Navigazione Generale Italiana, em 1916 foi bombardeado e afundado pela U.35 no Golfo de Lyon; perda de 46 vidas.
  • Stampalia – Ver Oceania.
  • Sud America (1) – 1872 – Em 1884 foi transferido de M.Bruzzo & Co. Em 1888 foi afundado em colisão com a França s / s (SGTM) em Las Palmas; perda de 87 vidas.
  • Sud America (2) – 1868 – Ex-Mentana, foi comprado de F. Lavarello em 1891. Em 1901 foi descartado.
  • Umbria – 1901 – Em 1912 foi comprado da Navigazione Generale Italiana, em 1913 foi vendido para a Italia Line e renomeado San Paulo.
  • Venezuela (1) – 1898 – Em 1908 foi vendido para a Navigazione Generale Italiana.
  • Venezuela (2) – 1904 – Ex-Caserta, foi adquirido da Navigazione Generale Italiana renomeado Venezuela em 1923, e descartado em 1928.
  • Vittoria (1) – 1883 – Ex-Tamaulipas, foi comprado da Cia Transatlântica Mexicana em 1887, renomeado Vittoria, em 1899 pegou fogo, ficou encalhado em Alicante, rebocado para a Itália e sucateado.
  • Vittoria (2) – 1871 – Ex-Maasdam, em 1902 foi adquirido da Holland America Line, renomeado Vittoria, e em 1902 foi renomeado para Citta di Napoli, em 1910 foi descartado.
  • Vittorio Veneto – 1918 – ex- War Joy, em 1919 foi adquirido de The Shipping Controller, Londres, renomeado Vittorio Veneto, e em 1924 foi adquirido por NGI.
  • Washington – 1880 – Em 1905 e 1907 foi fretado da Navigazione Generale Italiana para duas viagens de ida e volta.

Com informações de Origine, Museu da Imigração do Estado de São Paulo e The ships list.

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

O ranking mostra o posicionamento, o número de famílias e o número de municípios em que os sobrenomes italianos estão espalhados.

Destaque do Editor

Descubra como obter a cidadania italiana de forma segura e eficiente!

Estilo de vida

A Festa della Mamma foi introduzida no calendário na década de 1950

Cidadania Italiana

Ao contratar um advogado para processo de cidadania italiana, opte por um que mantenha representante no Brasil.

Cidadania Italiana

Senador Roberto Menia reforça críticas sobre reconhecimento da cidadania italiana no Brasil.

Cidadania Italiana

Cidadania negada: Quando a sobriedade é muito mais que uma questão de etiqueta.

Itália no Brasil

Consulado Geral da Itália em São Paulo: Uma pequena itália na maior metrópole brasileira.

Economia

Consultoria fez estudo sobre taxa de sobrevivência de companhias.

Esporte

Eventos em memória do brasileiro vão durar até o início de junho.

Cidadania Italiana

Caixa de pandora sul-americana: reconhecimento de cidadanias italianas sob suspeita.

Cidadania Italiana

Passaporte em todo lugar: A partir de julho, correios italianos facilitam renovação e emissão

Política

Premiê da Itália divulgou mensagem pelo Dia da Libertação.