Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Herança italiana

Bardella: o italiano que criou uma gigante da indústria brasileira

O italiano Antônio Bardella veio aos seis anos para o Brasil e abriu uma oficina que se transformou em uma das mais poderosas indústrias nacionais

bardella
Bardella: o italiano que criou uma gigante da indústria brasileira

Antônio Bardella é o italiano fundador da Bardella S.A Indústrias Mecânicas, em 1911. A empresa impulsionou a história da indústria brasileira.

Tudo começou quando o imigrante italiano Antônio Bardella chegou ao Brasil vindo da região do Vêneto, na Itália, aos seis anos de idade, no final do século 19, na onda de imigração que trouxe milhares de italianos ao país naquele mesmo período.

A história conta que, mesmo muito novo, Bardella já era aprendiz de ferreiro na Itália, profissão que deu continuidade no Brasil, onde o sonho de uma vida melhor desde criança o fez aprender muito rapidamente o ofício.

No ano de 1911, na cidade de São Paulo, Antônio Bardella fundou as Officinas Bardella, no bairro da Barra Funda. No início, o empreendimento era voltado à fabricação de grades para fogões, janelas e jardins.

Desenhos da esposa

Naquela época, o jovem italiano, de 28 anos, teve como importante aliada sua esposa Josefina, que já pensava além do seu tempo e dava aulas de corte e costura em uma escola para moças no bairro do Brás, na capital paulista.

Em seu tempo livre, Josefina ajudava o marido Antônio a criar novos desenhos de grades para jardins, que Antônio transformava habilidosamente em peças de ferro exclusivas, trazendo inovação para o mercado.

Antigo anúncio da empresa

Com muito trabalho e criatividade, a Bardella começou a crescer e logo sua história passou a se confundir com a trajetória de crescimento do país. Em 1907, quando o primeiro censo industrial brasileiro apontou somente 3 mil indústrias no Brasil, a economia era dominada por usinas de açúcar, tecelagens de algodão, fundições e serrarias.

Dentro daquele contexto, a Bardella começou a contribuir com o fornecimento de máquinas e equipamentos para todos esses setores. A Primeira Guerra Mundial, em 1914, ajudou no crescimento da indústria brasileira, pois a dificuldade de importação obrigou a produção local de bens de consumo.

Bardella começa a expandir

Como resultado disso, em 1920, o segundo censo industrial apontou 12 mil indústrias no país, um salto de quatro vezes a quantidade anterior. A pequena oficina de Bardella, que em 1916 havia implantado uma fundição, em 1927 entregou a primeira ponte rolante brasileira, construída para uso nas próprias instalações industriais da empresa.

Grua construída pela Bardella

​A partir da década de 1930, com a política de industrialização do governo do então presidente Getúlio Vargas, a Bardella se viu novamente desafiada a acompanhar o desenvolvimento do país.

Vale lembrar que, naquele período, foram criados o Conselho Nacional do Petróleo (1938), a Companhia Siderúrgica Nacional (1941), a Companhia Vale do Rio Doce (1943) e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (1945).

Assim, a Bardella iniciou o fornecimento de pontes rolantes, máquinas e equipamentos para todos os novos setores da economia: siderurgia, metalurgia, mineração e energia.

​Uma característica importante da época foi que a maioria das empresas eram apenas montadoras de equipamentos. Como visionário que era, Antônio Bardella optou por desenvolver e adquirir tecnologia em parceria com empresas estrangeiras.

Diversificação da indústria

Assim que começou a Segunda Guerra Mundial, sua estratégia se demonstrou acertada. Novamente, o Brasil não conseguia importar peças e equipamentos que necessitava para seu crescimento. Com isso, ficou evidente a importância de uma indústria nacional tecnologicamente independente no setor de bens de capital.

Em 1942, a companhia abriu capital e passou a ter ações negociadas na Bolsa de Valores brasileira. Ao mesmo tempo, mudou a razão social para Bardella S.A. Indústrias Mecânicas. ​

De 1950 até o final do século 20, em meio a uma enorme diversificação da indústria brasileira, impulsionada por diversos planos de governo, a Bardella consolidou sua posição como líder no fornecimento de equipamentos para os setores industriais de metalurgia, siderurgia, energia, mineração e portuários.

Essa liderança se deu com o fornecimento de equipamentos com tecnologia própria ou apoiada por acordos com empresas estrangeiras de renome mundial, como Voith, Dresser, Schuler, Mitsubishi, Sorefame, Alstom, Siemens, Rolls Royce e GE, entre outras.

Nesse caminho, a empresa conquistou marcos importantes, como a expansão das suas instalações para a cidade de Guarulhos, em 1970, levando emprego e renda para a região.

Cláudio Bardella: terceira geração da família de imigrantes

Parcerias importantes

Também na década de 1970, a empresa firmou parceria com o grupo português Sorefame, especialista em engenharia e fabricação de equipamentos para hidrelétricas, e construiu uma planta especializada na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo. Na mesma época, em 1974, a Bardella adquiriu participação acionária na Prensas Schuler, tradicional fabricante de prensas para o mercado mundial.

No ano seguinte, o governo brasileiro iniciou a construção da hidrelétrica Itaipú, o que possibilitou a entrega, em 1980, da maior ponte rolante do mundo, com capacidade para 1.000 toneladas, com engenharia e fabricação da Bardella.

Com um novo ciclo de crescimento do Brasil iniciado na década de 1990, a indústria brasileira entrou em plena expansão em diversos setores, como o siderúrgico e o de mineração, para atender às demandas da China, e os setores de petróleo e gás, devido à maior demanda de energia no Brasil.

Interior de uma das unidades da empresa

Em 2001, a Bardella foi associada com a The Timken Company, empresa fabricante de rolamentos. Em 2003, foi iniciada a fabricação de equipamentos para óleo e gás. Já em 2007, foi assinado, junto à Siderúrgica do Atlântico, um contrato para o fornecimento de pontes rolantes. 

Dois anos depois, em 2009, foi assinado pela Bardella um contrato para fornecimento de hidromecânicos para as hidroelétricas de Santo Antônio e Jirau.

O sonho de Antônio Bardella

Recentemente a Bardella S.A. Indústrias Mecânicas vem passando por dificuldades financeiras, assim como muitas indústrias brasileiras, mas segue atuando na produção de bens de capital, fabricando equipamentos e fornecendo serviços de caldeiraria, montagem em escola e usinagem. Está presente no estado de São Paulo, onde possui plantas industriais nas cidades de Sorocaba e Guarulhos.

O grupo se tornou um dos gigantes da indústria brasileira

Como a empresa atua, principalmente, na produção de bens de capital, os compradores que normalmente solicitam os serviços da Bardella são do setor de aço e alumínio, movimentação de cargas, mineração e usinas elétricas. 

Além disso, a empresa ainda presta serviços para indústrias de óleo e gás, de fabricação de trefiladas e barras laminadas. Ainda como parte de suas atividades, a Bardella é controladora da Barefame Instalações Industriais, além da Energo Agro Industrial Ltda

A Bardella também controla, de forma majoritária, a Bardella Administração de Bens e Empresas e Corretora de Seguros. Além do mais, a empresa possui participação na Planihold S.A., na Indústria Metalúrgica e Mecânica da Amazônia (IMMA) e na Durafeno.

Parque industrial da Bardella em Sorocaba

Hoje a empresa é dirigida por Cláudio Bardella, neto de Antônio Bardella, aquele imigrante que chegou ainda menino ao Brasil, com habilidades de ferreiro e o sonho de conquistar um trabalho digno e formar uma família em seu novo país chamado Brasil.

Por Roberto Schiavon/Italianismo

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Mais de Italianismo

Herança italiana

O jovem italiano veio para o Brasil no final do século 19 e construiu uma das mais tradicionais empresas do país

Herança italiana

Os irmãos Scodro chegaram ao Brasil após a Segunda Guerra Mundial e criaram a rosquinha que marcou gerações de brasileiros

Herança italiana

Família de Santo Cereser construiu uma marca quase centenária, que conquistou gerações de brasileiros

Herança italiana

Imigrantes do Vêneto criaram a milionária rede de restaurantes Frango Assado, a partir de uma barraca de frutas na Via Anhanguera

Herança italiana

Nello Mazzaferro é o exemplo clássico da força de trabalho dos oriundi no Brasil

Herança italiana

Cristóforo Randon chegou no final do século 19 e deu início à história de um grupo gigante de soluções para o transporte

Herança italiana

O italiano Giuseppe Cutrale chegou ao Brasil na década de 1930 e deu início a uma das empresas mais fortes da indústria brasileira

Herança italiana

A chegada de Giuseppe e Maria Bellini ao Brasil em 1895 marcou o início de uma aventura que resultou na criação de uma das...

Herança italiana

As famílias Ponzoni, Brandalise e Fontana fizeram história no país com a Perdigão e a Sadia e hoje as marcas estão unidas em dezenas...

Herança italiana

Schincariol e a capacidade de trabalho dos imigrantes italianos na construção das grandes empresas do Brasil

Herança italiana

A trajetória de Angelo Fantin se confunde com o desenvolvimento de Santa Catarina e é marcada pela construção da marca Parati, uma das principais...

Herança italiana

Italiano chegou ao Brasil em 1952 e criou uma marca que se tornou sinônimo de cadeados e fechaduras de qualidade