‘Clube de Julieta’, na Itália, tem brasileira para responder cartas de apaixonados

Andreia Caetano, 45, uma das poucas falantes de língua portuguesa inscrita entre as centenas de voluntárias do Club di Giulietta Gabriel Cabral/Folhapress

Andreia conforta corações partidos de quem envia mensagens escritas em português

“Cara Julieta, como todas as mulheres que te escrevem, tive um grande amor e infelizmente o perdi. Não estou aqui para desejar outro, mas para mostrar minha gratidão pela oportunidade de ter sentido este amor. […] Quem sabe uma das suas secretárias me retorna esta carta.”

Como pedido pela remetente, a mensagem chegou a uma das “secretárias” de Julieta. No Brasil, mais especificamente no interior paulista, para Andreia Caetano, de Jacareí (a 82 km de São Paulo).

A professora de 45 anos é a única voluntária residente no Brasil (a outra vive na Itália) que colabora com o Club di Giulietta para as cartas escritas em português. Criado em 1972, o grupo de voluntários responde as mensagens de amor enviadas para Verona.

Anualmente, cerca de 8.000 cartas saem dos cinco continentes para o clube, a maioria dos Estados Unidos. Do Brasil são enviadas por ano 400 correspondências. Além das duas brasileiras, há outros 20 falantes de português no grupo.

O Club di Giulietta responde cartas de apaixonados de todo o mundo. Foto: Gabriel Cabral/Folhapress

Voluntária desde julho de 2015, Andreia passou por entrevista e um período de experiência. “Nas primeiras cartas já senti muita emoção e a responsabilidade de ajudar, com uma palavra de afeto, uma pessoa que passa por um momento de sofrimento, de dor”, disse ela, casada há 22 anos e mãe de dois filhos.

Ela recebe as mensagens que chegam por email ou cópias digitais de cartas deixadas por turistas na casa de Julieta.

“Para amar alguém, primeiro é preciso ter amor próprio. Quando percebemos qualquer relacionamento abusivo, temos obrigação de alertar a pessoa.”

Nem todas as cartas, diz, são de sofrimento e dor. “Muitas relatam a alegria de encontrar um grande amor verdadeiro. Uma que me tocou muito, por exemplo, foi essa [transcrita acima], que, mesmo não tendo o amor correspondido, agradece pela experiência de amar. Esse sentimento de gratidão é muito bonito.”

Andreia lembra também do relato de uma senhora que deixou um amor de adolescência para se mudar para outra cidade, onde acabou se casando e criando filhos.

“Depois que ela mudou, eles nunca mais se viram. Após muitos anos, ela ficou sozinha e voltou à cidade natal para visitar familiares. Lá, reencontrou o namorado, que não havia casado porque ainda a amava. Os dois se casaram e estão juntos até hoje.”

Além de Andreia, o Club Di Giulietta conta com a colaboração de outras voluntárias que respondem as cartas que chegam em português, não apenas do Brasil.

“Temos uma voluntária brasileira que mora em Verona e, ao longo do ano, cerca de 20 passam por aqui e nos ajudam a responder as mensagens. As que chegam por email, encaminhamos para a Andreia, no Brasil”, disse Elena Marchi, uma das coordenadoras.

O clube foi fundado em 1972, mas a relação das fãs com a personagem teve início antes, quando depositavam cartas em um túmulo que era visitado por admiradores de Romeu e Julieta. Na década de 1930, um guardião do jazigo passou a responder as cartas, fortalecendo o imaginário dos fãs da obra de Shakespeare.

Cerca de 75% das cartas são de mulheres. “A maioria é de pessoas que estão à procura de um grande amor, ou sofrem por um amor não correspondido, ou porque terminaram um relacionamento. Há muitas cartas também que relatam felicidade e gratidão por encontrarem o amor.”

Turistas que visitam a cidade também podem aproveitar a oportunidade para colaborar como voluntários no clube, assim como a personagem da atriz Amanda Seyfried no filme “Cartas para Julieta” (2010).

Segundo Elena, após o filme, o número de cartas e de voluntárias que aumentou consideravelmente.
“Assinamos em nome de Julieta, tentando dar esperança, apoio e conselhos às pessoas. Todas as cartas são respondidas. Pode demorar alguns meses, devido à enorme quantidade de cartas, mas todas têm respostas”, diz Elena.

O endereço para enviar uma carta de amor e esperar resposta da equipe de Julieta é:

Club di Giulietta 
Vicolo Santa Cecilia 9, 37121, Verona Italia, P.IVA 02765640236
email: info@julietclub.com

Por Tânia Campelo / Folhapress