Connect with us

Hi, what are you looking for?

Vida & Estilo

Itália deve mudar horário pela última vez (depois de 54 anos)

Itália verão inverno
Itália deve mudar horário pela última vez (depois de 54 anos)

Até abril a Itália terá que decidir se extingue o horário de verão ou não

Duas coisas são certas por enquanto. A primeira é que dentro de alguns dias, na noite entre 24 e 25 de outubro, retorna o horário de inverno (os italianos vão dormir uma hora a mais).

A segunda é que será preciso esperar até abril para saber se em 2021 a Itália terá esse ritual temporal (a mudança de hora), que existe há 54 anos

Estima-se que haverá um caos de fusos horários na Europa.

Itália e o horário de verão

Entre julho e agosto de 2018, após consulta pública (84% dos votos à favor), o Parlamento Europeu aprovou a supressão da obrigação de os países membros mudarem de uma hora para a outra duas vezes por ano.

Cada país será, portanto, livre para decidir até abril de 2021 se adota o horário de verão, o horário solar (também chamado de horário de inverno) para sempre ou continua alternando, como é agora. A discussão originou-se da oposição entre “nortistas e sulistas”. 

A possibilidade de ter mais luz com o horário de verão beneficia os países do Sul da Europa, mas não os do Norte que, liderados pela Finlândia e pela Polônia, pressionam para o fim do horário de verão, enquanto os do Sul caminham na direção oposta. A França, por exemplo, com um voto popular se manifestou para mantê-lo mesmo durante todo o ano.

Em vez disso, a Itália se inclina para o status quo: seis meses legais e seis meses solares. 

O fator econômico desempenha um papel importante na escolha italiana: o horário de verão permite que os italianos acendam as luzes uma hora depois. De acordo com a Enea (Agência Nacional de Novas Tecnologias, Energia e Meio Ambiente), este sistema leva a uma economia de 0,2% do consumo total, um número baixo, mas segundo os especialistas, significativo nas políticas de economia de energia. 

De acordo com dados da Terna (empresa italiana que administra a rede de transmissão de energia elétrica), entre 2004 e 2017, o verão permitiu aos italianos economizar 1 bilhão e 435 milhões de euros.

A controvérsia

A divisão política na Europa abala o sono dos defensores do mercado livre irrestrito. Uma mudança de abordagem por parte de países europeus pode causar transtornos para quem viaja de um país para outro, até mesmo a trabalho, forçado a mover o ponteiro várias vezes. 

A isto poderia ser adicionado o custo mais elevado do comércio transfronteiriço, uma queda potencial na produtividade e problemas nos transportes e comunicações.

Já em relação ao Brasil, a diferença no fuso diminuiu das atuais 5 horas para 4 horas. Bom para quem tem familiares ou negócios nos dois países.

LEIA TAMBÉM

Os cinco melhores destinos da Itália para curtir o verão

Deixa o seu comentário:

Leia também:

Negócios

Mini carro elétrico pode ser dirigido a partir dos 14 anos de idade e usa energia solar Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Quais as tendências dos nomes italianos mais populares em 2021?  Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Itália gasta cerca de R$ 934 milhões por ano para manter canis públicos Deixa o seu comentário:

Negócios

Lego do Coliseu será o maior conjunto já feito pela empresa    Deixa o seu comentário:

Arte & Cultura

Uma viagem de norte a sul para descobrir os cinco patrimônios naturais da Unesco Deixa o seu comentário:

Arte & Cultura

O bonsai mais antigo do mundo não está no Japão, mas sim na Itália Deixa o seu comentário:

História

Mais um achado “incrível” em Pompeia: arqueólogos descobriram dois corpos quase intactos Deixa o seu comentário:

Cotidiano

Stromboli é um dos vulcões mais ativos do mundo, mas esta última erupção foi excepcionalmente intensa Deixa o seu comentário:

Copyright © 2020 Italianismo – Permitida a reprodução desde que citado o Italianismo.