Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Itália no Brasil

Cidades pioneiras da imigração italiana ‘abraçam’ Bolsonaro

Santa Teresa e São João Batista disputam o título de cidade pioneira da imigração italiana no Brasil, mas concordam em pelo menos uma coisa

pioneiras da imigração italiana
Santa Teresa (foto) e São João Batista, cidades pioneiras da imigração italiana, 'abraçam' Bolsonaro

Santa Teresa, no Espírito Santo, e São João Batista, em Santa Catarina, disputam o título de cidade pioneira da imigração italiana no Brasil, mas concordam em pelo menos uma coisa: o apoio massivo ao presidente Jair Bolsonaro (PL) em sua campanha pela reeleição.

No município capixaba de 24 mil habitantes, reconhecido oficialmente como pioneiro da imigração italiana no país, o ex-capitão do Exército recebeu 59,13% dos votos, contra 33,54% do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), resultado que daria a vitória em primeiro turno para o atual presidente.

“Santa Teresa é uma cidade conservadora, tem um histórico de não eleger o PT, e Bolsonaro é uma pessoa que carrega mais essa questão do conservadorismo”, afirma à ANSA o ítalo-brasileiro Thiago Roldi, vereador no município e candidato a deputado no Parlamento italiano em 2018 pelo colégio da América do Sul.

Ele conta que Santa Teresa já teve inclusive uma carreata pró-Bolsonaro convocada por um comerciante local e que reuniu mais de 200 automóveis. “Aqui tem muitas críticas ao PT na questão da família, das posições em relação a pautas como aborto e segurança pública. As famílias têm um medo na hora de se arriscar e votar em pessoas assim”, diz.

Já em São João Batista, que tem quase 40 mil habitantes e reivindica para si o título de pioneira da imigração italiana, Bolsonaro alcançou uma votação ainda mais expressiva: 72,94%, contra 21,18% de Lula.

O recorde do presidente, no entanto, foi obtido em Nova Pádua, cidade do Rio Grande do Sul que também é fruto da colonização italiana e homenageia Pádua, no Vêneto. Nessa cidade de menos de 3 mil habitantes, Bolsonaro teve 83,98% dos votos, e Lula, apenas 10,35%.

“Isso tem a ver com o tipo de população que temos, uma população de imigrantes que trabalharam muito para ter o que têm hoje”, explica Alvirio Tonet, presidente da Associação Vêneta de Nova Pádua, entidade que busca resgatar os costumes vênetos na cidade.

Tonet diz que a população de Nova Pádua, formada quase totalmente por descendentes de italianos, é contra o assistencialismo e valoriza quem gosta de trabalhar e “falar a verdade”. “Tem que dizer o que precisa ser dito, ficar de rodeios não serve para nada. O povo aqui é muito claro nas coisas que quer”, ressalta.

Em Nova Pádua, a votação de Bolsonaro no primeiro turno aumentou em relação a 2018, quando ele havia obtido 82,75% dos votos, mas em Santa Teresa (62,38%) e São João Batista (79,68%) seu eleitorado diminuiu ao longo de quatro anos.

“Na questão da pandemia, algumas falas dele foram muito ruins. Ele deveria ter sido mais sensível sobre a questão das vacinas”, explica Roldi.

A disputa entre Santa Teresa e São João Batista data de 2018, quando o então presidente Michel Temer sancionou uma lei reconhecendo a primeira como “pioneira da imigração italiana no Brasil“.

A decisão se baseia na chegada em Vitória, capital do Espírito Santo, em 21 de fevereiro de 1874, de um navio proveniente de Gênova e com 386 pessoas a bordo, a maioria delas do Trentino, território então pertencente ao Império Austro-Húngaro.

Muitos dos imigrantes da “Expedição Tabacchi”, em referência ao comerciante Pietro Tabacchi, organizador da viagem, se estabeleceram em Santa Teresa, que hoje tem dois terços de sua população com ascendência italiana, segundo Roldi.

No entanto, antes da chegada desse navio já havia relatos sobre a presença de imigrantes em Santa Catarina, especialmente em São João Batista, onde cerca de 30 famílias provenientes da Ligúria fundaram a colônia Nova Itália em 1836.

Os defensores de Santa Teresa alegam que a chegada de colonos ao sul na primeira metade do século 19 foi um movimento isolado, enquanto a Expedição Tabacchi deu início de fato à imigração em massa de italianos para o Brasil. (Por Lucas Rizzi / Ansa)

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Cotidiano

Pontremoli lança programa “Residentes do Futuro” para estimular novos moradores.

Cidadania Italiana

Congresso terá presença de figuras relevantes do judiciário italiano, do Ministério do Interior e da Procuradoria Geral do Estado

Cidadania Italiana

Especialistas se reúnem em Padova para discutir os desafios e implicações da cidadania italiana para descendentes.

Cidadania Italiana

Da Itália à Espanha: A jornada de Riccardo Consoli em busca de um futuro mais acolhedor.

Cidadania Italiana

Brasil destaca-se como o 4º país com mais cidadãos adquirindo nacionalidade italiana.

Cidadania Italiana

O ius soli é um problema falso, não é necessário: os números desconstroem a narrativa da esquerda, segundo jornalista.

Cotidiano

Porta critica atuação governamental na demora e ineficácia das negociações do Acordo de Conversão de CNH entre o Brasil e a Itália

Cotidiano

Enel mancha a reputação italiana no Brasil devido a constantes falhas no fornecimento de energia em São Paulo

Economia

Tesla explora potencial da fabricação de veículos elétricos na Itália: Caminhões e vans na pauta, dizem jornais

Cidadania Italiana

Quase 214.000 pessoas tornaram-se cidadãos italianos em 2022, tornando a Itália o país da UE com o maior número de pedidos de cidadania concedidos.

Cotidiano

A União Europeia flexibilizará regras em torno do 'permissão única' para trabalhadores não pertencentes à UE

Cotidiano

Estudo assoalhar quantos estrangeiros vivem em Verona e nos municípios da província.