Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo
imigração italiana
Brasil celebra os 147 anos da imigração italiana, neste domingo

Itália no Brasil

Brasil celebra os 147 anos da imigração italiana

21 DE FEVEREIRO: DIA DE CELEBRAR A IMIGRAÇÃO ITALIANA NO BRASIL

Os 147 anos da imigração italiana no Brasil são comemorados neste domingo, dia 21 de fevereiro. A data marca a chegada do navio La Sofia a Vitória.

O desembarque do navio italiano na capital do Espírito Santo levou à criação do Dia Nacional do Imigrante Italiano. A data foi criada por meio de projeto de lei no Senado, em 2008.

O navio La Sofia deixou o Porto de Gênova em 3 de janeiro de 1874, trazendo o chefe dessa expedição ao Brasil, Pietro Tabacchi, além de lavradores, um capelão e o auxiliar Pietro Casagrande.

Pietro Tabacchi era um italiano da região de Trento, que já tinha vindo para o Brasil em 1851 e adquirido uma fazenda, batizada de Nova Trento, na cidade de Santa Cruz.

Em 1974 ele foi autorizado pelo governo do Espírito Santo a trazer imigrantes italianos para trabalhar em suas terras.

Ao todo, essa expedição trouxe 386 imigrantes da região do Tirol Italiano.

Primeiros imigrantes italianos

Apesar de o dia 21 de fevereiro ser um marco da imigração italiana, os italianos começaram a chegar antes ao Brasil. Entre 1860 e 1920, 7 milhões de italianos desembarcaram no país.

Até meados do século XIX, havia grandes diferenças socioculturais na Península Itálica.

processo de unificação durou 20 anos e resultou em mudanças no trabalho do campo.

Associadas ao desenvolvimento industrial, essas mudanças levaram fome e desemprego a milhares de camponeses e artesãos.

Desse modo, muitos camponeses aceitaram o convite do governo brasileiro para trabalhar nas lavouras do país, principalmente nas regiões sudeste e sul.

Esses italianos eram, na maioria, da região do Vêneto, norte da Itália.

Apesar de a região sul do Brasil ter recebido os primeiros italianos, o sudeste recebeu o maior número de imigrantes oriundos da Itália.

Isso se deve à expansão das fazendas de café no Estado de São Paulo.

Fenômeno da imigração italiana

diáspora italiana foi o maior movimento migratório espontâneo da história.

Entre 1880 e 1976, cerca de 13 milhões de italianos foram residir em outros países.

Para o governo italiano, a emigração foi positiva, pois os emigrantes mandavam dinheiro para os parentes que ficavam no país.

O Brasil possui hoje a maior população italiana fora da Itália.

Segundo a Embaixada da Itália no Brasil, aproximadamente 27 milhões de descendentes de italianos residem no país.

Eles estão distribuídos principalmente pelo sudeste e sul do Brasil – quase 15% do total da população brasileira.

* * * * *

Gostou do artigo? Então comente ou compartilhe nas suas redes sociais.

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Cotidiano

Pesquisa Codacons sobre o custo de vida nas principais cidades italianas: bens e serviços custam mais na capital lombarda

Arte & Cultura

Para o presidente do Conselho Regional de Veneto, "La Sposa" é ofensiva para a região

História

Obra escrita em 1345 revela que italianos já sabiam da existência da América do Norte

Vida & Estilo

Qual é a pior cidade para expatriados? Daily Express fez a lista

Cotidiano

A capital da Região da Ligúria recebeu o título de Capital Europeia do Natal

Cotidiano

Trieste, seguida de Milão e Trento, são as províncias com melhor "Qualidade de vida 2021" na Itália

Arte & Cultura

Lancia Fulvia é uma das atrações da cidade italiana de Conegliano; modelo foi removido e será restaurado antes de ser exposto

Comer e beber

O tiramisù se tornou um ícone da culinária italiana desde que foi desenvolvido no restaurante de Ado Campbell

Cotidiano

Na Itália, Bolsonaro participa do G20 e recebe título em Anguillara Veneta

Destinos

Objetivo é tornar o turismo mais sustentável. Cidade recebe cerca de 25 milhões de turistas por ano

Cidadania Italiana

Acredita-se que o La Veloce teria transportado cerca de 30 milhões de pessoas em quase 50 anos

Cotidiano

Navios de cruzeiro estão proibidos de navegar pelo centro histórico de Veneza