Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo
bambozzi
Armando Bambozzi foi prefeito de Matão, no interior de São Paulo, entre 1964 e 1968

Herança italiana

Bambozzi: metalúrgica fundada por italianos há mais de um século

A família Bambozzi chegou ao Brasil no final do século 19 e se estabeleceu em Matão, onde criou tecnologias e construiu um império

O Grupo Bambozzi, gigante na área metalúrgica, foi fundado há 111 anos por uma família italiana. Os irmãos Bambozzi chegaram ao país em 1898.

Na onda de imigração que trouxe milhares de italianos ao Brasil, na esperança de encontrar trabalho e formar suas famílias, os irmãos Basílio e Ferdinando Bambozzi desembarcaram no país em janeiro de 1898, juntamente com o restante da família.

Os italianos, que vieram da região de Marche, que fica na área central da Itália – Ferdinando e Basílio nasceram em Ancona –, se estabeleceram no interior do Estado de São Paulo, mais precisamente no município de Matão.

Em sua nova cidade, os irmãos italianos fundaram em 15 de junho de 1910 a primeira versão do Grupo Bambozzi, em um terreno na zona rural de Matão.

Era a Officina Irmãos Bambozzi, que na época consertava implementos agrícolas, carroças e armas de fogo com tanto capricho que começou a ficar conhecida por seus produtos e serviços que “duravam muito”.

Bambozzi muda de ramo

Já em 1920, a empresa trocou de nome, passando a se chamar somente Bambozzi, e trocou de ramo e de endereço também, pois acabou se instalando na região central da cidade. Nos serviços, os irmãos passaram a incluir a fabricação de arados, carpideiras, bico de pato para capinar e arar cafezais e carpideira de três enxadas muito leves, entre outros produtos.

Bambozzi
Antonio Bambozzi

Em 1930, a Bambozzi começou a fabricar geradores para produzir energia elétrica em sítios, fazendas e até em pequenas cidades. No mesmo período, o grupo decidiu ampliar o mercado e produzir máquinas de sorvete, geladeiras automáticas, equipamentos para indústria e para fins elétricos e fundição de ferro, bronze e alumínio. Além disso, os irmãos começaram a reformar motores a gás, gasolina, vapor, óleo cru e querosene.

Vale lembrar que o Brasil estava em plena expansão industrial e, naquele contexto, os irmãos fabricavam os primeiros aparelhos frigoríficos do país, incluindo balcões, geladeiras e geradores de energia elétrica. Com isso, os Bambozzi passaram a fornecer seus produtos para muitos clientes.

Bambozzi
A Bambozzi está presente no agronegócio brasileiro

Máquina de solda

Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1939, a empresa se deparou com um obstáculo, mas acabou se reinventando. O gás sulfuroso, presente na fabricação de geladeiras, foi proibido em todo o mundo. Naquele mesmo ano, com a descoberta do primeiro poço de petróleo do país em Salvador, na Bahia, a empresa firmou parceria com a Petrobrás.

No final da Segunda Guerra, em 1945, a Bambozzi entrou em uma nova era, reconhecida mundialmente com o advento da máquina de solda e alternadores. A empresa lançou a primeira máquina de solda elétrica fabricada na América Latina. Esse feito reforçou as características da segunda geração da família Bambozzi, de manter a criatividade e buscar novidades, resultando em um grande salto para o grupo.

Bambozzi
A Bambozzi fabrica máquinas de solda desde 1945

Com a invenção já funcionando em uma oficina no Paraná, a empresa entrou para o mercado brasileiro de metalomecânica, passando a se chamar Fábrica de Máquinas Hidráulicas e Elétricas Bambozzi S/A e, pouco depois, Bambozzi S/A Máquinas Hidráulicas e Elétricas.

Bambozzi começa a exportar

Em 1956, agora já alavancando para projeção internacional, a Bambozzi abriu espaço para sua terceira geração e realizou a primeira exportação para o México. Poucos anos depois, expandiu sua linha de produtos e começou a alcançar países dos quatro continentes.

Ao longo das décadas, as máquinas Bambozzi foram responsáveis por grandes obras que ajudaram a construir o país. Entre as obras com participação da tecnologia Bambozzi estão as construções de Brasília (1956), da refinaria de Duque de Caxias, a primeira do Brasil (1961), da Ponte Rio-Niterói (1968), da Usina de Itaipú (1971), da linha do Metrô de São Paulo Jabaquara-Santana (1974) e do Gasoduto Brasil-Bolívia (1999).

Bambozzi
Sede da empresa na cidade de Matão

As obras no Rio de Janeiro para os Jogos Panamericanos do Brasil, em 2007, também tiveram participação do grupo, assim como as obras para a Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016.

Ramificações

A Bambozzi segue como empresa de administração familiar e se orgulha de não depender de capital estrangeiro, mesmo nos períodos de crise.

Além de acompanhar as diversas inovações na tecnologia dos maquinários que fabrica, a Bambozzi incluiu ao longo dos anos outros produtos e serviços, o que resultou em uma adequação da empresa para atender melhor seus clientes de diversos segmentos.

Com isso, hoje o Grupo Bambozzi é constituído por quatro empresas, especializadas em Geradores de energia, Máquinas de solda, Reforma de máquinas e Talhas e moto esmeril.

Bambozzi
O Grupo Bambozzi se tornou um gigante da indústria brasileira

Herança de trabalho

A história da família Bambozzi em Matão não se limita às atividades industriais. O prefeito de Matão entre 1964 e 1968 foi Armando Bambozzi, filho de um dos irmãos fundadores da empresa, Ferdinando Bambozzi, e de Maria Maccagnan. Ele morreu no dia 6 de julho de 1999, aos 82 anos.

Outro membro da segunda geração da família, Antonio Bambozzi, ex-diretor industrial e membro do Conselho Executivo do grupo, morreu no dia 4 de dezembro de 2017. Ele também era filho de Ferdinando e Maria.

A empresa segue na família, que leva adiante a herança de trabalho e visão empreendedora dos irmãos Basilio e Ferdinando, que chegaram ao Brasil à procura de emprego e acabaram construindo uma das maiores trajetórias de sucesso da indústria brasileira.

Por Roberto Schiavon/Italianismo

* * * * *

Gostou do artigo? Então comente ou compartilhe nas suas redes sociais.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Herança italiana

O siciliano Angelo Del Vecchio veio para o Brasil e passou a fabricar violões amados por várias gerações de músicos

Cotidiano

Um dos fundadores da Marchesan Implementos Agrícolas, ele morreu nesta segunda-feira (03)

Herança italiana

O casal Alexandre e Maria veio para o Brasil e passou a trabalhar na terra, iniciando um legado impressionante para a indústria brasileira

Herança italiana

O imigrante Salvatore Paoletti chegou da Sicília, formou família e construiu uma das empresas mais conhecidas pelos brasileiros

Herança italiana

O italiano Mário Pozzani veio de Verona ainda criança e mais tarde iniciou uma das maiores empresas de transporte rodoviário do país

Herança italiana

O italiano Galliano Billi chegou ao Brasil no pós-guerra, fez carreira na indústria farmacêutica por 16 anos e depois fundou a Eurofarma, uma gigante...

Herança italiana

Família Dalla Vecchia chegou da Itália em 1888 e o filho Remígio fundou uma loja de bicicletas

Herança italiana

O jovem italiano veio para o Brasil no final do século 19 e construiu uma das mais tradicionais empresas do país

Herança italiana

O italiano Antônio Bardella veio aos seis anos para o Brasil e abriu uma oficina que se transformou em uma das mais poderosas indústrias...

Herança italiana

Os irmãos Scodro chegaram ao Brasil após a Segunda Guerra Mundial e criaram a rosquinha que marcou gerações de brasileiros

Herança italiana

Família de Santo Cereser construiu uma marca quase centenária, que conquistou gerações de brasileiros

Herança italiana

Imigrantes do Vêneto criaram a milionária rede de restaurantes Frango Assado, a partir de uma barraca de frutas na Via Anhanguera