Vulcão na Sicília pode gerar potente tsunami na Itália, diz estudo

Erupção do Stromboli em 2003. Foto: ilvulcanoinforma.it

O vulcão Stromboli é um dos mais ativos do mundo. Montanha fica no arquipélago das Eólias, na Sicília

De acordo com o estudo, publicado na revista Scientific Reports, as ondas gigantes aconteceram entre 1343 e 1456 e atingiram até a costa da Campânia. A pesquisa contou com a colaboração do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV), das universidades de Modena-Reggio Emilia e Urbino, do Instituto de Estudos do Mediterrâneo Antigo e da Universidade de Nova York.

Os tsunamis da Idade Média foram provocados por erupções na face noroeste do vulcão, e o maior deles, em 1343, quase certamente devastou os portos de Nápoles e Amalfi, como testemunhado pelo poeta Francesco Petrarca (1304-1374).

O escritor estava em Nápoles como embaixador do papa Clemente VI e falou em uma carta sobre uma violenta tempestade que provocara “muitas vítimas” e afundara diversos navios.

Durante a pesquisa, foram escavadas três trincheiras na parte norte da ilha de Stromboli, com 80 metros de comprimento e dois de profundidade cada uma. Dessa forma, os estudiosos descobriram três camadas de areia contendo seixos da praia levados pelas ondas do tsunami.

Análises químicas e testes de carbono 14 permitiram estabelecer uma relação inequívoca entre esses estratos e achados arqueológicos que testemunham o rápido abandono da ilha em função dos tsunamis.

“Na primeira metade do século 14, Stromboli era habitada e tinha um importante papel para o tráfego naval dos cruzados provenientes das costas italianas, espanholas e gregas”, disse Sara Levi, da Universidade de Modena-Reggio Emilia.

A ilha, situada no arquipélago das Eólias, na Sicília, ficou desabitada até o fim do século 17, quando começou seu repovoamento moderno. “O estudo revela pela primeira vez a capacidade do vulcão de produzir eventos de dimensões superiores àqueles conhecidos até hoje”, disse.

Segundo Antonella Bertagnini, do INGV, o Stromboli pode produzir hoje “tsunamis de escalas claramente superiores e capazes de atingir áreas costeiras muito distantes”. O vulcão é um dos mais ativos do mundo e fica em uma ilha com cerca de 400 habitantes.

por Agência Ansa