Na Itália, Salvini elogia comerciante que matou ladrão

Matteo Salvini discursa no comício da extrema-direita realizado em Milão, em 18 de maio - AFP/Arquivos

A Promotoria de Ivrea abriu um inquérito para investigar o italiano por excesso culposo de legítima defesa

O ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, elogiou nesta sexta-feira (7) um comerciante que matou a tiros um homem que tentava assaltar sua loja, em Pavone Canavese, na região do Piemonte.

“Total solidariedade ao comerciante, que eu espero que possa usufruir da nova lei de legítima defesa”, disse Salvini em seu perfil no Twitter. O caso reacendeu as discussões sobre a nova lei de legítima defesa, projeto do partido nacionalista e de extrema-direita Liga Norte, de Salvini. A lei determina que a defesa pessoal “sempre” é legítima, e que a “proporcionalidade entre ofensa e defesa sempre subsiste” caso a agressão aconteça na casa ou no trabalho da vítima. Com isso, a Liga tentou evitar que um cidadão que mata um assaltante, por exemplo, seja punido em função de uma reação desproporcional. E é justamente isso que poderia ocorrer com o comerciante do Piemonte, identificado como Marcellino Iacho Bonvin, de 67 anos.

A Promotoria de Ivrea abriu um inquérito para investigar o italiano por excesso culposo de legítima defesa.

Bonvin, que mora em um imóvel na parte superior de sua loja, uma tabacaria, percebeu que três homens tentavam assaltar o estabelecimento durante a madrugada de ontem (7). Os criminosos invadiram a loja e, em uma van, conseguiram roubar cerca de 2 mil euros. Ao perceber o assalto, o comerciante atirou com uma pistola contra o trio. Um dos assaltantes – um jovem de 24 anos da Moldávia – morreu. Os outros dois conseguiram fugir.

Por Agência ANSA