Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Chineses na Itália não enviarão seus filhos para a escola: ‘Não confiamos’

90% dos chineses na Itália não mandarão seus filhos para a escola | Foto: La Nazione

Enquete mostra que 90% não confiam nas medidas de segurança tomadas pelo governo italiano

Mais de 90 por cento das famílias chinesas que residem na Itália têm medo de mandar seus filhos para a escola.

Eles vão mantê-los em casa por pelo menos alguns dias após o início do ano letivo, programado para a próxima segunda-feira, segundo publicou o Corriere della Sera.

É o resultado de um enquete online, ainda em curso, publicada pela WeChat, a rede social mais apreciada pelos orientais, incluindo os emigrantes. 

Em Prato, onde vive a maior comunidade chinesa da Itália – cerca de 50 mil, dos 350 mil em toda a Itália –, a notícia causou espanto, especialmente quando foi publicada no La Nazione por Miaomiao Huang, jornalista oriental que colabora com o jornal toscano.

A pesquisa

O repórter interpretou a pesquisa na qual mais de 7 mil pessoas escreveram que não confiavam nas medidas de segurança tomadas pelo governo italiano, anunciando que manteriam seus filhos em casa sem aulas. 

Como escreve Huang, a pergunta da pesquisa, que circula na web desde o sábado passado, é a seguinte: “A escola italiana está para reabrir. Pais da comunidade chinesa, vocês estão dispostos a mandar seus filhos para a escola?”. 

A grande maioria das pessoas teria respondido negativamente. Alguns motivaram então a decisão de não mandar os filhos à escola, punida por lei, com a má organização da escola italiana que pode gerar confusão e sobretudo provocar uma nova onda de infecções.

O medo

No início da pandemia na Itália, como contam alguns professores de Prato, as crianças e jovens de origem chinesa eram os mais assustados com o coronavírus. 

“Eles sempre vinham para a aula com máscara quando ainda não era obrigatório para nós”, lembra um professor, “e contavam o drama que se passava em seu país, pedindo que nos protegêssemos e desinfetássemos as carteiras porque chegaria a epidemia de Covid-19 aqui também”. 

Em Prato, a comunidade chinesa não foi afetada pelo vírus e sempre esteve particularmente atenta às medidas de prevenção.

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Cotidiano

Em amarelo apenas 7 regiões da Itália. Os outros são vermelhos ou vermelho escuro

Cotidiano

Poderão entrar no país europeu os turistas que receberam os imunizantes da Janssen, AstraZeneca, Moderna e Pfizer.

Comer e beber

O green pass não é apenas o tema principal do verão 2021, agora é também um sabor de sorvete na Itália

Itália no Brasil

O monumento será construído em Azambuja. Prefeito acredita que obra vai atrair mais turistas

Cotidiano

Itália ainda não explicou se o passe verde poderá ser usado por italianos residentes em países de risco, como o Brasil

Cotidiano

Proibição abre exceção para residentes no país europeu. Não há previsão para flexibilizar normas

Cotidiano

Uso de proteção ainda é necessário em locais onde haja aglomeração, como mercados, feiras, ou filas

Cotidiano

De Bono Vox a Anthony Hopkins, passando por George Clooney e Ed Westwick, a busca pelas estrelas na Itália já começou.

Cotidiano

A atriz recebeu as chaves da cidade e inaugurou o restaurante que leva seu nome.

Cotidiano

A Itália deve iniciar a vacinação contra a Covid-19 de todas as pessoas acima dos 16 anos em 3 de junho. Deixa o seu...

Cotidiano

Mais de 9,85 milhões de pessoas já receberam as duas doses; Dois terços das vacinas foram destinados a maiores de 60 anos

Cotidiano

Mais de 25 milhões de doses aplicadas. Até o final do mês, a decisão de imunizar jovens entre 12 e 15 anos.