Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Herança italiana

Fasano, a família que virou sinônimo de restaurantes e hotéis

Vittorio Fasano chegou em 1890 e, nas décadas seguintes, sua família construiu uma bem sucedida rede de restaurantes e hotelaria de luxo

Vittorio Fasano veio de Milão no final do século 19. Em São Paulo, iniciou a história da rede de restaurantes e hotéis que fez história no país.

O mestre confeiteiro italiano deixou Milão em 1890 para fazer sua vida no Brasil, a exemplo de milhares de imigrantes na mesma época. Ele desembarcou com sua família em Santos e seguiu para São Paulo.

Na capital, o patriarca da família conseguiu emprego na Confeitaria Castelões, no então largo do Rosário. Doze anos depois, em 1902, tornou-se proprietário do negócio, rebatizado de Brasserie Paulista, já com o largo rebatizado também como praça Antonio Prado.

A Brasserie Paulista foi o primeiro empreendimento da família

Nos moldes das casas parisienses que viviam a Belle Époque e frequentado pela elite paulistana, o empreendimento fez grande sucesso.

Fasano retoma herança gastronômica

Com a morte de Vittorio, em 1923, o negócio da família passou a ser administrado por Valente Giannini, casado com Nena, filha mais velha do imigrante italiano. Mais tarde, após Valente comprar a participação de todos os parentes, o empreendimento fracassou.

Enquanto isso, os filhos de Vittorio haviam voltado para estudar na Itália, incluindo o mais novo, Ruggero, que retornou ao Brasil em 1937. Ele já era casado com Ida e tinha dois filhos, Fábio, de 4 anos, e Fabrizio, de apenas 2 anos.

Brasserie Paulista, na Rua Direita, em 1910

Assim, Ruggero retomou o legado gastronômico da família, inaugurando o primeiro restaurante Fasano na rua Vieira de Carvalho, em 1947.

Na década de 50, o Fasano reabriu no tradicional endereço da Brasserie Paulista, na praça Antonio Prado. Na década de 60, o empreendimento chegou à Avenida Paulista, no recém inaugurado Conjunto Nacional, onde foi instalada a Confeitaria Fasano.

Noites memoráveis em São Paulo

Nesse endereço, Ruggero abriu uma confeitaria com Jardim de Inverno e casa de espetáculos, onde foram realizadas apresentações de nomes como Nat King Cole. Os eventos eram prestigiados por celebridades como David Niven, Marlene Dietrich e Ginger Rogers.

O Fasano foi retomado por Ruggero em seu retorno ao Brasil

Em 1982, Fabrizio Fasano, filho de Ruggero, convocou seu filho Gero Fasano, da quarta geração, para abrir um novo restaurante no Shopping Eldorado.

Em 2003, a inauguração do Hotel Fasano São Paulo marca um novo desafio para o grupo e a realização de um sonho de Gero.

Quatro anos depois, o Hotel Fasano Rio de Janeiro é inaugurado em Ipanema e, no mesmo ano, é realizada a fusão com a JHSF. Fundada em 1972, a JHSF é a líder no setor imobiliário de alta renda no Brasil.

Fabrizio Fasano (à direita) e seus filhos

A parceria possibilitou a consolidação da empresa no setor da hotelaria de luxo, com a abertura de unidades em locais até mesmo fora do Brasil, como em Punta del Este, no Uruguai e Nova York, nos Estados Unidos, além de cidades brasileiras como Boa Vista, Angra dos Reis, Belo Horizonte e Salvador.

O legado dos Fasano segue adiante

A empresa tem sua marca em diferentes empreendimentos na área da gastronomia, como os restaurantes Fasano, Gero, Parigi e Bistrot Parigi, Trattoria, Nonno Ruggero e Gero Panini, além dos bares Baretto e Baretto-Londra e Selezione Fasano, uma loja com produtos de gastronomia, cestas presenteáveis e produtos para casa.

O salão de festas com Jardim de Inverno marcou época em São Paulo

O empresário Fabrizio Fasano, que chegou ao Brasil aos dois anos em 1937 com seu pai Ruggero, morreu em novembro de 2018, aos 83 anos. Deixou a esposa Daisy e os filhos Fabrizio Fasano Junior, Gero Fasano e Andrea.

Hoje o grupo é liderado por Gero Fasano, que dá continuidade ao legado do imigrante Vittorio, que chegou ao Brasil para vencer com seu trabalho na nova terra.

Gero e Fabrizio, bisneto e neto do patriarca Vittorio

Por Roberto Schiavon/Italianismo
Crédito das fotos: Assessoria de Imprensa e Reprodução

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Herança italiana

Schincariol e a capacidade de trabalho dos imigrantes italianos na construção das grandes empresas do Brasil

Herança italiana

A trajetória de Angelo Fantin se confunde com o desenvolvimento de Santa Catarina e é marcada pela construção da marca Parati, uma das principais...

Herança italiana

Italiano chegou ao Brasil em 1952 e criou uma marca que se tornou sinônimo de cadeados e fechaduras de qualidade

Herança italiana

Imigrante iniciou empresa que se tornaria uma marca conhecida por várias gerações de brasileiros

Herança italiana

Receita criada no interior de Minas Gerais em 1911 pelos italianos Mário e Isaíra Silvestrini conquistou o Brasil e se tornou enorme sucesso

Herança italiana

O italiano migrou para o Brasil em 1890. Aqui ele fundou um jornal, uma cervejaria e lançou a semente dos refrigerantes Cini.

Herança italiana

Nascido em Roma, em 1889, o jovem luthier Romeu veio para o Brasil para encontrar trabalho

Herança italiana

O imigrante italiano Giovanni Marchesan chegou ao Brasil no final do século 19 e sua família fundou a maior empresa brasileira de implementos agrícolas

Herança italiana

Italiano aprendeu a trabalhar com peças de metal e revolucionou o mercado brasileiro, ao criar as balanças nacionais

Herança italiana

Inaugurada em 1908 por uma família de imigrantes italianos, a Casa Falci ajudou a erguer alguns dos principais monumentos históricos da capital mineira

Herança italiana

Os irmãos Carbone sabem o que é empreender. Giuseppe e Nicola chegaram ao Brasil para vender vinho e criaram a Companhia União de Refinadores...

Herança italiana

Padaria Basilicata iniciou em 1914 em São Paulo com o imigrante italiano Filippo Ponzio. Hoje a empresa é comandada pela quarta geração da família.