Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Herança italiana

Basilicata representa força do imigrante italiano em São Paulo

Padaria Basilicata iniciou em 1914 em São Paulo com o imigrante italiano Filippo Ponzio. Hoje a empresa é comandada pela quarta geração da família.

Basilicata
Basilicata representa força do imigrante italiano em São Paulo | Fotos: reprodução

A padaria Basilicata, instalada no bairro Bela Vista, em São Paulo, tem 107 anos de história. Tudo começou com Filippo Ponzio, que veio do sul da Itália.

Foi no início da década de 1910 que Ponzio saiu de Tramutola, cidade italiana da região da Basilicata, na província de Potenza. Assim como tantos outros italianos na época, ele veio ao Brasil em busca de oportunidades de trabalho.

Em São Paulo, o imigrante italiano se instalou no bairro do Bexiga, reduto dos oriundi na capital do Estado. Passou a morar em um lote de 830 metros quadrados, no número 614 da Rua Treze de Maio.

Na frente do imóvel, Ponzio montou um empório, onde passou a vender todos os tipos de produtos, desde cereais até vassouras e cremes dentais. O local era ponto de encontro de familiares que chegavam ao Brasil e não tinham onde ficar. Nos fundos, ao lado da casa, ergueu uma cocheira, onde guardava os cavalos de entrega.

No início, a Basilicata era ponto de encontro da família em São Paulo

Tradição da Basilicata

No centro do terreno, ficava o forno de oito metros de diâmetro, construído aos moldes do antigo forno de sua irmã Giuseppina, bisavó dos atuais sócios e nonagenária quando estes eram jovens.

Em vez de fazer a vida trabalhando na terra, como tantos outros italianos que chegaram ao Brasil na época, Ponzio decidiu apostar em outra habilidade que tinha aprendido ainda em Tramutola: fazer pão.

Na Itália, era comum as famílias produzirem seu próprio pão e os vizinhos compartilharem fermento e fornos. Foi assim que ele aprendeu a receita e começou a desenvolver a habilidade de padeiro.

A empresa produz a inconfundível e original receita do pão italiano

A primeira formada saiu em abril de 1914 e logo correu no Bexiga a notícia de que o bairro tinha pães com o inconfundível toque italiano: redondos, graúdos (pesando de um a três quilos) e com casca crocante.

Filippo Ponzio passou a vender os pães para os moradores do bairro e logo virou parceiro das cantinas que abriram as portas nas redondezas, como a contemporânea Capuano.

Até hoje a Basilicata abastece dezenas de restaurantes, para os quais vai uma fornada inteira das três que saem diariamente.

Novos italianos, mais determinação

A partir da década de 1920, vieram as transformações, como a chegada dos Lorenti-Laurenti, que deram continuidade aos negócios, primeiro na figura de Domenico Laurenti, sobrinho de Filippo Ponzio, também natural da Basilicata.

Mais tarde, figuras como Salvatore e Rafaella Lorenti vieram da Calábria para se juntar à empresa.

Salvatore cuidava da produção e do fermento natural

Domenico chegou ao Brasil em 1926 e em 1942 aceitou o convite de Filippo Ponzio, tio bisavô dos atuais sócios, para trabalhar na Basilicata e fazer parte da sociedade, dando início à segunda geração.

Alegre e amável com os clientes, logo ficou conhecido como Seu Domingos da Padaria.

O primo de Domenico, Salvatore Lorenti, era ferreiro na Itália e foi chamado para ajudar a tocar a padaria.

Chegou ao Brasil em 1949 e começou entregando pão e leite de carroça entre os bairros Centro, Bela Vista, Paraíso e Vila Mariana.

Logo aprendeu a fazer o pão italiano e por anos foi responsável pela produção e cuidado com o fermento natural.

Domenico chegou a São Paulo na década de 1920

Atualmente a Basilicata está sob comando da quarta geração de descendentes do fundador Filippo Ponzio: Toninho Laurenti, Nicola, Vittorio e Angelo Lorenti.

Em 2014, para comemorar os 100 anos de história da Basilicata, a editora Senac lançou o livro “Padaria Basilicata – Cent’Anni di Storia”, de Cheila Vargas, formada em letras pela USP.

Na mesma semana do lançamento do livro, foi realizada uma exposição sobre a casa no Conjunto Nacional.

Toninho, Angelo, Nicola e Vittorio: quarta geração no comando

Família firme no comando

Em 2017 a Padaria Basilicata reabriu as portas no novo espaço intitulado Basilicata – Pão, Empório e Restaurante.

Além de seguir produzindo o centenário pão segundo as regras de respeito ao ciclo do fermento natural, a casa hoje serve diversas receitas preparadas pelo Chef Rafael Lorenti, da quinta geração da família.

Empresa expandiu e hoje também é empório e restaurante

O investimento foi de aproximadamente R$ 2,5 milhões, para atender cerca de 12 mil clientes por mês, que têm a opção de fazer seu lanche ou refeição no local ou levar para casa diversas opções de produtos, como queijos, vinhos, molhos, doces e biscoitos, entre outros.

Nada mal para a família de um italiano que começou com uma loja de secos e molhados, passou a vender pão para a comunidade italiana de seu bairro e hoje é um grande representante da força do trabalho dos oriundi no Brasil.

Por Roberto Schiavon/Italianismo

200

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Destaques do editor

Cotidiano

As propriedades ficam no sul da Itália e os novos donos precisarão restaurá-las

Herança italiana

O imigrante italiano Zeffiro Orsi transformou um pequeno pastifício em uma das marcas mais conhecidas do Brasil

Herança italiana

O imigrante italiano Giovanni Galzerano fundou em 1960 uma das principais marcas de carrinhos para bebês do país

Herança italiana

O casal Domenico e Giuseppina veio da Itália e se estabeleceu em Belo Horizonte para fundar uma indústria milionária de massas

Herança italiana

Família Nigro veio da Itália para o interior de São Paulo e revolucionou a fabricação de utensílios de cozinha no país

Herança italiana

O italiano Luigino Burigotto fundou no Brasil uma fábrica de carrinhos para bebês que se tornou referência no mercado nacional

Herança italiana

Massimo Leonardo Define chegou jovem ao Brasil e marcou época como grande esportista e revolucionário na indústria agropecuária

Herança italiana

Filho de italianos, João Carlos Di Genio fundou o Colégio Objetivo e a Unip e se tornou um dos maiores empresários brasileiros

Herança italiana

Pietro Morganti veio da Itália no século 19 e estabeleceu no Brasil a Usina Tamoio, a maior indústria sucroalcooleira da América do Sul

Herança italiana

A família de imigrantes italianos construiu no Brasil uma empresa que se tornou referência na indústria do agronegócio

Herança italiana

O imigrante italiano Giuseppe Todeschini fundou a fábrica de massas e biscoitos que conquistou milhares de brasileiros

Herança italiana

O empresário Alberto Bonfiglioli se uniu a outras famílias italianas e criou uma das marcas mais queridas dos brasileiros