Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cotidiano

Pior seca em 70 anos ameaça alimentação e turismo na Itália

A emergência da seca é uma questão muito delicada neste período de altas temperaturas e chuvas escassas

seca Itália
Alarme de seca para o rio Pó, cuja crise hídrica está entre as piores dos últimos 70 anos | Virgilio

A Itália está passando por uma de suas piores secas em 70 anos. O maior rio do país, o Po, atingiu seu nível mais baixo, ameaçando lavouras e reduzindo a capacidade de produção de energia elétrica.

Embora grande parte da Europa tenha tido condições mais secas do que a média este ano, o vale do Po, no norte da Itália, é o mais atingido, de acordo com o Global Drought Observatory

Vários meses sem chuvas e uma interrupção mais cedo do que o normal nos fluxos da neve derretida nos Alpes tornaram visíveis grandes áreas do leito do rio – tanto que um tanque alemão da Segunda Guerra Mundial ressurgiu recentemente. 

Com o esgotamento das fontes de água, os níveis dos reservatórios hidrelétricos italianos estão em mínimos históricos. A produção de energia hidrelétrica, que costuma suprir 15% das necessidades do país, caiu 50% este ano em relação a 2021.

Para agravar os problemas da região, o mar Adriático entrou no delta do Pó por pelo menos 10 quilômetros, ameaçando áreas agrícolas e aumentando o risco de água salgada nas torneiras. 

As cidades do norte da Itália estão racionando água e fornecendo-a em caminhões, pois enfrentam uma potencial escassez de água potável.  

A seca pode trazer crise econômica significativa. O rio Po, que flui de oeste para leste no norte da Itália, é uma tábua de salvação para grandes centros industriais como Milão e Turim – lar da fabricante de carros Fiat.

Agricultura em risco

A Lombardia e o Piemonte, as regiões onde se situam as cidades, também são grandes produtores agrícolas, respondendo por 93% da produção de arroz da Itália. Com a disponibilidade de água reduzida no leste do Piemonte, a safra deste ano está ameaçada, dizem os agricultores locais.

“A situação é dramática para algumas culturas”, disse Ercole Zuccaro, diretor da associação agrícola-indústria do Piemonte Confagricoltura. “A mudança climática é óbvia aqui. Longos períodos de seca são interrompidos pelo clima severo.”

A associação estima que as safras de forragem, cevada e grãos cairão de 30% a 40% este ano, com repercussões para o gado, que terá que ser abatido antes do esperado. 

Segundo a associação, a seca agravará o aumento dos preços dos alimentos para os consumidores e dos custos de produção para os agricultores. 

A produção de avelãs e vinho também pode ser afetada, disse Zuccaro. Piemonte é o maior produtor de avelãs da Itália. A colheita de uva provavelmente será menor do que o normal, disse ele.

Mais de um quarto do território da Itália no sul e no norte está atualmente em risco de desertificação após meses sem chuva, de acordo com a associação nacional de agricultores, Coldiretti. O grupo espera uma perda de 2 bilhões de euros (R$ 10,6 bilhões) para os agricultores italianos com a quebra de safras, incluindo trigo, milho e girassol.

“É um desastre não ter água para a agricultura em um ano que os preços dos fertilizantes triplicaram e os preços da gasolina também dispararam”, disse o presidente do Piemonte, Alberto Cirio, na sexta-feira na TV SkyTG24.

O calor escaldante também está desencadeando milhões de gafanhotos, que estão devastando 30 mil hectares de plantações na Sardenha em um momento em que a Itália precisa maximizar a produção para lidar com os efeitos da guerra na Ucrânia, disse a Coldiretti.

Turismo deve ser afetado

A escassez cada vez mais aguda de água também ameaça prejudicar o turismo, já que centenas de cidades do norte da Itália racionam água para usos não essenciais. 

O prefeito da cidade termal de Sant’Omobono Terme, na Lombardia, disse ao La Repubblica que está preocupado com a chegada de turistas se o racionamento de água persistir.

Alguns prefeitos do Piemonte suspenderam o abastecimento de água à noite e caminhões-pipa foram enviados para abastecer os tanques locais. O racionamento de água pode continuar durante o verão, disse o presidente do Piemonte, Cirio.

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Estilo de vida

Por que não adotar o sobrenome do seu marido na Itália: Entenda os motivos.

Cotidiano

Pontremoli lança programa “Residentes do Futuro” para estimular novos moradores.

Cidadania Italiana

Congresso terá presença de figuras relevantes do judiciário italiano, do Ministério do Interior e da Procuradoria Geral do Estado

Comer e beber

Verdade ou mito: Os italianos realmente comem pasta todos os dias?

Cidadania Italiana

Da Itália à Espanha: A jornada de Riccardo Consoli em busca de um futuro mais acolhedor.

Cidadania Italiana

Brasil destaca-se como o 4º país com mais cidadãos adquirindo nacionalidade italiana.

Turismo

Iniciativa conta com 28 municípios divididos em 10 regiões

Cidadania Italiana

O ius soli é um problema falso, não é necessário: os números desconstroem a narrativa da esquerda, segundo jornalista.

Cotidiano

Enel mancha a reputação italiana no Brasil devido a constantes falhas no fornecimento de energia em São Paulo

Cotidiano

Porta critica atuação governamental na demora e ineficácia das negociações do Acordo de Conversão de CNH entre o Brasil e a Itália

Variedades

A idade média em que os italianos se tornam pais tem aumentado ao longo dos anos.

Economia

Tesla explora potencial da fabricação de veículos elétricos na Itália: Caminhões e vans na pauta, dizem jornais