Connect with us

Hi, what are you looking for?

Vida & Estilo

Empresa italiana começa a produzir bilhões de frascos para vacina do covid-19

Recipientes que conterão a vacina contra o coronavírus serão produzidos no Vêneto

A vacina ainda não tem previsão para chegar ao mercado, mas os frascos já começaram a ser produzidos. E são bilhões deles.

Boa parte dos recipientes de vidro farmacêutico que chegarão aos quatro cantos do mundo, com a solução milagrosa, será produzida na Itália, mais precisamente no Vêneto.

Governos em todo o mundo estão encomendando centenas de milhões e estão pressionando os produtores a aumentar a capacidade de produção. 

Segundo algumas estimativas, a demanda global por frascos dobrará nos próximos dois anos. 

E entre esses fornecedores está o Grupo Stevanato, que tem sede na pequena Piombino Dese, na província de Pádua.

Fundado em 1949, o grupo é o maior produtor de embalagens de vidro para a indústria farmacêutica do mundo, e para enfrentar a emergência da Covid-19 (e a alta demanda por frascos de vacinas) aumentou o nível de produção.

“Estamos habituados a fornecer várias centenas de milhões de peças para grandes empresas farmacêuticas”, disse o diretor-geral Franco Stevanato, em entrevista ao jornal Corriere della Sera, nesta sexta-feira (11). 

“Temos máquinas que funcionam 7 dias por semana, 24 horas por dia, com processos totalmente automáticos”, completou o CEO. 

Segundo ele, a estimativa é produzir 2 bilhões de frascos para a primeira rodada de vacinações.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Facebook

Leia também:

Cotidiano

Símbolo do drama que chegava à Europa, agora país lida melhor do que vizinhos. Cautela e rigor Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Preocupados com dinamismo do mundo científico, pesquisadores decidem voltar para a Itália Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Algumas das medidas de segurança sanitária prometidas pelo governo italiano não foram cumpridas Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Enquete mostra que 90% não confiam nas medidas de segurança tomadas pelo governo italiano Deixa o seu comentário: