Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Estilo de vida

Câmara da Itália decide cortar pensões de ex-deputados

Luigi Di Maio: 'adeus aos vitalícios', escreveu líder do Movimento Cinco Estrelas no blog do partido / RICCARDO ANTIMIANI -EFE

Medida cumpre promessa de campanha do Movimento Cinco Estrelas

A Câmara dos Deputados da Itália votou nesta quinta-feira uma lei para cortar as pensões de ex-parlamentares, cumprindo uma promessa do governo do Movimento Cinco Estrelas de reduzir os privilégios dos legisladores.

O corte de vantagens e benefícios dos deputados, vistos como algo bastante impopular, sempre foi uma das plataformas do partido fundado em 2009, que formou um governo no mês passado aliando-se à Liga, partido de direita.

Segundo um levantamento do instituto de pesquisa Vision, um think tank com sede na capital italiana, o custo total para manter a Câmara do país, com 630 deputados, daria para financiar, juntas, as câmaras de Reino Unido, Alemanha, França e Espanha.

Os gastos com as pensões de ex-deputados estão entre as principais queixas do povo italiano, que nos últimos anos foi alvo de uma reforma previdenciária que aumentou a idade para aposentadoria e reduziu os custos de demissões para os cofres públicos.

O novo sistema aprovado pela Câmara corta profundamente as pensões de quase 1.400 ex-deputados, alguns dos quais prometem recorrer da medida na Justiça.

CORTE VALERÁ A PARTIR DE JANEIRO

O corte ocorrerá a partir de janeiro de 2019 e, segundo o porta-voz da Câmara, Roberto Fico, permitirá economizar € 40 milhões (cerca de R$ 180 milhões). Ex-deputados terão pensões cortadas ao menos pela metade e receberão entre € 980 e € 1.470 (aproximadamente R$ 4.400 e R$ 6.600).

“Adeus, vitalícios”, escreveu o vice-primeiro ministro e líder do Cinco Estrelas Luigi Di Maio no blog do partido. “Nosso movimento nasceu em parte para ver dias como hoje, em que se torna realidade o sonho de regras que passam a ser as mesmas para todo mundo, o sonho de ver injustiças apagadas”. Di Maio afirmou ainda que, como parte de uma grande revisão, o governo também pretende cortar as chamadas “pensões douradas” de mais de € 4 mil (R$ 18 mil, em média) que não sejam respaldadas por contribuições pagas anteriormente.

Mas o Senado italiano ainda não adotou a mesma medida para seus 315 legisladores, e a porta-voz da casa, membro do partido de oposição Forza Itália, do ex-presidente Silvio Berlusconi, diz que o novo sistema poderia atingir os “direitos adquiridos” de ex-senadores.

Originalmente publicado em O Globo

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques do editor

Cotidiano

CNH brasileira volta a valer na Itália: novo acordo facilita vida de milhares pessoas

Variedades

Cidade foi devastada pela erupção do Vesúvio, assim como Pompeia.

Cotidiano

Brasileiros residentes no país europeu há menos de seis anos podem solicitar habilitação italiana sem necessidade de novos exames

Notícias

Grupo de 8 companhias participa de feira de fundição em SP.

Cotidiano

Imperia ocupa 1ª posição de ranking elaborado pelo iLMeteo.it

Esporte

O ítalo-brasileiro assumiu o cargo de técnico da Juventus, firmando um contrato de três temporadas, válido até meados de 2027.

Cultura

Mostra 'Oltreoceano' ocorre no Salão Negro do Congresso Nacional.

Notícias

Atualmente, 15% da pesquisa colaborativa é realizada por cientistas paulistas e italianos.

Gastronomia

Referência da gastronomia, TasteAtlas partilha os seus rankings com base na experiência do consumidor.

Variedades

Agente de Registro Civil e intermediador são suspeitos

Cultura

Evento reúne o melhor da produção contemporânea do país europeu.

Gastronomia

'Espaguete da meia-noite' é tradição após shows ou festas.