Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Salvini diz que arrisca 15 anos de prisão por ‘defender Itália’

Vice-primeiro-ministro Salvini acusado por ex-colegas de Governo diz que arrisca prisão por ‘defender Itália’.

Salvini defender Itália
Salvini diz que arrisca 15 anos de prisão por 'defender Itália' | Facebook/Matteo Salvini

O vice-primeiro-ministro e ministro das Infraestruturas italiano disse no sábado (14) que arrisca 15 anos de prisão por “defender Itália”, em uma audiência do caso de migrantes resgatados pela Open Arms, em que ouviu acusações de antigos colegas de governo.

Matteo Salvini é acusado de “sequestro” de 147 migrantes resgatados a bordo de um navio operado pela ONG espanhola Open Arms, a quem negou o desembarque, como parte da sua política de portos fechados, em agosto de 2019.

O Open Arms passou quase três semanas no mar depois de Salvini se ter recusado a dar-lhe autorização para atracar na ilha de Lampedusa.

“Hoje estou em Palermo pela enésima vez, no ‘bunker’ da prisão de Ucciardone, famosa pelo maior julgamento contra a máfia, para o julgamento de Open Arms”, escreveu Salvini no Facebook.

“Arrisco 15 anos de prisão por ter defendido a Itália e as suas fronteiras, salvando vidas e fazendo com que a lei fosse respeitada”, disse o líder do partido Liga.

O agora vice-primeiro-ministro do Governo chefiado por Giorgia Meloni, líder do Irmãos de Itália, era na altura ministro do Interior no primeiro de dois governos de coligação liderados por Giuseppe Conte.

Conte, agora líder do Movimento 5 Estrelas (M5S), a ex-ministra do Interior Luciana Lamorgese e o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Luigi Di Maio foram chamados como testemunhas na audiência de hoje e deixaram testemunhos de que Salvini agia sem dar conta dos seus atos aos restantes membros do executivo.

Di Maio disse que “tudo o que foi feito naquele período (por Salvini) foi para obter popularidade” e que as decisões relativas à sua política de portos fechados não foram tomadas com o acordo dos restantes membros do governo da altura.

“Na maioria das vezes, soubemos da recusa de Salvini de indicar um porto seguro (a um navio) a partir de relatos dos meios de comunicação social e das suas declarações posteriores”, declarou Di maio.

No ano passado, Salvini foi inocentado nem um um caso semelhante relativo aos migrantes resgatados que ficaram retidos no navio da guarda costeira de Gregoretti, em julho de 2019.

Desde 2016, o Italianismo entrega conteúdo de qualidade e gratuito para a comunidade italiana, em língua portuguesa. Se você gostou do artigo que acabou de ler, deixe o seu "like" no botão abaixo. Isso nos motiva a continuar produzindo notícias sobre a nossa Itália.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Publicidade

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

Ministro diz que crise de natalidade na Itália não se resolve substituindo os filhos dos italianos por outros de imigrantes.

Cotidiano

“A esquerda deve desistir, vamos governar este país nos próximos dez anos”, disse Salvini.

Cotidiano

Para Giorgia Meloni, a Itália precisa de um governo que trabalhe rapidamente, tempo a perder

Eleições 2022

Senador da Liga faz campanha contra a imigração em Lampedusa, no sul da Itália

Cotidiano

Em Portugal, partido populista se torna a 3ª força no Parlamento

Cotidiano

Rival é do mesmo campo conservador e soberanista que é encabeçado por Salvini desde 2018

Cotidiano

Matteo Salvini, tomou um imunizante contra a Covid-19 nesta sexta-feira (23), em Milão

Turismo

Ministro anunciou a próxima reabertura do país ao turismo.

Cotidiano

Presidente da Comissão Europeia acredita que experiência de Draghi é recurso extraordinário para toda a Europa

Cotidiano

Draghi anuncia novo governo na Itália e encerra crise.

Cotidiano

Salvador da zona do euro em 2012, Mario Draghi aceitou formar governo de unidade na Itália e substituir Giuseppe Conte

Cotidiano

O pai do primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou nesta quinta-feira (31) que decidiu solicitar a cidadania francesa. Deixa o seu comentário: