Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Vida & Estilo

Arquiteto italiano anuncia ‘nova era’ pós-pandemia: mais ecológica e em vilarejos

Urbanista Stefano Boeri acredita que a Lombardia, no norte da Itália, terá de mudar de cara

Borgo na toscana
Boeri defende o regresso às vilas italianas, muitas delas abandonadas | Foto: tuscanypeople

Urbanista Stefano Boeri acredita que a Lombardia, no norte da Itália, terá de mudar de cara

Conhecido em todo mundo por suas “florestas verticais”, o renomado arquiteto e urbanista Stefano Boeri afirma que, depois da pandemia do novo coronavírus, começará uma “nova era”, mais ecológica e sem energia fóssil.

Em uma conversa no Facebook com correspondentes estrangeiros, Boeri admite que a capital da Lombardia, região mais afetada pela pandemia com mais de 13.000 dos quase 27.000 mortos em todo país, terá de mudar de cara.

“Voltar à normalidade seria muito grave”, alerta.

O arquiteto e urbanista Stefano Boeri, no complexo Floresta Vertical na zona de Porta Nuova de Milão, na Itália – AFP

“A normalidade é uma das causas deste desastre”, afirma Boeri, conhecido por seus projetos inovadores, nos quais cobre arranha-céus com vegetação e combina ecologia, sustentabilidade e recuperação de florestas.

Juntamente com um grupo de estudiosos, sociólogos, antropólogos, urbanistas, artistas, ele está refletindo sobre como derrubar o “muro biológico” que o coronavírus impõe às pessoas e introduzir um novo modelo de vida.

Enquanto as autoridades italianas preparam a retomada econômica e o fim gradual do confinamento a partir de 4 de maio com novas regras sociais, Boeri lançou uma proposta nacional que pode mudar o futuro da península e servir de modelo para muitos países.

“Voltar aos povoados”

“É um projeto nacional. A Itália conta com 5.800 povoados com menos de 5.000 habitantes, 2.300 quase abandonados. Se as 14 regiões metropolitanas do país adotarem essas aldeias, (…) dando vantagens fiscais, meios de transporte adequados, etc., seria a saída. É o futuro”, disse ele no jornal “La Repubblica”.

Leia também:

Vila medieval na Toscana procura novos moradores para voltar a ter vida

“Entendemos que é possível trabalhar remotamente e que passaremos longos períodos em casa. É preciso administrar este processo. O campo facilita isso, porque é necessário deixar o espaço urbano livre”, explica o urbanista.

A ideia de Boeri, que surge justamente da emergência global gerada pelo coronavírus, coincide com a pergunta e, por sua vez, tema da Bienal de arquitetura de Veneza que será celebrada este ano.

A XVII edição, cuja inauguração prevista para maio foi adiada para o final de agosto, foi convocada sob a pergunta “How we will live together?”, ou seja, “Como viveremos juntos?”.

A pergunta do curador Hashim Sarkis obriga paradoxalmente o mundo da arquitetura a desocupar o espaço público e a fazer desaparecer a atividade coletiva.

“Vamos ter que modificar os horários dos escritórios públicos para que não coincidam com os das escolas e evitar grandes fluxos de viajantes. Tudo o que for externo será crucial. Precisamos tirar espaço dos carros e focar no verde”, enfatiza Boeri.

E aí, gostou do artigo? Então compartilhe nas suas redes sociais e traga seus amigos, colegas e seguidores para a discussão. Em caso de dúvidas a respeito do assunto, não hesite em deixar seu comentário.

Deixa o seu comentário:

Mais de Italianismo

Cotidiano

Cerca de 70 famílias moravam no local e tiveram tempo de fugir; 20 pessoas inalaram fumaça. Não há vítimas graves

Cotidiano

A Pesca Magnética ou Pesca com Ímã é um esporte que começou a se espalhar pela Itália. Mas do que se trata exatamente?

Arte & Cultura

Município deu nome ao tom rosa intenso após batalha sangrenta no século 19

Cotidiano

A partir desta quinta-feira (3), todos os italianos elegíveis poderão fazer o agendamento da vacinação anti-Covid. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Pesquisa revela que grupos mafiosos tiveram faturamento de mais de 2,2 bilhões de euros em 2020.

Turismo

Após o anúncio da reabertura, há um boom de reservas para o verão na Itália: "33% em poucos dias".

Destinos

O novo guia National Geographic homenageia a Lombardia incluindo 11 locais imperdíveis.

Cotidiano

Banco em parque milanês tem 208 metros de comprimento e comporta até 500 adultos.

Cotidiano

Calábria, Lombardia, Emilia-Romagna, Friuli Venezia Giulia, Piemonte e Toscana voltam para a zona menos restritiva.

Destinos

Conhecida como "a Pérola do Tirreno", a esplêndida Tropea foi eleita a "Borgo dei Borghi 2021".

Destinos

Sem turismo, as aldeias da Itália também estão em risco. E, junto com eles, também os produtos típicos desses lugares.

Arte & Cultura

A arquitetura italiana é o berço de diferentes escolas europeias. Estilos como o renascentista e o barroco influenciaram arquitetos mundo afora. Deixa o seu comentário: