Veneza está ameaçada pelas mudanças climáticas, apontam estudos

Turistas na "Acqua alta" em Veneza. Foto: AP/Luca Bruno

Veneza tem 2º maior ‘água alta’ em abril na história

Estudos apontam que Veneza está ameaçada pelas mudanças climáticas e pela contínua erosão do solo lagunar, principalmente em função do trânsito de grandes navios.

Noite desta quinta-feira (4), a cidade registrou a segunda maior “acqua alta” (“água alta”, em tradução livre) para o mês de abril em toda a sua história.

Por volta de 23h40 (horário local), o nível da Lagoa de Veneza atingiu o pico de 134 centímetros acima do nível do mar, índice menor apenas que os 147 centímetros registrados nesse mesmo período, mas em 1936.

Segundo as medições oficiais, a “acqua alta” desta quinta alagou cerca de 50% do solo do centro histórico de Veneza. O fenômeno é relativamente comum na cidade, especialmente na região da Praça San Marco.

O norte da Itália enfrentou uma onda de mau tempo nesta quinta, com nevascas cobrindo as regiões mais montanhosas.

Com informações da Agência Ansa