Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Comer e beber

Itália continua como maior produtora mundial do vinho em 2021

Apesar da queda de produção de 9% (44,5 milhões de hectolitros), a Itália continua como maior produtora mundial do setor

Itália maior produtora vinho
Itália continua como maior produtora mundial do vinho

A produção mundial de vinho em 2021 deverá ser 4% menor do que em 2020, com uma estimativa média de 250,3 milhões de hectolitros (mais de 33 bilhões de garrafas). 

Este valor – publicado pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) em um relatório baseado em informação recolhida em vinte e oito países – aproxima-se do nível de 2017, considerado o mais baixo da história.

Só na União Europeia, “devido às geadas do final da primavera e às condições climáticas geralmente desfavoráveis”, diz a OIV, a perda é de 21 milhões de hectolitros ano a ano (-13%) com uma produção de 145 milhões de hectolitros (excluindo suco e mosto).

Enquanto alguns países estão melhor com resultados aumentados, como Portugal (6,5 milhões de hectolitros + 1%), Romênia (5,3 milhões de hectolitros + 37%), Hungria (3,1 milhões de hectolitros + 4%) e Alemanha (8,4 milhões de hectolitros + 4%), os maiores produtores mundiais estão apresentando um claro declínio. 

A Itália, maior produtora mundial do setor, apresenta queda de produção de 9% (44,5 milhões de hectolitros). 

A França, segunda em 2020, produziu apenas 34,2 milhões de hectolitros, uma queda de 29% em relação ao ano anterior. 

Acrescentando episódios de míldio (um fungo parasita) às desvantagens das vinhas europeias, a França “foi quem mais sofreu com os efeitos de uma safra desastrosa”, diz o relatório.

Essa retração – “seu menor volume de produção desde 1957”, segundo Pau Roca, Diretor-Geral da OIV – permitiu que a Espanha (35 milhões de hectolitros, ou -14%) assumisse, por uma margem estreita, o segundo lugar mundial. Um evento que não acontecia desde 2013.

Itália, Espanha e França representam 45% da produção mundial. No geral, esses três países perderam cerca de 22 milhões de hectolitros em comparação com 2020.

Por outro lado, 2021 está se revelando um ano muito bom para os vinhedos do hemisfério sul (exceto para a Nova Zelândia e seus -19%). 

Produção recorde foi registrada na América do Sul (+ 60% para o Brasil, + 30% para o Chile, + 16% para a Argentina), África do Sul (10,6 milhões de hectolitros + 2%) e Austrália (14,2 milhões de hectolitros + 30%). 

Os Estados Unidos também tiveram um aumento de 6%, com 24,1 milhões de hectolitros.

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

O ranking mostra o posicionamento, o número de famílias e o número de municípios em que os sobrenomes italianos estão espalhados.

Cotidiano

Prefeito perde batalha contra ítalo-brasileiros: A lei falou mais alto. Parece que o jogo virou, não é mesmo, senhor prefeito?

Destaque do Editor

A transmissão da cidadania italiana jure sanguinis pode ser comprovada por qualquer meio, diz a Corte de Cassação da Itália

Cidadania Italiana

Ao contratar um advogado para processo de cidadania italiana, opte por um que mantenha representante no Brasil.

Cidadania Italiana

Cidadania italiana irregular: 92 cidades da província de Nápoles entram em investigação.

Cidadania Italiana

Silmara Fabotti, líder de esquema de cidadania italiana falsa, planejava fugir da Itália, relata juiz.

Cidadania Italiana

Descaso com o Codice Fiscale: Conselheiro do CGIE denuncia "Gaming the System" nos consulados.

Cidadania Italiana

A crescente diáspora italiana: Migração em massa em busca de melhores oportunidades e realização pessoal.

Cidadania Italiana

Passaporte em todo lugar: A partir de julho, correios italianos facilitam renovação e emissão

Itália no Brasil

Um voo histórico de solidariedade: A ajuda humanitária da Itália ao Rio Grande do Sul.

Itália no Brasil

Aviso por correio convoca os eleitores para participarem das eleições do Parlamento Europeu de 2024.

Cidadania Italiana

Investigação revela esquema de corrupção envolvendo falsos certificados de residência em troca de dinheiro e favores sexuais.