Siga o Italianismo

Olá, o que deseja procurar?

Italianismo

Cotidiano

Milão também tem seu próprio Coliseu: a descoberta

coliseu de milão
Milão também tem seu próprio Coliseu: a descoberta

A cidade de Milão também tem o seu próprio Coliseu: um anfiteatro construído no século primeiro e que ao longo dos anos foi saqueado, soterrado e esquecido. 

Agora, porém, renascerá graças ao projeto “Pan-Parco amphitheatrum naturae” que trará à luz a antiga Milão romana, no vasto parque arqueológico no coração da cidade.

Do subterrâneo emerge o Coliseu de Milão

Durante as escavações foram encontrados os alicerces14 paredes radiais dos degraus da cavea (celas subterrâneas), além das sete descobertas na década de 1970 no setor Norte.

As paredes desenterradas no subsolo de Milão permanecerão visíveis. Haverá ainda, como parte do paisagismo, uma dupla fileira de ciprestes que traçará a elipse externa e elevada, que se converterá em uma passagem que permitirá admirar a Milão antiga.

Escavações do Coliseu de Milão começaram em 2018

As escavações começaram em dezembro de 2018 e terminarão no final de 2022. Os trabalhos realizados até agora mostraram as estruturas subterrâneas pavimentadas com tijolos.

Os arqueólogos acreditam que elas pertenceram a uma galeria de onde as feras protagonistas do anfiteatro saíam, ou serviam como canal de escoamento de água.

Originalmente, a área era muito semelhante ao Coliseu de Roma em tamanho e aparência. O eixo maior do anfiteatro tinha 150 metros de comprimento, enquanto o eixo menor tinha 120 metros. 

A estrutura se desenvolvia em altura com arcos sobrepostos: os espectadores eram protegidos por uma cortina nas fachadas de até 40 metros de altura. 

Coliseu de Milão é um de símbolos mais antigos da cidade

Trazê-lo de volta à luz significa devolver para Milão um de seus símbolos mais antigos.

Além do anfiteatro, os arqueólogos também encontraram uma série de achados ainda mais antigos que datam da época pré-romana.

Trata-se de um conjunto de cerâmicas da era celta. São copos, vasos, almofarizes e tigelas que deveriam pertencer a um período do quinto ao primeiro século a.C.

O anfiteatro de Milão ficava perto da antiga Porta Ticinese, ao lado do que hoje é a Via Arena. 

Foi um dos maiores da Europa, mas mais tarde foi destruído pelas invasões bárbaras. 

Os materiais de demolição foram posteriormente usados ​​para reforçar as muralhas da cidade e para construir a Basílica de San Lorenzo, que é o cenário de um dos mais belos parques de Milão. 

Agora o Coliseu de Milão será revivido em uma chave verde: árvores serão plantadas no lugar das paredes, como se fosse um abraço entre a história e a natureza.

Deixa o seu comentário:

Publicidade

Série

Rádio e TV italiana

Siga o Italianismo

Mais de Italianismo

Arte & Cultura

Município deu nome ao tom rosa intenso após batalha sangrenta no século 19

Cotidiano

A partir desta quinta-feira (3), todos os italianos elegíveis poderão fazer o agendamento da vacinação anti-Covid. Deixa o seu comentário:

Cotidiano

O ex-primeiro Ministro da Itália pagou mais de 220 milhões de reais para manter mansões.

Cotidiano

O café no bar é um ritual para muitos italianos: aqui estão as cidades onde uma xícara custa mais e aquelas onde o preço...

Cotidiano

O jornal britânico Financial Times compartilhou uma lista dos 50 melhores empórios gastronômicos do mundo. Neste ranking, 7 endereços estão na Itália

Esporte

Time aplica goleada histórica na equipe de Turim. Vaga na Champions pode ser confirmada no fim de semana.

Cotidiano

Cruz Vermelha planeja fazer até 3 mil testes rápidos e gratuitos por dia em 11 cidades da Itália.

Cotidiano

Cidade italiana na região metropolitana de Milão vota polêmica lei sobre vestimentas.

2016-2021 – Permitida a reprodução de qualquer conteúdo desde que citado, obrigatoriamente, o Italianismo.