Itália fecha espaço aéreo para Boeing 737 Max 8

Foto: AFP

Itália proíbe modelo de avião da Boeing após acidente que provocou 157 mortes

A Itália anunciou nesta terça-feira que fechou o seu espaço aéreo às operações com os Boeing 737 Max 8.

A mesma decisão foi tomada nesta terça por outros países da União Europeia, como Reino Unido, Alemanha, França e  Irlanda, após a queda, no último domingo (10), de um avião deste modelo da Ethiopan Airlines que provocou 157 mortes – entre eles, 8 eram italianos.

A Autoridade Nacional de Aviação Civil (Enac) da Itália alegou precaução ao fechar o espaço aéreo do país. “Dada a falta de informações confiáveis sobre a dinâmica do acidente da Ethiopian Airlines (…) e o acidente anterior em outubro na Indonésia, a Enac ordena como precaução o fechamento do espaço aéreo italiano para todos os voos feitos com este tipo de dispositivos”, afirmou um comunicado.

“A segurança é primordial. Até que se tenham dissipado todas as dúvidas, ordenei que o espaço aéreo alemão seja fechado aos Boeing 737 Max a partir de agora”, anunciou o ministro de Transportes alemão Andreas Scheuer.

“Dadas as circunstâncias do acidente na Etiópia, as autoridades francesas tomaram a decisão, como medida de precaução, de proibir qualquer voo comercial realizado em um Boeing 737 MAX para, de ou sobre o território francês”, declarou a Direção Geral da Aviação Civil (DGCA) em uma declaração.

A autoridade aérea da Irlanda também anunciou sua decisão de não autorizar a operação dos aparelhos Boeing 737 Max 8.

“Autoridade da Aviação Civil Irlandesa (IAA) decidiu suspender temporariamente as operações dos Boeing 737 MAX na entrada ou saída do espaço aéreo irlandês, em vista de dois acidentes fatais envolvendo esta aeronave nos últimos meses”, afirma um comunicado.

A decisão foi tomada ainda por Coreia do Sul, Austrália, Singapura, Omã e Malásia.

Com informações da AFP