Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Itália aplica 2 milhões de doses de vacinas em uma semana

Os dados foram atualizados nesta sexta-feira e incluem também o fim de semana da Páscoa.

Itália aplica doses
Itália aplica 2 milhões de doses de vacinas em uma semana

A Itália aplicou mais de 2 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 na última semana, segundo o relatório do governo italiano divulgado neste sábado (10).   

Os dados foram atualizados às 8h da manhã da sexta-feira (9) e incluem também o fim de semana da Páscoa. Ao todo, foram administrados 2.008.057 imunizantes nos últimos sete dias.   

Este é um dos melhores resultados já registrados desde o início da campanha de vacinação em toda a Itália. A semana ainda ficou marcada pela chegada de um volume substancial de doses, equivalente a 3.284.930. 

De acordo com o relatório, 38,79% dos cidadãos maiores de 80 anos já foram totalmente imunizados, enquanto 68,20% receberam apenas a primeira dose da vacina anti-Covid.   

Para estimular a vacinação para este grupo, o comissário extraordinário para a pandemia, Francesco Figliuolo, assinou uma portaria recomendando que a prioridade da campanha de vacinação será idosos acima de 80 anos e pessoas frágeis.   

Atualmente, os percentuais relativos aos italianos entre 70 e 79 anos são muito mais baixos do que os de 80. Nesta faixa etária, de fato, apenas 2,48% foram vacinados com as duas doses e 19,89% com uma.   

Por outro lado, os números são maiores quando envolvem os idosos de residências sanitárias assistenciais (RSA): são 75,53% completamente imunizados e 91,25% parcialmente. Já em relação aos profissionais de saúde, a taxa é de 75,29% e 91,63%, respectivamente.   

Leia também: Lei que flexibiliza vacinação gera polêmica na Itália

Atualmente, a Itália aplica três vacinas anti-Covid diferentes: a da Pfizer/BioNTech, a da Moderna e a da Universidade de Oxford/AstraZeneca.   

Hoje, inclusive, a Agência Italiana de Medicamentos (Aifa) alertou que a segunda dose dos imunizantes da Pfizer e Moderna deve ser aplicada com um intervalo máximo de até 42 dias.   

Segundo o órgão, o ideal é 21 dias para a vacina da Pfizer e 28 dias para a da Moderna. Caso seja necessário atrasar a segunda dose em alguns dias, não se deve, em nenhum caso, ultrapassar o intervalo de 42 dias para ambos os imunizantes.   

A Aifa ainda reiterou que para obter a proteção ideal é necessário completar o ciclo de vacinação com a segunda dose. (Ansa)

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Cotidiano

Poderão entrar no país europeu os turistas que receberam os imunizantes da Janssen, AstraZeneca, Moderna e Pfizer.

Cotidiano

Medida pode beneficiar milhares de cidadãos italianos residentes no Brasil, e que receberam a Coronavac

Cotidiano

Autoridades buscam alternativas para estimular o público. Principalmente os Antivax

Cotidiano

Itália ainda não explicou se o passe verde poderá ser usado por italianos residentes em países de risco, como o Brasil

Cotidiano

Lazio ficou sem acesso ao portal de saúde e à rede de vacinação local; autoridades dizem que ataque pode atrasar imunização

Cotidiano

Itália criou um "Passe verde" para locais fechados, que entra em vigor a partir de 6 de agosto

Cotidiano

98,8% das mortes desde fevereiro não haviam concluído o ciclo de vacinação

Cotidiano

Matteo Salvini, tomou um imunizante contra a Covid-19 nesta sexta-feira (23), em Milão

Cotidiano

Vacina italiana contra a covid-19 em desenvolvimento cria anticorpos em 93% dos casos com uma dose

Cotidiano

Proibição abre exceção para residentes no país europeu. Não há previsão para flexibilizar normas

Cotidiano

Uso de proteção ainda é necessário em locais onde haja aglomeração, como mercados, feiras, ou filas

Cotidiano

A declaração se deu durante coletiva de imprensa em Bruxelas, na Bélgica, depois de dois dias de reuniões entre os líderes da União Europeia