Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

História

Qual era o tamanho do exército romano?

Tamanho do exército romano
Gigantesco e com custos exorbitantes: o exército dos últimos anos do Império Romano

Gigantesco e com custos exorbitantes: o exército dos últimos anos do Império Romano

Inicialmente composto por alguns voluntários que se alistaram para defender de graça as fronteiras do reino, nos últimos anos do Império, o exército romano era gigantesco e com custos exorbitantes.

Impressionante, multicultural e muito caro. Este se tornou o exército romano nos últimos anos do império. Nada a ver com o primeiro exército, fundado por Rômulo, segundo a lenda, o primeiro rei de Roma, recrutando voluntários das três tribos que formavam a base do reino.

Desde os anos da monarquia, a unidade básica do exército era a legião: a primeira era composta por 3 mil infantarias e 300 cavaleiros, escolhidos entre a população romana com idade entre 17 e 46 anos. Os soldados não eram remunerados e ainda precisavam pagar pelos próprios armamentos: os mais pobres eram a infantaria e os mais ricos os cavaleiros.

Os primeiros “salários” dos soldados surgiram por volta do século V a.C., mas inicialmente eram bastante escassos. Frequentemente, os soldados enriqueciam-se com os “espólios de guerra” e com os “presentes” que os generais ocasionalmente ofereciam às tropas.

Por volta do século 2 a.C. nas legiões, os centuriões que formavam os quadros intermediários da hierarquia militar tornaram-se cada vez mais importantes. Cada centurião comandou o século, primeiro composto por 100 infantaria (até 350 aC) e depois 60/80 infantaria. | AKG / MONDADORI
NA ÉPOCA DE HANNIBAL

Com o nascimento da República, o exército foi dividido em duas legiões, cada uma comandada por um cônsul e composta por no máximo 10 mil legionários e cerca de 600 cavaleiros.

Quando Aníbal cruzou os Alpes (218 a.C.) para descer em direção a Roma, o exército romano já havia crescido e contava com 23 legiões que guarneciam a Itália, Ilíria (península balcânica), Sardenha, Sicília e a Gália Cisalpina.

O IMPÉRIO

Mais de 150 depois, quando César foi morto (44 a.C.), as legiões de 23 passaram a ser 37 e depois da guerra civil entre César e Otaviano aumentou ainda mais.

Algumas delas foram estabelecidas na Macedônia, no Oriente, e outros na África. No entanto, sua gestão não foi isenta de problemas. Também por isso Augusto tentou reformá-las, criando um exército profissional composto por 28 legiões (posteriormente reduzido a 25), composto por um total de 145 mil homens que permaneceram em serviço por não menos de 16 anos.

Aos “profissionais” juntaram-se os simples legionários: no geral o exército imperial nos anos de Augusto acabou incluindo cerca de 250 mil soldados que controlavam um imenso território, que ia do Atlântico ao Eufrates e da Holanda ao Egito.

GRANDES NÚMEROS

Quando falamos sobre o exército, não nos referimos apenas aos legionários. A eles juntaram-se as tropas auxiliares (ou de apoio, recrutadas nos territórios ocupados), as pretorianas (para guardar o imperador e personalidades influentes) e a frota militar.

Com o tempo, o crescimento das forças armadas não parou: com Septímio Severo (145-211) o exército somava 442 mil unidades, enquanto no século III a máquina de guerra atingiu cerca de 500 mil soldados, dos quais 200 mil legionários.

Naqueles anos, os gastos militares absorviam cerca de 75% do orçamento do Estado (os gastos “sociais” eram quase inexistentes, o resto era gasto na construção em Roma e nas províncias). 

O auge do exército foi alcançado durante o reinado de Constantino (272-337), quando os soldados eram cerca de 645 mil. (Focus)

LEIA TAMBÉM

O traçado das estradas do Império Romano transformado em linhas de metrô

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Comer e beber

Pandemia colocou em risco excelentes alimentos italianos. Associações e produtores correm para salvá-los

Destinos

Vocalista dos Rolling Stones comprou casa em Portopalo di Capo Passero, na província de Siracusa, na Sicília

Cotidiano

Autoridades buscam alternativas para estimular o público. Principalmente os Antivax

Cotidiano

Na sexta-feira, 15 cidades deverão estar em alerta vermelho (incluindo Roma, Florença e Palermo) devido ao calor

Cotidiano

Ricardo Ferraz comanda gelateria em Foligno

Cotidiano

Robô submarino tira fotos do navio e da carga de ânforas que datam do século II a.C.

Cotidiano

Oliveira de Tanca Manna ficava no município de Cuglieri, que foi severamente atingido pelas chamas

Cotidiano

As autoridades ainda estão em alerta para possíveis novos focos de incêndio nos próximos dias.

Cotidiano

Os britânicos pretendem investir na Sicília: 900 casas em 30 cidades pitorescas da ilha

Estudar na Itália

O levantamento é a principal referência em qualidade universitária na Itália

Cotidiano

A obra, que ficará visível até 18 de julho, é inspirada no projeto inacabado do gênio renascentista.

Cotidiano

A Itália, campeã da Eurocopa, retornou a Roma. Hoje, espera-se que os Azzurri se encontrem com Mattarella e Draghi