‘Terra Nostra’ completa 20 anos e ganha nova reprise na TV

Matteo (Thiago Lacerda) e Giuliana (Ana Paula Arósio) em 'Terra Nostra' / Divulgação

Há 20 anos estreava “Terra Nostra”, um grande sucesso da faixa nobre da Globo. Como esquecer a voz de Giuliana ao pronunciar o nome do seu grande amor, Matteo? Foram poucos os que não ficaram grudados na televisão, rendidos aos penetrantes olhos azuis de Ana Paula Arósio e à beleza de Thiago Lacerda.

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, com direção de Jayme Monjardim, “Terra Nostra” foi uma das novelas mais vendidas no exterior, tendo sido exibida em mais de 80 países, como Colômbia, Portugal, Croácia, El Salvador, Espanha, França, Guatemala, Honduras, Israel, Letônia, Lituânia, Marrocos, Romênia e Sérvia, sendo sucesso, inclusive, na Itália.

Leia também: Família brasileira percorre parte da Itália e Europa a bordo de um motorhome

“Terra Nostra” marcou a estreia de Maria Fernanda Cândido como atriz da TV Globo. Em uma pesquisa realizada pelo Fantástico durante a exibição da novela, ela foi eleita pelo público brasileiro “a mulher mais bonita do século”.

Agora, para matar a saudade e comemorar os seus 20 anos, a novela ganhará reprise pelo canal Viva. De acordo com a Folha de S.Paulo, será exibida a versão internacional de Terra Nostra, por conta de direitos autorais. Terra Nostra original possuía 221 capítulos. Já a versão que será colocada ao ar no Viva só tem 150. A estreia está marcada para acontecer no dia 28 de fevereiro. A reprise vai ao ar às 14h30 – com reapresentação por volta de 1h.

Amore mio

“Terra Nostra” nos brinda com a saudosa presença de Raul Cortez, que, ao contrário do que aconteceria a um imigrante italiano na vida real, foi acentuando seu sotaque à medida em que a novela avançava, um efeito inevitável do aprimoramento do exercício do ator (e que ator!).

Tem ainda Maria Fernanda Cândido, no papel da italiana que seduz Cortez, em cenas memoráveis de uma mulher belíssima, à época comparada a Sofia Loren, com uma personagem de sedução quase genuína.

E tem Ana Paula Arósio, sempre e acima de tudo,  de quem sempre vale a pena matar saudades.Convém ainda destacar o par formado por Lu Grimaldi e Antonio Calloni, de uma comoção ímpar.

E não se pode ignorar a atuação de Débora Duarte, de uma sensibilidade gigantesca.

A trilha de abertura é embalada pela voz de Aguinaldo Rayol, “Tormento D’Amore”, e toda a novela segue em um ritmo que fazia o brasileiro crer que pudesse falar italianês, sem grandes dificuldades.

Leia mais: 

Site rastreia histórico do seu sobrenome e revela sua origem

Reconhecimento facial ajuda a identificar rostos dos nossos antepassados

Cresce busca por processos de cidadania italiana via judicial