Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

ItalianismoItalianismo
Jornal tenta desvendar o mistério das contaminações no Norte e no Sul da Itália
Jornal tenta desvendar o mistério: o clima mais quente pode interferir na propagação do vírus?

Vida & Estilo

Por que o coronavírus arrasou o Norte da Itália e poupou o Sul?

Jornal tenta desvendar o mistério: o clima mais quente pode interferir na propagação do vírus?

Cinquenta dias após a explosão da pandemia Covid 19 na Itália, os dados são claros: um verdadeiro tsunami epidêmico atingiu a Lombardia, o Vêneto, o Piemonte e a Emilia Romagna.

Mas por que apenas no Norte e não o Centro-Sul? Por que Milão e Bergamo e não Roma e Nápoles?

As enigmáticas perguntas foram feitas pelo jornal La Repubblica, que foi ouvir especialistas a respeito do tema.

A epidemia do Covid 19 realmente viajou em duas velocidades pelo país, reconhece o diário.

A hipótese mais instigante, contudo, é do epidemiologista Massimo Cicozzi, da Universidade de Roma. Poderia ser o clima mais quente no Sul? Ele não descarta.

“Pode ser, mas é somente uma hipótese, veja bem, que o vírus que circulava no Norte havia semanas (e foi transportado para o Sul) fosse já um pouco menos potente do que quando chegou à Lombardia. As suas mutações para adaptar-se ao homem podem tê-lo feito perder carga viral. Teoricamente isso é possível. O vírus muda para adaptar-se ao homem e, ao fazê-lo, pode diminuir a sua própria potência”, explica.

Esperava-se, por exemplo, que as milhares de pessoas que saíram de Milão em direção ao Sul, principalmente, para fugir do confinamento, propagassem o coronavírus de tal maneira que a doença fizesse ainda mais vítimas na parte menos rica da península. 

Não foi o que ocorreu até o momento. Enquanto a Lombardia, onde fica Milão, conta com 60,3 mil casos, o Lazio, onde fica Roma, tem 4,9 mil. A taxa de letalidade também é díspar. No Norte, supera os 14%; no Centro, é de 8,1%; no Sul, de 7,8%.

Roberto Cauda, do Hospital Policlínico Gemelli, também em Roma, acredita que Roma se preparou melhor do que Milão, inclusive porque teve mais tempo. “Mas pode ser que a grande maioria dos infectados que, seguramente, viajaram entre Milão e Roma, fossem assintomáticos e, assim, potencialmente um pouco menos contagiosos. A questão da menor contagiosidade dos assintomáticos não está estabelecida para a Covid-19, mas também não está excluída”, diz.

Indagado sobre essas hipóteses, o microbiologista Antonio Cassone, diretor do Instituto Superior de Saúde, afirmou: “Sempre teoricamente, tudo isso é plausível. Ao sofrer mutação, o vírus “erra” adaptando-se e não sabe “corrigir-se”. Em relação ao do Covid 19, ninguém ainda demonstrou que as mutações podem tê-lo “enfraquecido”. Mas se pode excluir essa possibilidade”.

A reportagem é assinada por Massimo Razzi.

* * * * *

Gostou do artigo? Então comente ou compartilhe nas suas redes sociais.

Deixa o seu comentário:

Destaques do editor

Cotidiano

Pesquisa Codacons sobre o custo de vida nas principais cidades italianas: bens e serviços custam mais na capital lombarda

Cotidiano

O “aventureiro” escolhido pode levar companhia e não paga aluguel por um ano

Destinos

Nápoles para a CNN é a única cidade italiana "a não perder" em 2022

Cotidiano

Chinelos de Michelangelo confirmam a sua "estatura mediana", segundo exames científicos

Una buona notizia!

Olivia, a primeira criança nascida em Roma, nasceu na Casa de Saúde da Sagrada Família. É também o primeiro nascimento na Itália em 2022

Cotidiano

Roma prevê multas de até 500 euros (R$ 3,2 mil) para quem desrespeitar a norma

Cotidiano

Ômicron e Delta estão causando 'tsunami' de casos de covid na Europa

Turismo

Setor de turismo representa cerca de 13% do PIB da Itália

Cotidiano

A Itália registrou 36.293 novos casos de Covid-19, totalizando 5.472.469 contágios, informou o boletim diário do Ministério da Saúde. Deixa o seu comentário:

Vida & Estilo

Qual é a pior cidade para expatriados? Daily Express fez a lista

Cotidiano

Terremoto em Milão, epicentro na província de Bergamo: magnitude estimada em 4,4

Cotidiano

Trieste, seguida de Milão e Trento, são as províncias com melhor "Qualidade de vida 2021" na Itália