Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Estilo de vida

Itália: Menos de 10% das mortes têm como causa direta o coronavírus

80% dos pacientes que morreram na Itália tinham duas ou três pré-morbidades

Quase 80% dos pacientes que morreram na Itália tinham duas ou três pré-morbidades

O número de mortos pelo coronavírus na Itália vem aumentando assustadoramente a cada dia. Segundo o último relatório divulgado nesta sexta-feira (27), pela Proteção Civil, 86.498 foram contaminadas desde o inicio da pandemia e 9.134 morreram, tornando oficialmente, até então, o país com o maior número de vítimas.

Mas para Walter Ricciardi, representante da Itália no Conselho Executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS) e consultor especial sobre a epidemia, do Ministério da Saúde, a forma como as mortes são registradas no país pode estar impactando no alto número de óbitos entre os italianos. “Por que há tantas mortes na Itália? A questão é a codificação da morte: somente para uma minoria o vírus é a causa real”, diz o especialista em entrevista ao portal TPI.

Walter Ricciardi é representante da Itália no Conselho Executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Menos de 10% das vítimas de fato tiveram como causa direta da morte a Covid-19, enquanto que quase 80% dos pacientes que morreram tinham duas ou três pré-morbidades. “A codificação da causa da mortes, que é realizada em uma base regional, é muito generosa ao atribuir a causa direta da mortalidade ao vírus. Mas, como demonstram os procedimentos de verificação do Istituto Superiore di Sanità, o vírus foi a causa direta da morte apenas em uma minoria de casos, embora certamente tenha infectado e desencadeado um agravamento das condições do paciente”, explica Ricciardi.

No relatório do Instituto Nacional de Saúde da Itália, apresentado no dia 26 de março, com a análise de 2.074 mortes no país, apenas 15 pacientes (2,1%) não tinham quaisquer condições médicas anteriores. Do total, 50,7% dos óbitos eram de pessoas que tinham três ou mais problemas de saúde, outros 25,9% tinham duas e 21,3% tinham uma patologia.

Entre os problemas mais comuns registrados entre os mortos com comorbidade, 73% era de hipertensão, 31,3% de diabetes e 23,7% de arritmias cardíacas.

Siga o Italianismo no Facebook e fique por dentro de tudo sobre a nossa Itália. Clique no botão “Curtir Página” abaixo:

 

 

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Cotidiano

CNH brasileira volta a valer na Itália: novo acordo facilita vida de milhares pessoas

Variedades

Iniciativa quer combater despovoamento de áreas montanhosas.

Variedades

Cidade foi devastada pela erupção do Vesúvio, assim como Pompeia.

Arte & Cultura

Lançado no fim de outubro e exibido em preto e branco, foi o filme que mais faturou com bilheteria na Itália em 2023

Notícias

Grupo de 8 companhias participa de feira de fundição em SP.

Cotidiano

Imperia ocupa 1ª posição de ranking elaborado pelo iLMeteo.it

Turismo

Alta temporada no país vai de junho a setembro.

Arte & Cultura

Exposição 'Life as a Scientist' será aberta no dia 21 de junho.

Cultura

Mostra 'Oltreoceano' ocorre no Salão Negro do Congresso Nacional.

Esporte

O ítalo-brasileiro assumiu o cargo de técnico da Juventus, firmando um contrato de três temporadas, válido até meados de 2027.

Gastronomia

Referência da gastronomia, TasteAtlas partilha os seus rankings com base na experiência do consumidor.

Notícias

Atualmente, 15% da pesquisa colaborativa é realizada por cientistas paulistas e italianos.