Bolsonaro quer conhecer ‘os mafiosos’ da família na Itália

Anguillara Veneta, cidade de origem dos antepassados de Jair Bolsonaro | Google

Ideia é ‘esticar’ a viagem à Polônia e à Hungria para conhecer terra de seus avós

O presidente Jair Bolsonaro deseja “esticar” a viagem que fará à Polônia e à Hungria, expoentes da direita na Europa e com os quais quer estabelecer uma aliança conservadora, para realizar a vontade pessoal de conhecer a terra dos seus antepassados. De ascendência italiana, ele pretende, entre abril e maio, visitar a região de Lucca, na Toscana, de onde vieram seus avós.

Em conversa com o Estado na quarta-feira passada, Bolsonaro disse, em tom de brincadeira, que gostaria de conhecer “os mafiosos” da família. “É missão do Itamaraty acertar uma data para Polônia. Vamos fazer Hungria e, talvez, Itália. (Quero) Ficar uns dois dias na Itália. Conhecer os mafiosos da minha família”, afirmou, rindo, ao se referir à organização criminosa.

Sem contato com os parentes na Itália, a expectativa do presidente é de descobrir outros Bolzonaros, com “z” na grafia em italiano, que vivem por lá. Os antepassados dele chegaram no fim do século 19 e se instalaram no interior de São Paulo, onde trabalharam em fazendas de café. “Nunca fui à Itália. (A origem da família) É a região de Lucca, não conheço. Tenho vontade de ir e conhecer algum Bolsonaro”, disse o presidente.

Após a deportação do ex-ativista italiano Cesare Battisti, em janeiro do ano passado, Bolsonaro declarou ao canal RAI, da Itália, que gostaria de participar das comemorações de 8 de Maio, que celebra o Dia da Vitória dos aliados na 2.ª Guerra – a Itália, que lutou ao lado da Alemanha, se rendeu em 1943. Disse também que desejava ir a Lucca. Na ocasião, o prefeito da cidade, Alessandro Tambellini, do Partido Democrático, de centro-esquerda, afirmou que Bolsonaro seria recebido com respeito, mas ressaltou: “As ideias políticas dele não são as nossas”.

Dilma e Temer foram conhecer suas origens

O costume de políticos conhecerem as origens se tornou tradição. Em outubro de 2011, Dilma Rousseff visitou Gábrovo, na Bulgária, onde nasceu seu pai. Michel Temer esteve em Btaaboura, no Líbano, cidade de sua família, em maio de 2016.

Nota da redação: A pedido do Italianismo, a Bendita Cidadania, empresa especializada na busca e preparação de documentos para o processo de cidadania, encontrou o registro de nascimento de Vittorio Bolzonaro – bisavô do presidente Bolsonaro –, nascido em Anguillara Veneta, em Pádua. Com cerca de 4.700 habitantes, a cidade é administrada pelo prefeito Luigi Polo, do Partido Democrático (de esquerda). 

Copia do livro do registro de Vittorio Bolzonaro, em Anguillara Veneta, província de Pádua / Family Search

Segundo consta no livro de nascimento, Vittorio Bolzonaro nasceu na Via Canareggio. Veja como é atualmente a avenida no mapa abaixo:

Por Jussara Soares / Estadão Conteúdo