Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Italianos não entendem motivos da atual crise política

Perplexa, Itália vive dias decisivos para futuro do governo.

italianos crise
Italianos não entendem motivos da atual crise política| Foto: La Stampa

Quase um em cada dois italianos (46%) não entendeu as razões da crise política que vive o governo da Itália

Uma grande perplexidade, provavelmente agravada pelo momento dramático que a Itália e o resto do mundo estão enfrentando na luta contra a pandemia. 

Esse é o ponto principal que aparece na pesquisa realizada pela Ipsos, para o canal La7

Mas se um país praticamente dividido ao meio pensa sobre essa questão, a opinião dos italianos se reagrupa, rejeitando decisivamente a estratégia política do líder da Itália Viva Matteo Renzi.

Ele está engajado por quase três semanas em um duro e cansativo cabo de guerra contra o Palazzo Chigi e os aliados do Movimento 5 Stelle e o Partido Democrata.

Italianos: Renzi busca seus interesses pessoais com a crise

Na crise, segundo 73% dos entrevistados, Renzi busca principalmente seus “interesses pessoais ou seu lado político”. 

Apenas uma parte residual dos italianos (13% para ser preciso), em vez disso, argumenta que o ex-primeiro-ministro está colocando os interesses do país em primeiro lugar; enquanto 14% responderam que não tinham uma opinião clara sobre o assunto. 

No caso de eventuais eleições antecipadas, não é certo que o partido de Renzi conseguiria manter seus assentos na Câmara (30) e no Senado (17).

O partido, no entanto, aparece nas pesquisas de intenção de voto abaixo da cláusula de barreira de 3% para entrar no Parlamento. 

Conte tem 55% de preferência

O primeiro-ministro Giuseppe Conte, embora em menor grau em comparação com o período da primeira onda da pandemia, goza de um amplo consenso em comparação com seus concorrentes políticos. 

E também neste caso, em confronto direto com o líder do Italia Viva, o levantamento da Ipsos mostra que o premiê é preferido por 55%, enquanto Renzi é preferido por apenas 10% da amostra examinada; 35% não opinaram. 

A valorização de Conte, o professor que caiu na política, continua alta (51% contra 27%) até na comparação com o secretário da Lega, Matteo Salvini.

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Mais de Italianismo

Cotidiano

Atualmente, o cargo é ocupado por Sergio Mattarella, que está na reta final de seu mandato de sete anos

Cotidiano

Italianos não querem ir às urnas por temores relacionados ao covid e plano de recuperação econômica

Cotidiano

Giuseppe Conte, primeiro-ministro da Itália, renunciou nesta terça-feira (26) em uma manobra arriscada. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Por 321 a 259 votos, a Câmara dos Deputados da Itália decidiu nesta segunda-feira, 18, manter o primeiro-ministro Giuseppe Conte no cargo. Deixa o...

Cotidiano

A Eurasia estima 55% de chance de o governo da Itália ser reformulado nos próximos dias. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

O premiê da Itália, Giuseppe Conte, desejou nesta quinta-feira (31) um feliz Ano Novo para todos os italianos. Deixa o seu comentário:

Negócios

Números foram apresentados em resposta à Salvini, que declarou guerra contra a gigante da web Deixa o seu comentário:

Negócios

Presidente eleito americano disse que “está ansioso” para trabalhar com Conte Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Primeiro-ministro recebe carta de criança e tenta tranquilizá-lo: Sim, vai ter Papai Noel em 2020 Deixa o seu comentário:

Vida & Estilo

Mesmo sem provas, ex-ministro italiano denunciou fraudes Deixa o seu comentário:

Vida & Estilo

Janelas fechadas e pessoas trancadas em casa. Rascunho do novo decreto agrada governadores Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Premiê italiano decidiu por regras mais brandas, que entram em vigor nesta segunda Deixa o seu comentário: