Itália reduz número de parlamentares; medida frustra candidatos no Brasil

Com a nova lei, o número de deputados e senadores cairá de 945 para 600. Foto: Reprodução

Com a nova lei, o número de deputados e senadores cairá de 945 para 600

Com um placar de 553 a 14, a Câmara dos Deputados da Itália aprovou nesta terça-feira (8), de maneira definitiva, um projeto de reforma constitucional que reduz o número de parlamentares em 36%.

De acordo com o texto, a quantidade de deputados passará de 630 para 400, enquanto a de senadores cairá de 315 para 200. A medida também reduz o número de parlamentares eleitos no exterior de 18 (12 deputados e seis senadores) para 12 (oito deputados e quatro senadores).

Ainda não se sabe como será a nova distribuição de representantes da comunidade italiana nos outros países. Mas é certo que a mudança frusta dezenas de candidatos no Brasil, que sonhavam com um vaga no próximo pleito, e já trabalhavam para isso.

Em 2018, 24 italo-brasileiros ou italianos residentes no Brasil concorreram a uma vaga no Parlamento. Apenas dois se elegeram: Luis Roberto Lorenzato e Fausto Longo.

A lei, no entanto, não entra em vigor imediatamente. Por se tratar de reforma constitucional, um quinto de ao menos uma das casas do Parlamento, 500 mil eleitores ou cinco assembleias legislativas regionais podem pedir um referendo sobre o tema dentro de até três meses após sua publicação no Diário Oficial.

“É um passo concreto para reformar nossas instituições. Para a Itália, é uma jornada histórica”, disse o premier Giuseppe Conte.