Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Itália no Brasil

Lorenzato vence enquete sobre eleições na Itália em setembro

Atual deputado Luis Roberto Lorenzato ficou em primeiro lugar na enquete com 25,33% dos votos

Lorenzato vence enquete
Lorenzato vence enquete sobre eleições na Itália em setembro | Divulgação

O deputado Luis Roberto Lorenzato (Lega) foi o vencedor da enquete realizada pelo Italianismo para saber em quem o eleitor pretende votar nas eleições de 25 de setembro como seu representante no Parlamento italiano.

Ação Contra as filasAção Contra as filas

Ele ficou em primeiro lugar com 25,33% dos votos dos internautas, mais que o dobro da preferência pelo segundo nome mais lembrado, o de Stephania Puton, que teve 12,36%.

Na sequência, os mais votados foram Fabio Porta (11,05%), Renata Bueno (9,14%), Daniel Taddone (8,50%), Luis Molossi (5,81%), Fausto Longo (4,98%), Walter Petruzziello (2,84%), Luciana Laspro (2,63%) e Wálter Fanganiello (2,84%). Por fim, 14,52% dos internautas clicaram em “nenhuma das opções”.

A enquete ficou à disposição para participação dos internautas na home do Italianismo entre os dias 22 e 26 de julho e recebeu o total de 5097 votos.

Resultado final da enquete sobre eleições na Itália em setembro

Indefinições

Vale lembrar que os nomes foram sugeridos pelo Italianismo com base em sua atuação e influência na comunidade ítalo-brasileira e os resultados não têm caráter oficial.

Alguns já definiram que não serão candidatos, como a segunda colocada na enquete, Stephania Puton, assim como Daniel Taddone e Walter Petruzziello.

O atual deputado Fausto Longo (Partido Democrático) não será candidato para um novo mandato e o senador Fabio Porta (Partido Democrático) ainda não definiu se vai concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados ou no Senado Italiano.

Por outro lado, Andrea Matarazzo, do Partido Socialista Italiano, ex-embaixador do Brasil na Itália e candidato a prefeito de São Paulo em 2020, confirmou que pretende disputar a uma vaga no Parlamento da Itália.

Eleições antecipadas

As eleições para o Parlamento italiano, inicialmente previstas para março de 2023, foram antecipadas para 25 de setembro após a renúncia do primeiro-ministro Mario Draghi.

A reforma política aprovada em 2020 reduziu o número de representantes do exterior no Parlamento da Itália de 18 (12 deputados e seis senadores) para 12 (oito deputados e quatro senadores).

Desse total, a circunscrição da América do Sul terá direito a dois deputados e um senador.

200

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

Faltam menos de dois meses e Giorgia mostra-se firme na defesa das suas convicções em público ou no universo digital

Cotidiano

Coalizão conservadora é favorita à vitória em 25 de setembro

Cotidiano

Cidadãos têm até 31 de julho para decidir se querem votar no comune nas eleições de 25 de setembro

Cotidiano

O Brasil corre sério risco de não ter representante na Câmara dos Deputados da Itália na próxima legislatura

Cotidiano

Inicialmente prevista para março de 2023, antecipação de eleições italianas pegou de surpresa candidatos ítalo-brasileiros

Cotidiano

Os cinco referendos são revogatórios, ou seja, propõem a supressão parcial ou total de leis ou normas judiciárias em vigor na Itália

Itália no Brasil

Novos representantes brasileiros no Conselho Geral de Italianos no Exterior (CGIE) foram eleitos neste sábado (09)

Itália no Brasil

O CGIE é um órgão representativo das comunidades italianas no exterior

Cotidiano

Os italianos estão tentando eleger um novo Presidente. Desde segunda-feira, já foram quatro votações inconclusivas. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Terminou sem vencedor a primeira votação no Parlamento da Itália para eleger o próximo presidente da República, realizada nesta segunda-feira (24).    Deixa o seu...

Cotidiano

Bloco de centro-direita da Itália apoia candidatura de Berlusconi à Presidência, diz Salvini

Cotidiano

Votação indireta começará em 24 de janeiro; eventual vitória do premier pode levar a eleição geral antecipada