Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

‘Bônus bicicleta’: o decreto da Itália para incentivar a mobilidade sustentável

“Vale da mobilidade” foi pensado para facilitar a mobilidade sustentável na Itália, e reaquecer a economia

Bônus bicicleta
'Bônus bicicleta': o decreto da Itália para incentivar a mobilidade sustentável | Foto: ImageBank

“Vale da mobilidade” foi pensado para facilitar a mobilidade sustentável na Itália, e reaquecer a economia

120 milhões de euros. Este é o valor que o governo italiano vai disponibilizar para o cidadão que desejar comprar uma bicicleta.

A medida faz parte do decreto anunciado nesta quarta-feira (13), e que visa reaquecer a economia da Itália após a pandemia do coronavírus – o covid-19. Ao todo, o governo italiano vai injetar 55 bilhões de euros – cerca de 368 bilhões de reais – em ações para o comércio, indústria e turismo.

O vale da mobilidade” no valor de até 500 euros, já renomeado pelos meios de comunicação como “bônus de bicicleta”, cobre 60% das despesas com a compra de “veículos de mobilidade pessoal movidos principalmente a eletricidade”, como bicicletas e patinetes elétricos, scooters, segways, hoverboards, monowheels, entre outros, e pode ​​ser solicitado apenas uma vez pelo cidadão e será válido até 31 de dezembro de 2020.

O objetivo da proposta é facilitar a mobilidade sustentável (com foco especial na mobilidade sobre duas rodas) e uma alternativa ao transporte público, especialmente nos horários de pico, por conta do risco de contaminação.

Quem tem direito?

O bônus – de até 500 euros – pode ser usado por todos os cidadãos adultos residentes em municípios com população superior a 50 mil habitantes, incluindo os que moram nos municípios da região metropolitana das grandes cidades, como Roma e Milão, por exemplo.

Como o bônus é pago?

Ainda não foi esclarecido como o bônus será pago. Provavelmente haverá uma plataforma on-line onde o comprador e o vendedor poderão acessar, segundo publicação do Corriere.

De fato, após a compra, carregando o recibo que certifica a compra, o bônus seria creditado em uma conta virtual para ser gasto em outros produtos relacionados à mobilidade, incluindo bilhetes de temporada para transporte público. 

Como alternativa, o comerciante faz o desconto diretamente ao comprador e recupera a diferença através dos documentos de vendas.

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Mais de Italianismo

Cidadania Italiana

Renda baixa na Itália? Aqui estão todos os bônus do INPS que você pode solicitar!

Cotidiano

Cidade ganhou o Prêmio Urbano por iniciativas relacionadas ao ciclismo e mobilidade Deixa o seu comentário:

Negócios

PIB da Itália cresceu 16,1% no 3º trimestre de 2020 em relação aos três meses anteriores Deixa o seu comentário:

Negócios

75% dos italianos fizeram compras online durante o lockdown Deixa o seu comentário:

Negócios

Transações não declaradas, drogas e prostituição movimentaram cerca de 1,3 trilhão de reais Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Giuseppe Conte participou de evento da Confindustria Deixa o seu comentário:

Negócios

A deflação é um sintoma importante de desaquecimento da economia Deixa o seu comentário:

Vida & Estilo

“Médicos, enfermeiros e profissionais da saúde da Itália receberão a partir do próximo mês um bônus pelo trabalho extraordinário realizado durante a emergência do Covid-19″.  Deixa...

Cotidiano

O trabalho informal está completamente bloqueado, diz trabalhador. “Três meses sem trazer um único euro para casa” Deixa o seu comentário:

Negócios

A receptividade dos pequenos investidores é um sinal muito positivo para o mercado, diz analista Deixa o seu comentário:

Turismo

'Bônus férias' de 500 euros é aprovado na Itália

Destinos

Cidades e regiões estão se preparando para dar bônus além dos fornecidos pelo governo