10 cidades italianas em cima de penhascos vão te dar vertigem

Manarola, Ligúria

Uma lista de belíssimas cidades históricas construídas em cima de penhascos como medida de segurança – afinal, era mais fácil evitar inimigos lá do alto.

Há séculos o ser humano desafia a natureza e constrói cidades em ambientes insólitos e de difícil acesso. No passado, as cidades eram erguidas à beira dos penhascos por uma variedade de razões, mas mais frequentemente por causa de vantagens defensivas.

Uma cidade ao lado de uma falésia com vista para o mar tinha um melhor controle das águas circundantes e era praticamente impossível de ser invadida pelo oceano.

Cidades penduradas, dando a ideia de que se equilibram para não cair penhasco abaixo, em conjunto com a natureza, dão lugar a uma paisagem pitoresca. Pela sua beleza, recebem turistas de todas as partes do mundo.

Percorra a galeria e descubra estas 10 cidades italianas impróprias para quem sofre de vertigens.

Manarola, Ligúria

Entardecer em Manarola | Foto: mundoviajar.com

Construída sobre uma rocha de 70 metros de altura, a cidade é uma das mais românticas do Cinque Terre – conjunto de quatro cidades turísticas à beira do mar da Ligúria.

Positano, Costa Amalfitana

Positano, na Costa Amalfitana | Foto: IStock

Positano é uma cidade construída na encosta da Costa Amalfitana, no sul de Itália. A cidade é cheia de casas coloridas vertiginosas empilhadas na colina.

Tropea, Calábria

Vista panorâmica de Tropea, Calábria | Foto: IStock

Tropea é uma pequena cidade na costa leste de Calábria, no sul de Itália. Os edifícios da cidade estão empilhados num penhasco natural de formação rochosa, a 50 metros acima do nível do mar, com vista para as águas azul-turquesa das praias.

Pitigliano, Toscana

Pitigliano, na Toscana | Foto: In Italia

Pitigliano é uma comuna italiana da região da Toscana, com cerca de 4 mil habitantes. Penduradas num afloramento de “tufo” (cinza vulcânica compactada), as antigas casas medievais desordenadas parecem que se apoiam umas nas outras para garantir que não caem.

Polignano a Mare, Puglia

Polignano a Mare | Foto: Getyourguide

Polignano a Mare é uma cidade italiana de quase 18 mil habitantes, situada no topo de um penhasco de calcário de 20 metros de altura. A cidade oferece vistas deslumbrantes sobre as belas águas cristalinas do Mar Adriático. A economia local depende principalmente do turismo, agricultura e pesca.

Sant’Agata de’ Goti, Campania

Sant’Agata de’ Goti | Foto: Checiap/Flickr

Sant’Agata de’ Goti é uma comuna italiana da região da Campania, província de Benevento, com cerca de 11.500 habitantes. Esta fascinante vila medieval está situada num penhasco acima do desfiladeiro do rio.

Ravello, Costa Amalfitana

Ravello | Foto: Viagem com Charme

Situado no alto das colinas da glamurosa Costa Amalfitana, Ravello oferece vistas estupendas do Mediterrâneo, mas a sua localização num penhasco mantém as multidões à distância. No passado, era refúgio boêmio para as celebridades. É uma cidade repleta de casinhas coloridas e jardins empedrados e perfumados, intercalados com cafés, lojas e escolas de culinária.

Riomaggiore, Ligúria

Riomaggiore | Foto: Istock

Acredita-se que Riomaggiore – a primeira terre para quem sai de La Spezia – tenha sido fundada no século 7 por um grupo de refugiados gregos.

Vernazza, Spezia

Vernazza | Foto: Istock

Vernazza é uma das mais amadas e fotografadas cidades do trecho de costa rochosa conhecido como Cinque Terre, na Ligúria.

Civita Di Bagnoregio, Lázio

Civita Di Bagnoregio | Foto:IKKos – Own Work

A menos de duas horas de Roma, esse vilarejo encarapitado no topo de uma colina corre o risco de desaparecer, mas ainda guarda cenários de sonho. Se você assistiu a novela Esperança, talvez se lembre de algumas das primeiras cenas da trama, que mostravam o jovem Toni, interpretado por Reynaldo Gianecchini, andando pela cidade.

Redação
Redação
O ITALIANISMO tem consolidado a sua posição como o portal com a maior audiência na comunidade italiana no Brasil. Todos os meses passam pelas nossos mídias mais de 2 milhões de visitantes. A sua colaboração é muito importante para que possamos crescer ainda mais. Compartilhe a reportagem que você acabou de ler.