Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Herança italiana

CICA, marca do Elefante, foi fundada por italianos nos anos 40

O empresário Alberto Bonfiglioli se uniu a outras famílias italianas e criou uma das marcas mais queridas dos brasileiros

cica
CICA, marca do Elefante, foi fundada por italianos nos anos 40

A CICA, uma das mais importantes indústrias alimentícias do Brasil, foi fundada por Alberto Bonfiglioli. Vindo da Bolonha, ele fez história no novo país.

Nascido em 6 de dezembro de 1897 em Bolonha, capital e maior cidade da região da Emilia-Romagna, na Itália, Alberto Bonfilgioli chegou ao Brasil no início do século 20.

Filho de Victor Bonfiglioli e Rosa Bonfiglioli, Alberto estudou no Liceu Salesiano de Milão e desembarcou em terras brasileiras em 1910. Em seu novo país, estudou na Faculdade do Comércio de São Paulo, onde se formou em Ciências Econômicas, com menção de honra e medalhas de ouro.

Membro de uma das mais importantes famílias de Bolonha, iniciou sua vida no Brasil aos 13 anos, e com muito esforço conseguiu fazer uma carreira de sucesso como empresário e banqueiro, antes mesmo de fundar a CICA.

Foi diretor-presidente e principal acionista do Banco Auxiliar, da Companhia Comissária Alberto Bonfiglioli e da Agropecuária Bonfiglioli e Construtora Bonfiglioli, entre outras.

Uma das primeiras propagandas da empresa

Além disso, foi diretor-tesoureiro do Circolo Italiano, secretário da Sociedade Dante Alighieri, diretor da Associação Comercial de São Paulo, diretor da FIESP, conselheiro da Muse Italiche e vice-presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras.

A fundação da Cica

No entanto, a empreitada que fez Alberto Bonfiglioli ficar mais conhecido no Brasil foi mesmo a fundação da Companhia Industrial de Conservas Alimentícias (CICA), na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo.

Tudo por causa do produto mais famoso da marca, o extrato de tomate Elefante, que durante décadas esteve presente na vida dos consumidores brasileiros. Era um extrato feito com tomates cuidadosamente selecionados, sem pele e sem sementes, que foi o principal ingrediente de milhares de pratos nas mesas de lares brasileiros.

Esse ingrediente preferido das cozinheiras do país era utilizado para dar cor e sabor aos mais variados tipos de pratos, incluindo molhos, carnes, refogados e tortas, entre outros. 

Alberto Bonfiglioli fundou a CICA em 1941, ao lado dos irmãos Salvatore e Antonino Messina e das famílias Guerrazzi e Guzzo, todos também imigrantes italianos. Claro, o primeiro produto da marca foi o extrato de tomate, decisão natural, até mesmo pelas origens italianas dos fundadores.

Peça publicitária antiga apresenta a linha de produtos da CICA

Inspiração para o elefante

O produto trazia em sua lata um elefante real estampado. A origem dessa escolha não está bem documentada, mas existem algumas teorias. Uma das possibilidades é o fato de Rodolfo “Rudi” Bonfiglioli, filho de Alberto, ter sido notório caçador de elefantes.

Outra teoria, mais simpática, é que a escolha do personagem símbolo tenha se dado em homenagem à terra natal da família Massina. É que na praça principal de Catânia, cidade portuária da Sicília, fica a famosa Fontana dell’Elefante.

O fato é que, no início, não foi fácil para a CICA se estabelecer no mercado de derivados de tomate, principalmente diante da concorrência da Fábrica Peixe, que na época dominava o comércio desse tipo de produto.

Fábrica da CICA em Jundiaí, interior de São Paulo

No início da década de 1940, as propagandas do extrato de tomate Elefante mencionavam o “duplo concentrado de tomate”, expressão que constava também na lata. Em agosto de 1943, o produto e os dizeres da lata foram alterados para “triplo concentrado”, com o lembrete publicitário “É melhor e rende mais”.

Propagandas marcantes da Cica

No final da década de 1950, surgiria o jingle da tarantela napolitana, reforçando e explicando essa característica do processo. A letra da música dizia “O Extrato de Tomate Elefante/é puro, é triplo concentrado/a CICA só trabalha com tomate selecionado”.

Nos anos seguintes, o forte apelo das propagandas e, é claro, a qualidade do produto, deram muito prestígio para a CICA e o extrato do Elefante se tornou um grande sucesso. Em uma propaganda de 1964, o elefante animado selecionava tomates em uma esteira, dizendo “você sim, você não”, para reforçar o cuidado na produção.

No entanto, a história ainda reservaria voos maiores para a marca. Em 1968, o desenhista Maurício de Souza publicou no jornal Folha de São Paulo uma tirinha onde a Mônica puxava o elefante Jotalhão pela tromba, enquanto Cebolinha dizia: “não sei não, mas acho que sua mãe pediu foi massa de tomate”.

A piada se referia ao engano da Mônica, pois sua mãe havia pedido um extrato de tomate que tinha a marca de um elefante no rótulo e ela confundiu e levou o desajeitado Jotalhão. Foi então que o personagem foi oferecido para a CICA em 1969.

Jotalhão, o garoto-propaganda

A partir daquele momento, o personagem Jotalhão se tornou o novo garoto-propaganda do extrato de tomate. O querido personagem de Maurício de Souza começou a aparecer nas embalagens do produto somente em 1979, como parte de um processo de modernização do design e da estratégia de comunicação da marca Elefante.

O simpático Jotalhão substituiu na lata do produto o desenho realista de um elefante, animal que, aliás, integrou por um bom tempo o logotipo da CICA. Mais tarde, Jotalhão partiu para carreira solo e ganhou a assinatura “O elefante mais amado do Brasil”.

Mas, apesar de ser o carro-chefe da marca, a CICA não vivia apenas do extrato de tomate Elefante. Na década de 1970, a empresa produzia marmeladas e goiabadas em sua filial localizada na cidade de Delfim Moreira, no Sul de Minas Gerais. A empresa também fabricava vinagres, maioneses, molhos de pimenta e outros produtos alimentícios.

Tanto o extrato de tomate quanto os outros produtos seguiram fazendo grande sucesso na década de 1980, quando a empresa lançou novas embalagens, como os copos de vidro com a tradicional tampa vermelha do extrato Elefante.

Vai a empresa, fica o elefante

Em 1993, a CICA foi adquirida pela Unilever (na época, Gessy Lever) e a marca Elefante passou a ser distribuída em diversos países, tão diferentes quanto Porto Rico e Japão. Pouco depois, em 1996, a marca decidiu acrescentar mais ingredientes (temperos) ao famoso extrato de tomate, que manteve a mesma fórmula por 55 anos.

O Jotalhão se tornou marca registrada do extrato de tomate

Em 2003 o extrato de tomate passou a fazer parte da linha de produtos da Knorr, então recém-adquirida pela Unilever. Com isso, surgia a marca Knorr Elefante.

A marca CICA foi extinta em 2003 e a fábrica em Jundiaí já havia sido fechada em 1998, dando lugar a uma loja de materiais de construção. No entanto, ainda se pode encontrar Polpa de Tomate Pomodoro com a marca CICA nos supermercados.

No ano de 2010, a empresa norte-americana Cargill comprou a divisão de atomatados da Unilever no Brasil, incluindo a marca Elefante. Em 2012, após 13 anos ausente, o elefante Jotalhão voltou à mídia como garoto-propaganda da marca.

O querido extrato de tomate e seu garoto-propaganda, mais querido ainda, sobreviveram ao final da CICA e seguem por meio de outras empresas alegrando e dando sabor aos mais variados tipos de pratos no Brasil e mundo afora.

Desafios de uma família

O empresário Alberto Bonfiglioli morreu em 4 de julho de 1967 e deixou um legado gigante de realizações na área empresarial e no setor alimentício brasileiro. Seu filho, Rodolfo Marco Bonfiglioli também se envolveu nos negócios e hoje os netos Claudia, Alberto, Sandra e Silvana, continuam atuando no segmento agropecuário, na criação de cães de raça, e na administração da rede de fast-food Bon Grillê.

Uma família movida por desafios e que deixou sua marca na indústria brasileira para sempre.

Por Roberto Schiavon/Italianismo

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

O ranking mostra o posicionamento, o número de famílias e o número de municípios em que os sobrenomes italianos estão espalhados.

Destaque do Editor

Descubra como obter a cidadania italiana de forma segura e eficiente!

Estilo de vida

A Festa della Mamma foi introduzida no calendário na década de 1950

Cidadania Italiana

Ao contratar um advogado para processo de cidadania italiana, opte por um que mantenha representante no Brasil.

Cidadania Italiana

Senador Roberto Menia reforça críticas sobre reconhecimento da cidadania italiana no Brasil.

Itália no Brasil

Consulado Geral da Itália em São Paulo: Uma pequena itália na maior metrópole brasileira.

Cidadania Italiana

Descaso com o Codice Fiscale: Conselheiro do CGIE denuncia "Gaming the System" nos consulados.

Cidadania Italiana

Passaporte em todo lugar: A partir de julho, correios italianos facilitam renovação e emissão

Esporte

Eventos em memória do brasileiro vão durar até o início de junho.

Cidadania Italiana

Caixa de pandora sul-americana: reconhecimento de cidadanias italianas sob suspeita.

Cidadania Italiana

Escândalo no reconhecimento da Cidadania Italiana na América do Sul. Nicola Occhipinti é chamado às pressas.

Itália no Brasil

Tenor comemora 30 anos de carreira em 2024 e chega ao Brasil em maio para cinco shows.