Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Draghi é visto como “salvador” da Itália e da UE

Presidente da Comissão Europeia acredita que experiência de Draghi é recurso extraordinário para toda a Europa

salvador Itália
Draghi é visto como "salvador" da Itália e da UE | Barcroft Media | Getty Images

Mario Draghi não é apenas um rosto familiar na União Europeia, foi o homem que salvou o euro durante a crise financeira, quando a Grécia esteve a beira de ser excluída do moeda única.

Agora, multiplicam-se os votos de confiança no ex-presidente do Banco Central Europeu enquanto novo chefe do governo da Itália.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse, no Twitter, que sua experiência é “um recurso extraordinário não apenas para a Itália, mas para toda a Europa, particularmente num momento tão difícil”.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, disse que espera trabalhar com Draghi na “recuperação da Europa”, sendo que a Itália vai receber 209 mil milhões de euros (28% do total) do fundo de recuperação Próxima Geração União Europeia, para 2021 a 2023.

“Tenho plena confiança no fato de que a experiência, ideias e capacidades de um primeiro-ministro responsável poderão, certamente, dar uma contribuição para um governo eficiente e pró-europeu“, disse Paolo Gentiloni, comissário europeu da Economia e ex-primeiro-ministro italiano.

O grande conhecimento que Draghi tem das instituições da União Europeia será crucial também para relançar globalmente o projeto comunitário, segundo a analista política Teresa Coratella, do Conselho Europeu de Relações Externas.

“Este ano, a chanceler Angela Merkel vai deixar a liderança da Alemanha, pelo que vamos perder uma figura muito importante da política de integração europeia. Há, também, que considerar que o presidente Macron enfrentará em breve eleições em França. Portanto, o papel que Draghi pode desempenhar num momento tão delicado da Europa é muito importante”, disse a analista.

Mas algumas vozes críticas dizem que talvez não seja o melhor líder para promover um modelo de maior inclusão social na Europa, nomeadamente a eurodeputada francesa que é co-líder da esquerda radical no Parlamento Europeu, Manon Aubry: “É um pouco a fantasia dos liberais que pensam que podemos resolver os problemas atuais recorrendo a um banqueiro, quando infelizmente penso que devera acontecer o contrário, agravando esses problemas”.

Espera-se que, pelo menos na Itália, Mario Draghi volte a recorrer ao seu slogan de fazer “tudo que for preciso” para sair da crise. Por EuroNews

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Cotidiano

CNH brasileira volta a valer na Itália: novo acordo facilita vida de milhares pessoas

Variedades

Iniciativa quer combater despovoamento de áreas montanhosas.

Variedades

Cidade foi devastada pela erupção do Vesúvio, assim como Pompeia.

Arte & Cultura

Lançado no fim de outubro e exibido em preto e branco, foi o filme que mais faturou com bilheteria na Itália em 2023

Notícias

Grupo de 8 companhias participa de feira de fundição em SP.

Cotidiano

Imperia ocupa 1ª posição de ranking elaborado pelo iLMeteo.it

Arte & Cultura

Exposição 'Life as a Scientist' será aberta no dia 21 de junho.

Turismo

Alta temporada no país vai de junho a setembro.

Cultura

Mostra 'Oltreoceano' ocorre no Salão Negro do Congresso Nacional.

Gastronomia

Referência da gastronomia, TasteAtlas partilha os seus rankings com base na experiência do consumidor.

Esporte

O ítalo-brasileiro assumiu o cargo de técnico da Juventus, firmando um contrato de três temporadas, válido até meados de 2027.

Notícias

Atualmente, 15% da pesquisa colaborativa é realizada por cientistas paulistas e italianos.