Operação ‘Super Santos’ anula residências de brasileiros na Itália

Santa Maria Maggiore cancelou nesta semana três residências de cidadãos brasileiros. Foto: Franco Coniglio/Reprodução

Argumento do município é que brasileiros não demostraram morar permanentemente em território italiano

A prefeitura de Santa Maria Maggiore cancelou nesta semana três residências de cidadãos brasileiros que realizavam o processo para reconhecimento da cidadania italiana na cidade.

A ação é resultado do desdobramento da operação ‘Super Santos’ realizada pela polícia de Verbania, no Piemonte, em março deste ano, e que investigou práticas suspeitas de cidadania.

Segundo Luigi Spadone, oficial responsável pelo serviço demográfico, o município não aceitou as alegações da defesa dos brasileiros. “Um dos pilares foi a falta do elemento subjetivo da residência, que é o desejo de morar permanente em território italiano e não ficar alojado apenas o tempo necessário para obter a cidadania”, disse Spadone. Os brasileiros já deixaram o alojamento.

O argumento do município é interpretativo e cabe recurso. Não há nas circulares que regulamentam o processo de cidadania italiana um tempo pré-estabelecido para fixar residência na Itália.

Ter um endereço fixo é um dos requisitos para os que têm direito à cidadania italiana para pleitearem o reconhecimento em solo italiano – e consequentemente fugir das ilegais filas nos consulados italianos que ultrapassam os 10 anos de espera.

Leia também: Administrativo ou judicial: os caminhos legais para obter cidadania italiana