Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Itália no Brasil

Após reforma, muitos aposentados recebem abaixo do salário mínimo, alerta sindicato italiano

“Deram um golpe na classe trabalhadora quando aumentaram a idade mínima para aposentadoria”, diz dirigente da Central Geral Italiana do Trabalho 

“A primeira reforma previdenciária na Itália criou uma diferença de renda gigante entre quem recebia pelo modelo anterior e os jovens, que passaram a contar apenas com suas próprias contribuições previdenciárias. Hoje, muitos aposentados que recebem por esse sistema contributivo chegam a ter pensões abaixo do salário mínimo, o que é algo completamente indigno”. As palavras são da dirigente da Central Geral Italiana do Trabalho (CGIL), Sandra Pareschi, que participou de um evento em Porto Alegre, na quinta-feira (31).

A sindicalista lembrou que “antigamente o trabalhador, que perdia seu emprego faltando cinco anos para se aposentar, recebia do nosso INPS os valores necessários para contribuir no período e dar entrada no pedido de aposentadoria”. Agora, segundo ela, “isso mudou com a primeira grande reforma previdenciária da Itália, em 1995, quando foi implantado um modelo contributivo, semelhante ao regime de capitalização existente em outros países”, como no Chile.

“Sem trabalho e sem aposentadoria”

“Na Itália nós tivemos uma reforma atrás da outra, quando o nosso INPS foi considerado deficitário pela direita. O nosso instituto nacional de Previdência abarca outras coisas, como o seguro desemprego, auxílio doença, enfim, uma série de benefícios sociais”, frisou.

Sandra contou que “deram um golpe na classe trabalhadora quando aumentaram a idade mínima para aposentadoria das mulheres, que subiu para 67 anos, assim como para os homens”. Antes, as mulheres se aposentavam com 60 anos e os homens com 65. Também subiram o tempo de contribuição, que era de 35 anos, para 41 anos.

“Os partidos que chegaram ao governo prometeram que iam retirar essa péssima reforma. Agora fizeram uma minirreforma, que se chama cota 100, que é a soma dos anos de contribuição com a idade da pessoa, mas tem que ter o mínimo de 38 anos de contribuição e a idade mínima de 62 anos”, salientou a sindicalista. Com isso, na prática, vários trabalhadores não se encaixam na cota 100, que será 102, 103 e assim por diante, dependendo do tempo de contribuição.

Segundo ela, é uma versão piorada da fórmula 85/95, sancionada pela presidenta deposta Dilma Rousseff, em 2015, que este ano passou para 86/96, porém sem tempo mínimo de idade nem de contribuição.

“Hoje, na Itália, quanto mais alguém vive, mais tem de trabalhar. Minha irmã mais nova fez os cálculos e terá de trabalhar até os 70 anos. Diga-me você: qual empresa dá um posto de trabalho para uma pessoa com mais de 70 anos? A probabilidade é de que ela fique sem as duas coisas: sem trabalho e sem aposentadoria”, finaliza a dirigente da maior central sindical da Itália, com mais de 5,5 milhões de filiados.

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Estilo de vida

Por que não adotar o sobrenome do seu marido na Itália: Entenda os motivos.

Cotidiano

Pontremoli lança programa “Residentes do Futuro” para estimular novos moradores.

Cidadania Italiana

Congresso terá presença de figuras relevantes do judiciário italiano, do Ministério do Interior e da Procuradoria Geral do Estado

Comer e beber

Verdade ou mito: Os italianos realmente comem pasta todos os dias?

Cidadania Italiana

Da Itália à Espanha: A jornada de Riccardo Consoli em busca de um futuro mais acolhedor.

Cidadania Italiana

Brasil destaca-se como o 4º país com mais cidadãos adquirindo nacionalidade italiana.

Turismo

Iniciativa conta com 28 municípios divididos em 10 regiões

Cidadania Italiana

O ius soli é um problema falso, não é necessário: os números desconstroem a narrativa da esquerda, segundo jornalista.

Arte & Cultura

Russell Crowe se apresentará no anfiteatro de Pompeia.

Cotidiano

Enel mancha a reputação italiana no Brasil devido a constantes falhas no fornecimento de energia em São Paulo

Cotidiano

Porta critica atuação governamental na demora e ineficácia das negociações do Acordo de Conversão de CNH entre o Brasil e a Itália

Variedades

A idade média em que os italianos se tornam pais tem aumentado ao longo dos anos.