Pesquisador italiano desconstrói origens de Leonardo Da Vinci

Pesquisador italiano desconstrói origens de Leonardo Da Vinci. Foto: Reprodução

Estudioso apresentará tese sobre gênio em Florença

O estudioso italiano Riccardo Magnani, especialista sobre a vida de Leonardo Da Vinci (1452 -1519), revelou que a história contada sobre o gênio renascentista é baseada em “mentiras”.

Com base em pesquisas oficiais, Magnani revisa alguns fatos sobre a vida do artista. Entre as contestações, ele explica que o gênio italiano não nasceu em 1452, não era filho de Piero Da Vinci, sua mãe era de origem nobre e não humilde e ele nunca foi aluno do pintor Andrea del Verrochio.

Formado em Economia e Comércio pela universidade da Lombardia, o italiano apresentará sua tese em Florença, no próximo dia 15 de abril, em uma das sete conferências dedicadas ao pintor, que está sob os holofotes pelas comemorações dos 500 anos de sua morte.

“Dele [Da Vinci] pensamos que sabemos tudo, mas Leonardo Da Vinci não nasceu em 1452, ele não era o filho, mas sobrinho adquirido pelo notário Piero, sua mãe não veio das classes mais baixas da sociedade, mas era uma nobre, e ele não era aluno de Verrocchio”, ressaltou.

De acordo com Magnani, “o único dado que é praticamente confiável em biografias é o da morte em 2 de maio de 1519, em Amboise”, porque, alguns especialistas, afirmam que, na época de seu falecimento, Da Vinci tinha pouco mais do que 75 anos de idade.

“Um cálculo matemático fácil é suficiente para entender que na mais restritiva das hipóteses ele nasceu antes de 1444”, ressaltou.

Além disso, o pesquisador explicou que Da Vinci sempre mais hábil do que Verrocchio tanto na pintura quanto na escultura e, portanto, está convencido de que ele não pode ter sido aluno do florentino, até porque ambos teriam quase a mesma idade.

Para Magnani, nem mesmo a representação física do gênio italiano seria verdadeira. O estudo sobre o parentesco e a data de nascimento de Da Vinci modifica toda a origem da vida e de suas obras.

Por Agência Ansa