Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Itália usará drive-thru da vacina em larga escala

Vacina Italia
Itália usará drive-thru da vacina em larga escala

Imunização deve começar em janeiro. Primeiras unidades serão para hospitais e asilos

A Itália usará um sistema de “drive-thru” da vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 em larga escala de sua população. A doença já infectou quase 1,3 milhão de pessoas e deixou 47,2 mil mortos no país.   

A medida está em um plano de vacinação enviado pelo coordenador das ações do governo contra a pandemia, Domenico Arcuri, aos governadores e aos ministros da Saúde (Roberto Speranza) e das Relações Regionais (Francesco Boccia).   

A imunização contra o Sars-CoV-2 na Itália deve começar em janeiro, com a chegada de 3,4 milhões de doses da candidata desenvolvida pela empresa alemã Biontech e pela multinacional americana Pfizer, que servirão para proteger 1,7 milhão de pessoas (são necessárias duas doses para garantir a imunidade).   

Essas primeiras unidades, segundo Arcuri, serão reservadas para hospitais e asilos. “É prioritário proteger aqueles lugares que representaram o principal canal de contágio e difusão do vírus durante a pandemia.

É possível prever nessa primeira fase a administração da vacina diretamente nas estruturas hospitalares e nos lares para idosos”, diz o documento.   

Para aplicar a vacina, os hospitais terão de demonstrar capacidade de imunizar pelo menos 2 mil pessoas a cada 15 dias e contar com refrigeradores que cheguem a 75ºC negativos, já que o medicamento da Biontech/Pfizer precisa ser mantido a 70ºC negativos.

A distribuição será feita por meio de bolsas de conservação do próprio fornecedor, nas quais as doses podem ficar até 15 dias. 

Campanha de larga escala

Já as futuras outras vacinas serão destinadas a “todas as categorias de cidadãos”, com “modalidades diferentes de administração e por meio de uma campanha de larga escala”. Em seguida, o documento cita como exemplo o “drive-thru”.   

Esse sistema é típico de grandes redes de fast food e permite que o cliente faça a compra sem descer do carro, mas tem sido bastante usado para testagem contra o novo coronavírus na Itália. A ideia de Arcuri é replicar esse modelo na vacinação.   

O país terá acesso às vacinas contra o Sars-CoV-2 por meio da União Europeia, que já fechou contratos relativos a cinco candidatas: Oxford/AstraZeneca, Sanofi-GSK, Janssen, Biontech/Pfizer e CureVac.   

Também estão em curso negociações com a Moderna. Esses acordos já garantem pelo menos 1,2 bilhão de doses para a UE, mas com possibilidade de chegar até 1,9 bilhão. (ANSA).   

LEIA MAIS

­

200

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

A Itália bateu nesta quinta-feira (6) um novo recorde de casos diários de Covid-19 e superou pela primeira vez a marca de 200 mil...

Cotidiano

Vacinação já era obrigatória para profissionais de saúde e outros trabalhadores

Cotidiano

Recorde absoluto de novos contágios pelo terceiro dia consecutivo com recorde de testes feitos; 156 mortos

Cotidiano

Novo pico de casos: nunca tantos desde o início da emergência. Na Lombardia, são 16 mil

Cotidiano

A Itália registrou 36.293 novos casos de Covid-19, totalizando 5.472.469 contágios, informou o boletim diário do Ministério da Saúde. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

As regras estão em uma circular publicada pelo chefe da Polícia de Estado do país

Cotidiano

Nas últimas 24 horas, a Itália registrou mais 20.677 casos de covid-19 e outras 120 mortes, o maior número desde maio

Cotidiano

A multa para quem não respeitar a nova regra varia de 400 a 1.000 euros

Cotidiano

Poderão entrar no país europeu os turistas que receberam os imunizantes da Janssen, AstraZeneca, Moderna e Pfizer.

Cotidiano

Medida pode beneficiar milhares de cidadãos italianos residentes no Brasil, e que receberam a Coronavac

Cotidiano

Autoridades buscam alternativas para estimular o público. Principalmente os Antivax

Cotidiano

Itália ainda não explicou se o passe verde poderá ser usado por italianos residentes em países de risco, como o Brasil