Fazendeiro italiano inova e cria milhares de galinhas soltas na floresta

Na Lombardia, mais de 2 mil galinhas vivem na liberdade de uma floresta alpina

O tratamento que a vasta maioria das fazendas de produção de ovos e galinhas oferecem aos animais é próximo à barbárie, com as aves vivendo amontoadas uma sobre as outras, e sendo submetidas a técnicas e condições análogas à tortura. A justificativa é a necessidade extrema das empresas de darem conta da demanda incessante por carne e ovos – mas um produtor italiano decidiu por criar seus animais e realizar sua produção de forma radicalmente oposta: suas mais de 2 mil galinhas vivem não somente soltas, como na liberdade de uma floresta alpina.

Massimo Rapella vive nos arredores montanhosos da cidade de Sondrio, no coração do Valtellina, um vale no nordeste italiano, que faz fronteira com a Suiça – e é num espaço de 2 hectares de floresta que vivem suas galinhas.

Inicialmente Massimo e sua esposa tinham somente 4 aves que alimentavam sua casa com ovos, mas hoje o produtor recolhe 1.300 ovos diários entre as árvores da floresta. Os ovos são colocados pelos animais em ninhos naturais, que as próprias galinhas fazem com matéria prima da floresta.

O produtor afirma que desde o início era visível a diferença que a liberdade e a alimentação natural – feita com folhas, nozes, minhocas e insetos – produziu nos animais desde o início. Penas mais brilhosas, animais mais vigorosos e ovos muito mais saborosos foram os efeitos que hoje tornam sua produção especial.

Vendendo diretamente para restaurantes e moradores locais, Massimo não procura maximizar sua produção, que varia de acordo com o temperamento das galinhas e a época do ano – e esse é o segredo da saúde dos animais e, consequentemente, de quem se alimenta dos ovos que suas galinhas produzem.

Por Vitor Paiva / Hypeness. Fotos: divulgação/reprodução