‘Italianos no exterior são testemunhas da pátria’, diz ministro

Festa de San Gennaro em São Paulo: italianos mantém tradição. Foto: FolhaPress

Moavero afirmou que reputação da Itália depende desses cidadãos

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Enzo Moavero, afirmou que os cidadãos italianos que vivem no exterior são “testemunhas da pátria” em outros países, e “grande parte da reputação da Itália no mundo depende dessas comunidades.

A declaração foi dada nesta quarta-feira (3) durante discurso na abertura da Assembleia do Conselho Geral dos Italianos no Exterior (CGIE) na Farnesina.

Na ocasião, Moavero lembrou que os italianos presentes no exterior são uma “comunidade de 6 milhões de cidadãos, 10% da população que vive dentro das fronteiras da República”.

O ministro ainda ressaltou que “a Itália e todos os italianos continuam sendo bem vindos e vistos positivamente, com carinho e admiração”. “Não somos percebidos de maneira negativa”.

Além disso, ele recordou que “não há apenas comunidades de cidadãos italianos, mas também aqueles que têm ascendência italiana e isso dá ao nosso país uma presença positiva”, acrescentou Moavero.

Para o italiano, essa representatividade coloca o país como o segundo fabricante europeu, além de ser um dos principais exportadores da Europa. “Continuamos a ser uma presença animada em setores considerados positivos. Em todos os lugares há uma presença italiana, não só vejo muitos descendentes italianos ocupando posições importantes, mas mesmo onde há uma presença limitada, há um desejo positivo pela Itália”, ressaltou.

Por fim, o ministro das Relações Exteriores disse acreditar que o desejo de representar a Itália no mundo e retornar ao país, se houver a possibilidade, é comum a todos.