55% dos italianos apoiam cidadania italiana ‘ius soli’, diz pesquisa

55% dos italianos apoiam cidadania italiana 'ius soli'. Foto: Jason Cairnduff / Reuters

41% dos italianos entrevistados disseram se opor ao ‘ius soli’; Mas a maioria concorda com lei

A população italiana apoia conceder cidadania para quem nasce em solo italiano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos, e divulgada neste domingo (07) pelo portal Il Sussidiario.

Segundo os dados divulgados pelo instituto, 55% da população concordam que o parlamento italiano apresenta uma lei que possibilita ao indivíduo o direito a nacionalidade do lugar onde nasceu. É a chamada ‘ius solis’ (ou jus soli), que em latim quer dizer “direito de solo”.

Porém, o tema não agrada o ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini. No final de março, o líder da Liga disse que a atual lei de cidadania italiana está ótima.

O ministro se referia ao desejo do adolescente Ramy Shehata, “herói” do sequestro de um ônibus escolar, que evitou um massacre de proporções inéditas no país, de oferecer cidadania italiana a seus colegas filhos de imigrantes.

Salvini não está sozinho: 41% dos italianos entrevistados disseram se opor ao ‘ius solis’.

O Brasil – e boa parte dos países americanos, incluindo os Estados Unidos – segue a lei do “ius solis”. Ou seja, se uma criança nascer em solo brasileiro ela ganhará a nacionalidade brasileira de forma automática, independente da nacionalidade de seus pais.

Entenda a diferença

Ius Sanguinis garante ao requerente o direito a cidadania de um país por meio de sua ascendência, ou seja, pelo “direito de sangue”.

Ius Soli, que quer dizer “direito de solo” em latim, garante ao indivíduo o direito a nacionalidade do lugar onde nasceu.