Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo

Cinema italiano

As Correntes de San Patrignano, a série italiana da Netflix

Netflix reconstrói os primeiros 15 anos de vida da comunidade fundada por Vincenzo Muccioli. Entre acusações e julgamentos

As Correntes de San Patrignano
As Correntes de San Patrignano, a série italiana do Netflix

As Correntes de San Patrignano é a primeira série de documentários produzida pela Netflix Itália. Ela reconstrói a ousada história da comunidade para viciados em drogas criada no final dos anos 1970 por Vincenzo Muccioli.

Os primeiros anos de aventura, as provações, o declínio e a morte do fundador: mais de 15 anos condensados ​​em cinco episódios de uma hora. 

A comunidade, sem surpresa, não gostou. “Uma história unilateral, resumida e parcial” diz a nota divulgada, alguns dias após o lançamento da “docuséries“.

Os primórdios de San Patrignano

Na segunda metade dos anos setenta, o flagelo da heroína explode na ItáliaCentenas de jovens vagam pelas cidades como zumbis em busca de uma solução, incapazes de sair de um vício que lançou suas famílias no drama. 

Justamente nessa época Vincenzo Muccioli, 45, que cresceu no meio da burguesia agrária Romagna, decide converter a casa de fazenda da família de sua esposa em uma comunidade de recuperação para dependentes químicos. 

Ele a chama de San Patrignano, como a vila de Coriano (Rimini), onde – no alto de uma colina – surge o poder.

Uma comunidade hippie

Nos primeiros anos, San Patrignano parece uma comunidade hippie: os jovens hóspedes, de todas as origens, vivem nos grandes quartos disponibilizados por Muccioli ou nas motorhome

As relações com o município de Coriano não são exatamente idílicas, devido à rápida expansão da comunidade, aos esgotos e às fugas noturnas dos dependentes químicos. 

No entanto, o método de Muccioli parece funcionar: em torno de San Patrignano há cada vez mais interesse e o número de convidados está crescendo visivelmente.

Mas quem é Vincenzo Muccioli?

Casado e com dois filhos, Muccioli terminou os estudos sem se formar e começou a trabalhar no setor de turismo (a família de sua esposa era dona de um hotel). 

Grande, gordo e bigodudo, é dotado de um grande carisma que também fica evidente nos filmes da época. Seu irmão mais novo, Pier Andrea, um geólogo, conta a SanPa sobre o interesse de Vincenzo pelo esoterismo e espiritismo: todos os aspectos que irão fluir para a comunidade de recuperação e que virão à tona durante o primeiro julgamento contra Muccioli.

A prisão em 1980

“Nós os tratamos com injeções muito poderosas. Amor, eles são chamados”, explicou Muccioli na frente das câmeras. Os pilares do método utilizado na comunidade foram o trabalho, a regularidade e a disciplina. 

Em outubro de 1980, entretanto, uma história um tanto diferente emerge. Uma hóspede que fugiu da comunidade conta à polícia que foi segregada com outras quatro pessoas por 15 dias. 

Vincenzo Muccioli e outros colaboradores acabam na prisão: ficam lá por mais de um mês, antes de poderem voltar para cuidar de San Patrignano.

Sucesso e declínio

Financiado por Gian Marco e Letizia Moratti e apoiado por personalidades conhecidas, de Paolo Villaggio a Red Ronnie, San Patrignano cresce para se tornar a maior comunidade de viciados em drogas da Europa. 

Os problemas para Muccioli, porém, não acabaram. Na segunda metade da década de 1980, aparecem outras alegações de violência, suicídios misteriosos e investigações sobre transferências de dinheiro pouco claras; depois, após a descoberta do corpo de Roberto Maranzano, mais um julgamento. A docuséries termina em 1995, ano da morte do fundador.

Como está San Patrignano

A série documental é dividida em cinco episódios:  Nascimento, Crescimento, Fama, Declínio e Queda

A história não usa narração, mas alterna fotos e vídeos tirados de 51 arquivos diferentes e 25 entrevistas (no total 180 horas de filmagem) com personagens que viveram o épico de San Patrignano em primeira mão. 

A questão central de “As Correntes de San Patrignano”, repetida várias vezes por diferentes entrevistados, é: “você pode usar algum método para fazer o bem?”

O estilo narrativo é muito parecido com o de Wild Wild Country, série da Netflix que reconstrói a história da comunidade fundada por Osho nos Estados Unidos.

Os personagens de “As Correntes de San Patrignano”

Entre as testemunhas envolvidas pelos autores estão Andrea Muccioli, filho de Vincenzo que chefiou a comunidade de 1995 a 2011; Antonio Boschini, ex-convidado, hoje gerente terapêutico de San Patrignano; Walter Delogu, ex-motorista e guarda-costas de Muccioli e sua filha Andrea, apresentadora de TV.

Fabio Cantelli, convidado e então chefe da assessoria de imprensa da comunidade; o juiz Vincenzo Andreucci; o jornalista Luciano Nigro; Leonardo Montecchi e Sergio Pierini, respectivamente encarregados do Sert de Rimini e prefeito comunista de Coriano na época de Vincenzo Muccioli; apresentador Red Ronnie; ex-convidados Fabio Mini e Antonella De Stefani.

A reação da comunidade

Estas são as declarações de Alessandro Rodino Dal Pozzo, presidente de San Patrignano, relatadas pelo Corriere della Sera:

“É uma história desequilibrada, que queria tornar espetaculares alguns episódios dramáticos que não contam a história da comunidade em quase 40 anos de vida. Recebemos a diretora da série por vários dias (…) e fornecemos a ela a lista de um grande número de pessoas que viveram e ainda vivem em San Patrignano”. 

Lista que, segundo Rodino Dal Pozzo, foi “totalmente rejeitada” com exceção de Antonio Boschini. 

As objeções, respondeu o co-autor Carlo Gabardini, eram amplamente esperadas: “Se San Patrignano nos tivesse elogiado (…) eu teria ficado preocupado”, disse ele.

Veja o trailer de SANPA em italiano:

Siga o Italianismo no Instagram

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Destaque do Editor

A transmissão da cidadania italiana jure sanguinis pode ser comprovada por qualquer meio, diz a Corte de Cassação da Itália

Cotidiano

Prefeito perde batalha contra ítalo-brasileiros: A lei falou mais alto. Parece que o jogo virou, não é mesmo, senhor prefeito?

Cidadania Italiana

Cidadania italiana irregular: 92 cidades da província de Nápoles entram em investigação.

Cidadania Italiana

Silmara Fabotti, líder de esquema de cidadania italiana falsa, planejava fugir da Itália, relata juiz.

Cidadania Italiana

A crescente diáspora italiana: Migração em massa em busca de melhores oportunidades e realização pessoal.

Itália no Brasil

Um voo histórico de solidariedade: A ajuda humanitária da Itália ao Rio Grande do Sul.

Cidadania Italiana

Investigação revela esquema de corrupção envolvendo falsos certificados de residência em troca de dinheiro e favores sexuais.

Cidadania Italiana

Rodrigo Faro se defende de acusações de envolvimento em esquema de falsificação de documentos para cidadania italiana

Cidadania Italiana

Apresentador de TV, empresários e jogadores de futebol têm processos de cidadania italiana cancelados na região de Nápoles.

Itália no Brasil

Diante do público cada vez maior, desafio é garantir boa estrutura para atender bem os visitantes.

Cotidiano

Meloni apresentou queixa antimáfia sobre fluxos migratórios.

Cidadania Italiana

Suspensão temporária das audiências durante o período eleitoral e possível greve dos juízes afeta ítalo-brasileiros.